quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

EXCERTO DO LIVRO "A MINHA TERRA O MEU LUGAR"

O nosso “menino”é autista!



O nosso “ menino”, Emanuel é portador de PDEA.
Vive fechado no seu próprio mundo.
Desde pequenino, passa os dias a brincar com tachos, panelas, com todo o tipo de formas de bolos e com as pequeninas peças (gastas e ferrugentas) que ele encontra nos nossos passeios ao fim da tarde.
A melhor pista de carros, uma bola de futebol, uma bicicleta de montanha, puzzles ou a última colecção de legos deixaria cheia de felicidade, qualquer criança, menos o nosso filho que nunca se entusiasmou com isto.
Às vezes pega nos seus legos, por breves minutos, pois o seu prazer é estar rodeado de enormes tachos, panelas…e se possível os espalhar em segundos.
Quando isso acontece, ele ri, salta, grita e acaricia-os a todos.
Se nossos fizessem uma visita nessa altura, podia ver a cozinha, a sala e até os quartos com estes utensílios. O Emanuel passa horas e horas a observá-los, é como se tratasse dos melhores quadros expostos na melhor galeria do Mundo.
Quando consegue estar alguns minutos sozinho ele aplica toda a sua força e fá-los em pedaços. Nessa altura a alegria é tanta como marcasse o golo da Vitória numa final da Liga dos Campeões ou conseguisse uma medalha de ouro nos jogos Paralímpicos.
Ontem, quando lhe compramos uma frigideira, a festa fê-la no caminho, porque em casa durou alguns segundos.
Quando vamos ao “HIPER” fazer compras, pede para sairmos, todos os dias, o sítio da sua preferência é onde estão os utensílios de cozinha.
A Tia, Manuela, está sempre a dizer:
“…Vocês fazem as suas compras e o Emanuel tem sempre a sua lista de formas para trazer”…O problema é que fica irritadíssimo, muito zangado, quando não lhe compramos nada.
Como Pai, habituado a visitar centenas de crianças (nas Escolas Básicas) e com elas realizar actividades que nos dão felicidade, às vezes custa muito.
A Áurea tem sido uma preciosa ajuda. Sem ela ao meu lado não ia conseguir…
É necessário, muitas vezes, uma grande força e uma grande dose de Amor.
Tenho muito orgulho nesta mulher. Ela é muito forte, risca palavras como o impossível, desanimo, desespero e cansaço.
Os nossos vizinhos nos Açores e agora em Gaia, admiram-se como se consegue dedicar tanto a um filho com esta deficiência.
Às vezes comentam:
…”Você tem de fazer uma grande homenagem á sua esposa, porque ela bem o merece.” É verdade, eu sei que o segredo da Áurea é a ajuda que busca ao nosso querido Deus.
O Emanuel tem agora 23 anos, está muito mais alto do que os pais.
Já é necessário, de dois em dois dias fazer-lhe a barba, rija.
Continua a não dizer uma única palavra, e quando está bem disposto, algumas vezes acontece, até já faz a saudação que o seu monitor (MIGUEL) ensinou, a saudação do Pipoquinha, que se baseia em tocar o seu nariz no nosso. Gostamos muito deste miminho.
Quem o conhece a primeira vez, diz logo que é um menino perfeitinho, bonito.
A compreensão e ajuda dos que lidam diariamente com o nosso filho são muito importantes.
Na APPDA-Norte temos a Ana, o Pedro, Miguel, João, Prof. Júlio, Dr.ª Helena, Dr. Flávio, Marlene, Marta, Gabriela…que realizam um trabalho difícil, mas grandioso.
Quando saímos á rua as pessoas ainda não estão preparadas. Olham para o Emanuel e parecem que estão a ver um EXTRA TERRESTE.
A nossa Sociedade ainda não está preparada para aceitar estes casos…vai demorar tempo.
Há dias ouvi uma história que me ajudou a aceitar os problemas deste Mundo.
Havia um Homem que não parava de se lamentar:
“…Porque será que aqueles ali têm sapatos, tão bons e bonitos, enquanto eu apenas tenho estes rotos e velhos?”
De repente ele reparou que ao seu lado o seu vizinho não possuía sapatos nenhuns, porque não tinha pés”…
Nunca poderei chegar a casa, depois de um dia de trabalho e conversarmos dos temas da Sociedade.
O meu filho è “Diferente”, mas se fosse normal, poderia ser Médico, Engenheiro, operário…também poderia ser um toxicodependente, um assassino, um ladrão ou um marginal.
Há uma coisa que poderei fazer sempre é abraçá-lo e amá-lo eternamente.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

