domingo, 29 de dezembro de 2013

Coimbra: Jovens recebem quartos e idosos um amigo

Coimbra: Jovens recebem quartos e idosos um amigo
© Lusa

Os idosos ganham uma nova companhia e os estudantes recebem alojamento gratuito além de terem oportunidade de trocar experiências com os mais velhos. Um projeto de solidariedade, em Coimbra, que aproxima gerações.
 
O projeto Lado a Lado, criado em Janeiro de 2009, numa parceria entre a Associação Académica de Coimbra e o Centro de Acolhimento João Paulo II, começou a ter maior procura em 2013, tendo neste momento 11 estudantes e dez idosos no programa.
 
A crise motivou o aumento dos interessados num programa que, como o nome indica, assenta numa ideia de troca entre as duas gerações, havendo uma avaliação socioeconómica e psicológica antes de os estudantes ficarem alojados.

O estudante da Faculdade de Letras, António Cucu, vive, desde Outubro, na casa de Francisco Moura, de 86 anos, que diz estar a "gostar da experiência" e, apesar de com a sua idade se ir perdendo "muita coisa", garante que não é "capaz de estar quieto".
 
"A principal motivação foi a falta de alojamento. Quando soube que vinha para Coimbra, estava preocupado com a questão do alojamento, porque é caríssimo arranjar um quarto", explicou António Cucu, de 18 anos, que também se sentiu motivado por "ajudar uma pessoa que precisa de mais companhia".
 
Sobre a experiência, António diz que é como estar "em casa com alguém de família". Chega da faculdade, põe num canal de informação e ficam os dois a ver televisão e a comentar as notícias que surgem.
 
Uma pessoa idosa "não deixa de ser uma pessoa, não deixa de achar graça a determinadas coisas, não deixa de estar interessada nas coisas e, acima de tudo, não deixa de gostar de conversar e de estar com os outros, independentemente da faixa etária da outra pessoa", salientou.
 
"O senhor Francisco é o meu companheiro de casa. Não é um estudante, mas é como se fosse", diz António Cucu, afirmando que rapidamente simpatizaram um com o outro.

"Um ambiente de amizade"
 
Perto da casa de Francisco, vive Alice Almeida, de 85 anos, agora com a companhia das estudantes Catarina e Yvette. As filhas não a queriam ver sozinha, os médicos também não e, por isso, decidiu aderir à iniciativa.
 
"Elas já são minhas amigas. Respeitam-me, ajudam-me quando preciso, têm sempre cuidados comigo, que às vezes eu esqueço-me sempre da minha amiga bengala", contou Alice Almeida, que, estando habituada, noutros tempos, a ter os sete filhos em casa, sabe-lhe bem ter alguma companhia no seu apartamento.
 
"É um ambiente de amizade. Eu tenho descontração para me meter com a Alice e com a Yvette e estamos sempre a brincar", disse Catarina Peixoto, de 19 anos, que está naquela casa desde novembro.
 
Alice entra nas brincadeiras das duas estudantes e estas ouvem-na, não faltando assuntos para falar, ficando as três, por vezes, depois de almoço, "a conversar e a conversar" tarde dentro.
 
Yvette Koabigh, estudante dos Camarões a viver há 14 meses em Portugal, fica com Alice quando tem que comer o almoço e, à noite, janta com ela, dá-lhe os comprimidos e ajuda-a a vestir para ir para a cama.
 
"Aqui, não tenho família, nem nada. Só tenho amigos", contou Yvette, explicando que o apartamento de Alice é como a sua "outra casa" - "a minha nova família portuguesa".
 
boasnoticias.pt

O Motociclista mais sortudo deste planeta!

O momento em que Mourinho deu prejuízo no FCPorto!

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

the X factor


Estudo revela como ler influencia a atividade cerebral

Estudo revela como ler influencia a atividade cerebral
Uma equipa de investigadores da Universidade de Emory, nos EUA, descobriu de que forma é que um livro e uma boa história influenciam o nosso cérebro. Segundo o estudo, os efeitos da leitura afetam a biologia do cérebro de cada um, durante vários dias, depois de ler um romance.
 