DIVULGAÇÃO DAS ACTIVIDADES DAS ASSOCIAÇÕES DA REGIÃO DE BASTO


A Associação Cultural e Recreativa de Fervença, em colaboração com a Câmara Municipal de Celorico de Basto e a Coordenação Municipal do desporto, leva a cabo a organização do campeonato regional de Kickboxing, no pavilhão gimnodesportivo de escola EB 2-3 de Celorico de basto. Esta prova realiza-se no dia 6 de Fevereiro e é da responsabilidade da Associação de Kicboxing e Fullcontact da região Norte e visa o apuramento para o campeonato nacional.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Come take the ride from w20 on Vimeo.

Apendicite: continua o mistério para a ciência e medicina


Mais de um século depois da sua descrição em 1886, a apendicite continua a ser um grande mistério para os cirurgiões. A inflamação do apêndice obriga a operar 250 mil norte-americanos por ano e continua a ser o motivo de cirurgia urgente mais habitual nos hospitais de todo o mundo.

Um novo estudo volta agora a reabrir uma velha hipótese: uma infecção viral poderia estar por detrás da enfermidade.

A apendicite é a inflamação de um pequeno tubo, com dez centímetros de comprimento, que está entre os intestinos delegado e grosso e cuja utilidade própria não está clara a cem por cento.


A tese mais aceite é que se trata de um vestígio do nosso passado herbívoro, em cujo interior se produziam as bactérias intestinais necessárias para digerir as folhas das árvores.

Quando este pequeno saco sem saída fica bloqueado ou infectado, produz uma inflamação que obriga à sua extracção para evitar que se perfure e agrave a infecção à cavidade abdominal, mais concretamente da membrana peritonial.

No entanto, ainda não se sabe o que desencadeia esta obstrução. Mesmo que se deva a uma acumulação de alimentos ou fezes, a teoria de que uma infecção intestinal a possa desencadear tem sido pensada há anos.


Edward Livingston
Esta é, aliás, a hipótese de Edward Livingston, da Universidade do Texas, que comparou as taxas de incidência de apendicite com outros tipos de infecções (desde a gripe a outros vírus digestivos) para observar qualquer paralelismo entre os anos de 1970 e 2006.

As suas observações revelam que existe uma certa tendência para os ataques de apendicite se manifestarem de uma forma epidémica coincidindo no tempo e com maior incidência em certas épocas do ano − como no Verão. Segundo o investigador, “estes picos fazem pensar que existe algum factor externo que pode actuar como desencadeante”.

Há ainda alguns cientistas contestam a causa viral, argumentando que as campanhas de vacinação do ultimo século, as melhoras das condições higiénicas e sanitárias deveriam reflectir-se numa redução drástica dos ataques do apêndice. Coisa que não aconteceu.

Entretanto e enquanto não há uma causa clara, a prevenção da apendicite continua a ser uma utopia para os especialistas.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

FIGURAS TERRAS DE BASTO/FREI BERNARDO VASCONCELOS


Foi na Casa do Marvão, na freguesia de São Romão do Corgo, concelho de Celorico de Basto que, a 7 de Julho de 1902, nasceu Frei Bernardo de Vasconcelos, parente dos Marvões, família que, durante vários séculos, habitou aquela casa. Bernardo Vaz Lobo Teixeira de Vasconcelos era filho do Doutor Manuel Joaquim da Cunha Maia Teixeira de Vasconcelos, senhor da Casa do Marvão e, naquela altura, Delegado da Procuradoria Régia em Cabeceiras de Basto e de D. Filomena da Conceição Vaz Lobo, da Casa do Outeiro, em Molares.
Foi baptizado no dia 5 de Agosto de 1902 pelo pároco Francisco de Almeida Barreto na igreja de São Romão, tendo sido seus padrinhos Manuel António de Sousa Machado, seu parente, da Casa do Bairro, em Canedo de Basto, e sua tia-avó D. Maria Isabel Teixeira de Vasconcelos, senhora da Casa do Fijô, em Felgueiras e da Casa do Barreiro, em Canedo de Basto.
Em 1912, foi estudar para o Colégio de Lamego e, em 1918, matriculou-se na Universidade de Coimbra, pensando seguir a Marinha.
Tendo adoecido, interrompeu os estudos e empregou-se num Banco, no Porto. Mas o mundo das contas não se coadunava com o seu temperamento e a sua alma de poeta.
Em 1922, matriculou-se na Faculdade de Direito de Coimbra, tendo sido vice-presidente do C.A.C.D. (Centro Académico de Democracia Cristã), secretário da redacção da revista “Estudos” e membro das Conferências de São Vicente de Paulo.
Por esta altura, trocou correspondência com Joaquim Pereira Teixeira de Vasconcelos, mais conhecido por Teixeira de Pascoais, poeta amarantino que era seu parente e amigo. Nunca se encontraram, mas tinham uma grande admiração e estima um pelo outro. Teixeira de Pascoais diria, em carta a uma sua irmã, que Frei Bernardo de Vasconcelos foi o “maior e mais perfeito amigo que Deus me concedeu”.
Frei Bernardo de Vasconcelos foi herdeiro, juntamente com sua irmã D. Maria Bárbara Vaz Lobo Teixeira de Vasconcelos, da Casa de Valdesculca que, anos mais tarde, foi vendida.
Em 1924, entrou no mosteiro de Singeverga, fez o noviciado e professou no Mosteiro de Samos (Galiza) com o nome de Frei Bernardo da Anunciada. Iniciou os estudos de Teologia na Abadia de Mont-César, (Lovaina, Bélgica), em 1926, mas teve de regressar a Portugal por lhe ter sido diagnosticada a doença de Pott ou tuberculose vertebral.
Começou, nesta altura, um longo calvário de 6 anos, que Frei Bernardo de Vasconcelos suportou com grande resignação, no Hospital da Lapa, no Porto, em Matosinhos e na Falperra (Braga).
Faleceu em S. João da Foz do Douro, no dia 4 de Julho de 1932, três dias antes de completar 30 anos, não tendo chegado a realizar o seu grande desejo que era o de ser sacerdote.
Frei Bernardo de Vasconcelos foi sepultado no cemitério da Foz, sendo, depois, trasladado para o cemitério de Molares, Celorico de Basto, e aí depositado no jazigo do Padre Francisco de Almeida Barreto, o padre que tinha baptizado Frei Bernardo e amigo da família. Um ano depois, foi sepultado no interior da igreja paroquial de São Romão do Corgo. Durante a sua curta vida, Frei Bernardo de Vasconcelos escreveu vários artigos e poesias que foram publicados. Toda a sua obra é, essencialmente, mística e teológica, voltada para o espiritual, para Deus. Publicou As Nossas Festas, A Missa e a Vida Interior, A Vida de S. Bento contada às almas simples. Traduziu também o livro Vida na Paz de D. Idesbald van Houtryve.

Barragem de...