Os resultados da investigação dão conta de alterações ao nível das ligações do cérebro durante os períodos de repouso que, depois de ler um romance, teimam em persistir.
 
"Há histórias que moldam as nossas vidas. Nalguns casos, elas ajudam as pessoas a definir a sua identidade", afirma o neurocientista Gregory Berns, líder da investigação e diretor do Emory's Center for Neuropolicy. "Queremos saber como é que as histórias entram no nosso cérebro e que efeitos têm nele".
 
A pesquisa teve por base o uso de imagens obtidas por ressonância magnética (fMRI) e começou por identificar os diferentes esquemas de atividade do cérebro durante os períodos de leitura. Mais tarde, focou-se nos efeitos neurológicos consequentes da leitura de uma narrativa, tendo como amostra de estudo 21 estudantes universitários e o livro 'Pompeia', de Robert Harris, como exemplo experimental.
 
A escolha da obra teve em conta a forte linha narrativa e revirar de acontecimentos presentes naquele que é um relato real da erupção do Monte Vesúvio, em Itália. "A história acompanha um protagonista que se encontra fora da cidade de Pompeia e que, ao dar conta de várias coisas estranhas que começam a acontecer à volta do vulcão, tenta voltar para dentro da vila para salvar a mulher pela qual está apaixonado. Entretanto o vulcão entra em erupção", resume o responsável.
 
Cada um dos participantes foi submetido a exames de fMRI ao cérebro, antes e depois da leitura. Os mesmos eram examinados pela manhã e incutidos de ler um excerto de várias páginas, todos os dias, à tarde. Para confirmar se tinham, efetivamente, lido a secção pretendida do livro, os participantes tinham de responder a um conjunto de perguntas sobre a mesma, antes de serem novamente examinados, já com o cérebro em período de descanso.
 
Depois de lida a obra completa, os estudantes foram submetidos a ressonâncias magnéticas durante mais cinco dias, para determinar, afinal, qual o verdadeiro impacto da história ao nível do seu cérebro. Os resultados deram conta do fortalecimento da conectividade cerebral na zona do córtex temporal esquerdo, associada à recetividade e aprendizagem das línguas.
 
Também no sulco central do cérebro, onde se encontra o motor sensorial primário, se verificou uma atividade cerebral mais intensa. Esta zona é responsável pela representatividade de sensações ao nível do corpo.

"Demos conta de mudanças neurológicas associadas às sensações físicas e aos sistemas de movimento, o que sugere que a leitura de um romance pode, efetivamente, transportar-nos para dentro do corpo do protagonista", refere Berns.

Saiba mais AQUI.
 
boasnoticias.pt

Raul, o pior concorrente que já passou pela TV Portuguesa!

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Tecnologia 'made in Bragança' revoluciona radiodifusão

Tecnologia 'made in Bragança' revoluciona radiodifusão
Um português desenvolveu um dispositivo que promete revolucionar o modo como se resolvem, remotamente, os problemas de radiodifusão. Pensada em parceira com o Instituto Politécnico de Bragança, a inovadora tecnologia reduz os custos e as falhas de emissão das rádios.
 
Depois de percorrer mais de dois milhões de quilómetros o equivalente a 50 voltas ao Mundo - a tratar de antenas, Rui Paulo Pereira quis arranjar uma solução para o tempo que despendia para, muitas vezes, carregar apenas num botão e devolver a emissão às rádios.
 
O resultado foi a 'Alarm Box', o dispositivo 'made in Bragança' que o técnico de emissores de radiodifusão visa internacionalizar, arrancando com a sua comercialização no prazo de um ano. Depois de feitas demonstrações a "quase todas as rádios nacionais" e uma empresa espanhola do setor", a reação "é de alguma surpresa" quando são informados de que o equipamento é 'made in Portugal/Bragança'.
 
Por isso mesmo, Rui Paulo Pereira acredita que o 'Alarm Box' tem potencial para conquistar o mercado além-fronteiras, com aquela que foi também a primeira patente alguma vez desenvolvida no Gabinete de Empreendedorismo do instituto transmontano. "Há milhares de rádios espalhadas por todo o mundo, mas a minha maior expectativa é em relação aos mercados do Brasil, Espanha e França", revela o técnico radiofónico.
 