A três anos do inicio previsto para o inicio previsto da barragem de FRIDÃO, várias questões se colocam, os prós e contras a nivel ambiental, o efeito benificio/prejuizo entre outras. Uma duvida que tenho e muitas mais pessoas tambem a têm é o porquê de a barragem se designar como barragem de FRIDÃO e não FRIDÃO/CODESSOSO ou CODESSOSO/FRIDÃO, ou que tenha um nome neutro, porque a barragem no fundo banha as duas margens.A pergunta põe-se quais os critérios da escolha e porque só tem um nome?

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Chegou a electricidade Wireless


O fim dos cabos está cada vez mais próximo. Primeiro, chegaram o telefone e a internet sem fios e agora o televisor e não só. Uma inovadora tecnologia foi criada pela WiTricity Corporation e depende de uma teoria experimental desenvolvida em torno do método de transferência de energia por electricidade wireless. Entretanto, uma empresa chinesa já aposta em equipamentos que dependam deste novo engenho.


A WiTricity Corporation foi fundada em 2007 para comercializar esta nova tecnologia, inventada dois anos antes no Massachusetts Institute of Technology (MIT). O método inovador – em que campos magnéticos de dois dispositivos adequadamente projectados com frequências de ressonância podem ser combinadas num único campo magnético contínuo – foi validado em 2007 por uma equipa de físicos, liderada por Marin Soljačić, investigador do Laboratório de Electrónica do MIT.

O fenómeno possibilita a troca de energia de um dispositivo para outro com grande eficiência e a uma determinada distância. A transferência é feita via magnetismo e evita potenciais perigos a nível de segurança e ineficiências frequentemente associadas à energia electromagnética.

A equipa de Soljačić fez uma demonstração de transferência sem fio e verificou-se que é possível iluminar uma lâmpada de 60 watt a partir de uma fonte de energia localizada a mais de dois metros de distância. O resultado deste estudo foi publicado na Science, um ano depois.


Televisão sem fios (Imagem: WiTricity Corp.)
Tecnologia MIT comercializada

Entretanto, a Haier, um fabricante de electrodomésticos chinês, anunciou recentemente a criação do protótipo de um televisor de 81 centímetros (diagonal), capaz de se privar de qualquer conexão a outros sectores, ou seja, sem fios.

A Haier é a primeira a utilizar a WiTricity, a tecnologia de alimentação eléctrica sem cabos, desenvolvida pelo MIT, e que apenas depende de ressonância de campos magnéticos. A fonte de alimentação assemelha-se a um enorme rectângulo afixado numa parede – podendo ser confundida com um quadro.

A novidade não é apenas esta já que, consigo, a tecnologia (baptizada de Wireless Home Digital Interface) traz melhorias de som e imagem com alta definição e ainda ligação à internet. Segundo a empresa, o sinal pode ser propagado sem perdas até 30 metros, através de paredes e tectos. Contudo, a data de comercialização ainda não está definida

FIGURAS ILUSTRES DE AMARANTE/TEIREIRA DE PASCOAES



•Teixeira de Pascoaes, pseudónimo literário de Joaquim Pereira Teixeira de Vasconcelos, (Amarante, 2 de Novembro de 1877, 17h00 – 14 de Dezembro de 1952), foi um escritor português, poeta principalmente e um dos mais notáveis representantes do saudosismo. Em 1901 licenciou-se em Direito pela Universidade de Coimbra, mas apenas exerceu durante cerca de dez anos.

Com António Sérgio e Raul Proença foi um dos líderes do chamado movimento da “Renascença Portuguesa” e lançou em 1910 no Porto, juntamente com Leonardo Coimbra e Jaime Cortesão, a revista “A Águia”, principal órgão do movimento. Grande parte da sua vida foi passada no solar da sua família na Serra do Marão, onde cultivava a terra e escreveu muita da sua poesia contemplando a paisagem.





•Bibliografia (escritor e poeta)

•1895 -Embriões (poesia)
•1896 -Belo (poesia)-1ª parte
•1897 -Belo-2ª parte
•1898 -À minha alma e sempre (poesia)
•1899 -Profecia (poesia) - colaboração com Afonso Lopes Vieira
•1901 -À ventura (poesia)
•1903 -Jesús e Pan (poesia)
•1904 -Para a luz (poesia)
•1906 -Vida etérea (poesia)
•1907 -As sombras (poesia)
•1909 -Senhora da noite (poesia)
•1911 -Marânus (poesia)
•1912 -Regresso ao paraíso (poesia)
Elegias (poesia)
•1913 -O doido e a morte (poesia)
•1915 -A arte de ser português (prosa)
•1916 -A beira num relâmpago (prosa)
•1921 -O bailado (prosa)
Cantos indecisos (poesia)
•1923 -A nossa fome (prosa)
•1924 -A elegia do amor
O pobre tolo
•1925 -D. Carlos (poesia)
Cânticos (poesia)
Sonetos
•1926 -Jesús Cristo em Lisboa (peça de teatro) colaboração com Raul Brandão)
•1928 -Livro de memórias (autobiografia)
•1934 -S.Paulo (biografia romanceada)
•1936 -S. Jerónimo e a trovoada (biografia romanceada)
•1937 -O Homem universal (prosa)
•1940 -Napoleão (biografia romanceada)
•1942 -Camilo Castelo Branco o penitente (biografia romanceada)
Duplo passeio (prosa)
•1945 -Santo Agostinho (biografia romanceada)
•1949 -Versos pobres

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

A história de celorico de basto


Celorico de basto

Origens

Os mais antigos vestígios de povoamento do espaço geográfico actual do concelho de Celorico de Basto, revelados pela prospecção recente e intervenção pontual de contextos arqueológicos, são atribuíveis ao início do megalitismo, portanto ao Neolítico Médio (5.510 B.P.). Para este período pode apontar-se o grande conjunto de mamoas do Planalto da Lameira. Já o grande conjunto de habitats de fossas pode genericamente apontar-se para o período da idade do Bronze. Da Idade do Ferro destaca-se o povoado de Bouça de Mosqueiros, em Britelo, o Castro do Ladário, em Ribas, o Castro de Barrega, em Borba e o Castro de Ourilhe e outros de menor relevância. A Romanização está bem patente em Celorico de Basto e as marcas deste período encontam-se um pouco por todo o espaço concelhio.

O clima benigno, abundância de pastagens, boa água a jorrar das nascentes e cimo dum monte donde se pudesse lobrigar eventual inimigo, foram condições propícias à fixação dos homens primitivos nestas terras, quando começaram a trocar a vida nómada pela sedentária.

A Citânia do Ladário, a Estela de Vila Boa na freguesia do Rego, o Castelo de Arnóia e proximidades, os inúmeros vestígios arqueológicos do Planalto da Lameira, os restos dos castros em várias freguesias, representam sólido argumento a demonstrar que esta terra foi habitada há milhares de anos.

Toponímia

Alguns autores, porém, ao pretenderem explicar a etimologia da toponímia local dizem ter existido por estas bandas a famosa Celiobriga que foi cidade (brigum) dos povos celerinos (celio), donde terá resultado – toponimicamente – Celorico. Povos Bástulos ou Bastiandos que por aqui se teriam fixado, podem estar na origem do patronímico Basto. Estes e outros povos peninsulares devem ter ocupado extensas áreas, desde as vertentes do Tâmega, até aos montes de Barroso e de Ceva, que, no seu todo, vieram a ser conhecidas por Terra de Basto.

Retrato actual

Celorico de Basto é um concelho marcadamente rural, cujos traços profundos no território e na paisagem se devem à actividade agrícola, que dominou a ocupação das pessoas deste concelho até finais do século passado. A emigração permanente marcou igualmente o último século, numa primeira fase para o Brasil, nas décadas de 60 e 70 para França e mais tarde para a Suíça.