O segredo da tecnologia lusa é que, segundo Rui Paulo, a mesma consiste num aparelho que "faz tudo, enquanto que os outros fazem uma coisa cada um". Para que funcione, basta colocá-lo no centro emissor que comunica com o técnico através de uma aplicação Android desenvolvida para o efeito, que permite resolver falhas através de um simples SMS.
 
Esta última foi criada por uma equipa de informática e eletromecânica do Instituto Politécnico de Bragança, constituída por Pedro Rodrigues, Gertúlio Igrejas e David Branco, que lhe quiseram incutir um cunho pessoal na parte da componente da inteligência artificial.
 
A investigação teve sempre como objetivo dar resposta "às necessidades de solucionar remotamente os problemas". Como tal, uma das inovações que o equipamento apresenta é o facto de conseguir "fazer a análise do áudio e averiguar se está a funcionar erraticamente, ou seja, se há ou não ruído".
 
Rui Paulo diz-se consciente de que, com esta invenção, "pode estar a reduzir emprego" entre técnicos como ele, mas que, por outro lado, "também está a criar emprego" nas empresas que venham a produzir o equipamento.
 
Ainda assim o técnico lembra que a 'Alarm Box' vem reduzir os custos das empresa de radiodifusão e  facilitar, sobretudo, a vida aos profissionais que vão continuar a ser necessários para a manutenção dos centros emissores.
 
Antes, o profissional com 24 anos de carreira na área da radiodifusão lembra que chegou a ter de ir de Bragança ao Algarve "para, em apenas uns minutos, fazer 'reset'num botão", um exemplo de como o novo dispositivo compensa. "Poupa não ter que ir lá e as estações emissoras não ficarem sem emissão", conclui.
 
boasnoticias.pt

The Showbears - Cromos no Britains Got Talent 2012

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Mensagem de Boas festas

A todos os seguidores e leitores deste blogue desejo um bom Natal e um ano de 2014, muito positivo. Abraços

Paciente recebeu primeiro coração artificial do mundo

Paciente recebeu primeiro coração artificial do mundo
Segundo os especialistas, o coração artificial imita totalmente um coração humano normal, com dois ventrículos que movimentam o sangue como faria o músculo cardíaco. © AP

Pela primeira vez na história da medicina internacional, um paciente recebeu, na quarta-feira, um coração artificial autónomo. Concebido pela empresa francesa Carmat, o órgão foi implantado num homem que sofria de insuficiência cardíaca terminal por uma equipa de especialistas do hospital Georges Pompidou, em Paris, França.
 
O anúncio foi feito na passada sexta-feira pela empresa que criou este coração artificial, que realçou, em comunicado citado pela AFP, que a intervenção que resultou no implante do coração corresponde a um feito inédito em todo o mundo.
 
"Este primeiro implante foi realizado de forma satisfatória (...). O paciente encontra-se, atualmente, sob vigilância e nos cuidados intensivos, está acordado e fala com a família", revelaram os responsáveis da companhia.
 
Foi no final de Setembro que as autoridades de saúde francesas deram luz verde para que os especialistas avançassem com a cirurgia, que abre novas perspetivas a pacientes condenados devido à escassez de órgãos disponíveis para transplante.
 
As condições propostas pelas autoridades sanitárias daquele país estabeleciam que o paciente que recebeu o implante, cuja identidade não foi divulgada, teria de sofrer de insuficiência cardíaca terminal, com um prognóstico vital comprometido e sem alternativa terapêutica.
 
Apesar do sucesso, a equipa está cautelosa. "Estamos a comemorar este primeiro implante, mas seria prematuro tirar conclusões, já que se trata de um único implante e de um pós-operatório ainda muito breve", alertou Marcello Conviti, diretor-geral da Carmat.

Outros hospitais do mundo já estão prontos para realizar implante
 
De acordo com a empresa, este implante, construído com recurso a bases científicas "sólidas", possui "uma funcionalidade e durabilidade exemplares", sendo particularmente indicado para os pacientes idosos, que não podem esperar muito tempo por um transplante.
 