Celorico de Basto está hoje num processo de profundas mudanças. O aparelho económico tradicional está em profunda transformação. O sector primário, outrora dominante, é hoje praticamente residual. A produção de vinho verde ao longo do Vale do Tâmega e a pecuária nas freguesias de montanha, marcam a actividade agrícola. A construção civil, o comércio e os serviços são hoje os sectores empregadores do concelho.

A predominância da actividade agrícola e a estrutura fundiária assente na pequena propriedade de exploração por conta própria determinaram uma estreita relação espacial entre a habitação e o emprego, que se traduziu na extrema dispersão do parque habitacional. Hoje começam a ganhar expressão urbana os aglomerados da Sede do concelho, das Vilas de Fermil e de Gandarela e do aglomerado da Mota. Aqui se concentram grande parte dos equipamentos de utilização colectiva nos mais variados domínios.

A primitiva sede do concelho ficava localizada junto ao Castelo de Arnóia. Só em Abril de 1719 foi transferida para a freguesia de Britelo e com a designação de Vila Nova de Freixieiro. A expansão urbana da Vila tem sido acompanhada da criação de amplos espaços verdes e ajardinados, o que lhe confere um aspecto atraente e onde se desfruta de um conforto moderno.

Celorico de Basto está dotado de um vasto conjunto de equipamentos, dos quais se destaca a Biblioteca Municipal Professor Marcelo Rebelo de Sousa, sendo um dos espaços mais procurados.


fonte wikipedia

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

GENTE DA NOSSA TERRA/ALBINO ALVES PEREIRA


Natural de Arnoia, foi mandado muito cedo para o Brasil, onde conseguiu situação de destaque, mercê das suas qualidades e persistência. Novo ainda, adoeceu gravemente e veio para a Pátria, procurar alivio para os seus males. No hospital de S. José, onde recolheu, recebeu a visita de alguns conterrâneos entre os quais a do provedor do hospital, Comendador Justino Mota Ribeiro que ali foi expressamente visitá-lo. Em conversa, disse ignorar que havia um hospital na freguesia onde tinha nascido. De facto, este tinha sido votado quase ao abandono durante mais de 30 anos.
Prometeu fazer o que pudesse em seu favor, e assim, fez parte da Mesa do hospital de S. Bento de Arnoia, tendo deixado em testamento a esta instituição toda a fortuna. O inventário decorreu no Brasil recebendo o hospital quantia superior a 200 contos (1.000 euros) a maior doação que até essa altura (1920) recebera. Os juros durante dois anos, chegaram para fazer as indispensáveis obras de adaptação da antiga residência do pároco. Os restos mortais foram transladados de Lisboa para o cemitério de Arnoia, onde marca presença o busto em mármore de Albino Alves Pereira.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010


Esta imagem chama a atenção para a proximidade de uma escola e crianças que poderiam vir para a via pública,com a desertificação a que o interior está sujeito esta escola já não tem o número minimo de crianças para a frequentar,assim sendo as mesmas tem de se deslocar vários quilómetros para ter aulas,estamos a falar de crianças entre o 6 e9 a10 anos.A pergunta que se põe é:com tantos professores desempregados não seria bom as crianças nessas idades terem aulas perto de casa e assim reduzir o número de professores desempregados?Ou haverá outros interesses?
video

domingo, 10 de janeiro de 2010

ASSOCIATIVISMO


"O associativismo, nas suas múltiplas expressões, e em especial as colectividades de cultura, desporto e recreio, constituem uma poderosa realidade social e cultural. Para muitas centenas de milhares de portugueses, o associativismo constitui a única forma de acesso a actividades desportivas, culturais, recreativas, ou de acção social. Para além disso, é através do exercício do direito de associação por muitos cidadãos que são asseguradas formas de participação cívica da maior relevância.
É inquestionável que as associações promovem a integração social e assumem um papel determinante na promoção da cultura, do desporto, na área social, substituindo a própria intervenção do Estado. Porém, há cada vez maiores dificuldades para levar as pessoas a participar na vida associativa. Trabalhar por “carolice” não é fácil e muitos não querem assumir responsabilidades.



A verdade é que a prática associativa assenta na vontade dos indivíduos, sendo uma emergência social que não pode ser lida fora do seu contexto – a sociedade em que vivemos – porque não se trata de um fenómeno de geração espontânea, releva da vontade de uns tantos que tenazmente se opõem à corrente. E os exemplos são mais que muitos.

Acontece, porém, que como em tudo na vida, há que vencer a resistência à mudança, logo o associativismo requer aprendizagem, treino, interiorizarão de uma postura de partilha, sendo também entendido como uma questão cultural".


sábado, 9 de janeiro de 2010

A falsa sondagem

Existem pessoas que fazem sondagens simplesmente para agradar a quem lhes interessa, com o resultado sendo favoravel às pessoas ou à pessoa que lhes patrocina os eventos, omitindo assim a verdade para que venha o dobro do patrocinio e assim a verdade seja escondida e os reais vencedores não tenham o merecida vitória e homenagem será por já não estarem entre nós? Acredito que sim o dinheiro vale é mais importante que todos os feitos levados a cabo por pessoas que deram mais a esta terra doque o simples valor monetário, mas como já ca não estão a comptição não é igual o que é preciso é ter uns euros para gastar saba-se lá em quê e onde.Adivinhem que sondagem falseada estou a falar não é dificil pensar muito...o que interessa é agradar a quem nos possa ajudar.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Diabetes pode ser diagnosticada décadas antes de aparecer


Um estudo publicado no último número da “Archives of Pediactrics & Adolescent Medicine” abre caminho para travar o crescimento da diabetes tipo 2.

Conhecer quem corre um maior perigo de sofrer da doença é a forma de começar desde cedo com medidas de prevenção, que se resumem sobretudo a um estilo de vida saudável.

Os responsáveis pela investigação, do Hospital Infantil de Cincinnati, nos Estados Unidos, comprovaram que é possível prever o aparecimento da doença desde a pré-adolescência com indicadores simples e de utilização corrente nas consultas médicas.

Sabe-se que uma criança que não faça exercício físico e se alimente mal terá pior saúde quando for adulto e corre mais risco de sofrer de certas doenças, como a diabetes tipo 2. Mas há questões mais concretas, por exemplo: quando é que o excesso de peso é preocupante ou que implicações poderão surgir pela tensão arterial elevada?

Os investigadores observaram o estado de saúde de quase dois mil indivíduos quando tinham nove e 10 anos de idade e após nove e 26 anos. Nas análises observaram a tensão arterial, o Índice de Massa Corporal (IMC), a glicose no sangue, os antecedentes familiares desta patologia e os níveis de colesterol e triglicerídeos, entre outros parâmetros.

Prevenir pode ser solução

Finalizados os testes, os cientistas constataram a veracidade da sua hipótese inicial: os adultos que desenvolveram a patologia eram aqueles que tiveram piores pontuações nos marcadores estudados durante a sua infância.

Nem todas as ferramentas utilizadas se revelaram igualmente úteis. A tensão arterial, o IMC e os níveis de glicose e triglicerídeos e a existência de pelo menos um progenitor afectado foram os indicadores mais certos na hora de prever o desenvolvimento da diabetes tipo 2. As pessoas com um historial infantil saudável têm, ao fim de 30 anos, apenas um por cento do risco de padecer da doença.

Os autores consideram que os resultados deste estudo deveriam servir como mote para prevenir a diabetes tipo 2 desde a infância e aconselham os pediatras a por em marcha as medidas de prevenção baseadas na dieta, exercício físico e até mesmo medicação, em casos em que a tensão e as análises de sangue prognostiquem um risco mais elevado.

Segundo o mesmo estudo, é ainda necessária uma atenção especial às crianças obesas com familiares directos que sofram da patologia e aos indivíduos negros, já que se observou que têm uma maior predisposição para desenvolver a diabetes tipo 2.

ANO NOVO AMBIENTE MAIS LIMPO

Desde o inicio do ano, por coincidencia ou pelo alerta lançado por nós, devido ao tempo excessivo que estava a ser levado para serem removidos cartazes ainda existes alusivos à campanha eleitoral para as eleições autárquicas,esses cartazes foram retirados, assim o ambiente agradece e este alerta teve um final feliz.Vamos continuar a fazer denuncias de casos que estejam mal e precisem de resolução esperando contribuir para uma melhor qualidade de vida e uma rápida resolução dos mesmos.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Já é possível misturar água br e azeite

Já é possível misturar água br e azeite

A NOSSA HISTÓRIA


Erguendo-se no topo de uma elevação, situada entre Arnóia e Moreira, no concelho de Celorico de Basto, situa-se o Castelo de Arnóia, também conhecido por Castelo dos Mouros e Castelo de Moreira.
A época da sua construção remonta ao séc. XI / XIII. Presume-se que a sua localização e importância esteja relacionada com o Mosteiro de Arnóia, mosteiro beneditino estabelecido na região no século XI.
O Castelo de Arnóia foi um importante castelo cabeça de terra. As Inquirições de 1258 já se referem a certos casais dos arredores (Arnóia, Caçarilhe, Carvalho) que tinham a obrigação de dar os cães para a guarda do castelo, de os alimentar e de preparar a cal para sua reparação. Situado no topo de uma elevação, a sua implantação recorreu a desaterros artificiais a fim de dificultar a acessibilidade.
Este Castelo é constituído por uma Torre de Menagem de planta quadrangular, protegida por um recinto muralhado, de planta poligonal, de silharia, fechado com um portal de verga recta e reforçada do lado Norte por um forte cubelo.
A Torre, acessível através de escadas exteriores construídas nos anos 70, tem dois andares, com acesso ao telhado através de uma escada interior. No interior do Pátio existe uma cisterna.
No sopé do Castelo desenvolveu-se a povoação de Aldeia do Castelo, que foi sede de concelho, com Casa da Câmara, Pelourinho e Cadeia. No monte fronteiro ao Castelo situa-se a Forca, que tal como o Pelourinho, foram restaurados nos anos 60.
O local tem sido referido como tendo ocupação romana, mas esta não está documentada.

sábado, 2 de janeiro de 2010

PERIGO DE QUEDA







Estas imagens mostram pinheiros que estão situados por detrás da baliza do campo de futebol, a cerca de 5 metros de uma casa, com a queda de ramos e caruma que vai encomodar o proprietário podendo partir alguns objectos de valor que tem na sua propriedade, será que é necessario por causas naturais haver a queda de alguma destas arvores e por consequência trazer danos muito mais avultados ou o proprietário do terreno onde se situam os pinheiros vai evitar que isso aconteça procedendo ao corte das arvores que possam prejudicar gravemente o vizinho de tão prezado recinto desportivo que é propriedade do nosso ilustre Grupo Desportivo de Codessoso? É a pergunta que se inpõe ou será que só das tragédias acontecerem é que o problema é resolvido? Fica o alerta!

Mas nem tudo é mau com o novo ano temos a saudar o aparecimento de uma nova colonia de coelhos bravos como se podem ver pelos vestigios que existem no mesmo campo...pelo menos de quando em vez aparecem boas noticias!

Publicação em destaque

A tosse de fumador pode esconder problemas de saúde graves

http://ptjornal.com/a-tosse-de-fumante-pode-esconder-problemas-de-saude-graves-62045