"[O coração artificial] imita totalmente um coração humano normal, com dois ventrículos que movimentam o sangue como faria o músculo cardíaco, com sensores que permitem acelerar o coração, desacelerar, aumentar a cadência, diminuir a cadência", tinha ilustrado, em Setembro, o médico e co-fundador da Carmat Philippe Pouletty.
 
"O doente dorme, [o ritmo cardíaco] diminui. Sobe escadas, acelera. Portanto, nada tem a ver com uma bomba mecânica", acrescentou Pouletty.
 
A Carmat, fundada pelo cirurgião francês Alain Carpentier, que se celebrizou por ter inventado as válvulas cardíacas Carpentier-Edwards, ambiciona atenuar a falta de órgãos para transplante que diminui a esperança de milhares de pessoas com insuficiência cardíaca avançada.
 
A companhia acredita que este coração artificial tem potencial para salvar, por ano, dezenas de milhares de vidas, sem risco de rejeição e garantindo aos pacientes uma qualidade de vida sem precedentes.
 
Além de França, outros hospitais já estão equipados para realizar operações do género, nomeadamente na Bélgica, Polónia, Eslovénia e Arábia Saudita.
 
boasnoticias.pt 

domingo, 22 de dezembro de 2013

Anúncio que está a chocar o mundo! Mexicanos colocam crianças a fazer coisas de adultos!

Secretária assina contrato de sexo semanal com vereador

Um vereador de Abruzzo (Itália) foi indiciado por ter assinado com a secretária um contrato que a obrigava a fazer sexo com ele “pelo menos quatro vezes por mês”. Em troca, Lucia Zingariello foi agraciada com um vencimento de 36 mil euros anuais.
Luigi de Fanis (foto ao lado/Divulgação), de 53 anos, e Lucia, de 32, já estavam a ser investigados por fraude e corrupção quando o escândalo sexual veio à tona. Os agentes encontraram o contrato rasgado em pedaços quando vasculhavam a residência do vereador. Eles conseguiram colar as partes e recuperar o documento, de acordo com “La Repubblica”.
Lucia admitiu ter honrado semanalmente o contrato, mas alegou que um problema financeiro a levara a concordar com a proposta do vereador.
“Ele tinha obsessão por mim. Eu não achei que estivesse a fazer algo errado. Agora, a minha vida virou um pesadelo”, disse a secretária, que está em prisão domiciliaria.


arcodavelha.eu

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Oficina portuguesa distinguida em concurso internacional

Oficina portuguesa distinguida em concurso internacional
© Auto Serápio

Sediada em Odemira, a oficina Auto Serápio, mereceu um lugar de destaque no concurso internacional "Masterpieces 2014", graças ao restauro total de um Opel Olímpia do ano de 1961.

A recuperação deste automóvel foi uma das 12 seleccionadas pelo concurso promovido pela empresa alemã Spies Hecker, fabricante de tintas e especializada em pintura automóvel. 
 
Na sua página de Facebook, a oficina lusa sediada em Odemiraconta que participou contra mais de 60 países.

Agora, a fotografia do restauro, realizado pelos profissionais António, Carlos e Luís Serápio, será incluída no mês de Março do calendário da empresa do próximo ano.
 
O concurso foi aberto a todas as oficinas que trabalham com os produtos da Spies Hecker e tem o objectivo de, anualmente, reconhecer os melhores trabalhos de pintura.
 
boasnoticias.pt

Coleira traduz latidos caninos para linguagem humana

Coleira traduz latidos caninos para linguagem humana
Uma equipa de investigadores e empreendedores suecos desenvolveu aquela que é a primeira coleira capaz de traduzir para linguagem humana o que um cão está a dizer conforme ladra. Pelo nome 'No More Woof', o protótipo desta inovação foi apresentado esta segunda-feira ao mundo na forma numa campanha na plataforma de 'crowdfunding' Indiegogo.
 
O objetivo era angariar um total de 10.000 dólares durante os próximos 60 dias, por forma a conseguir passar da fase de protótipo para a de desenvolvimento e comercialização. Consoante os donativos, que podem variar entre os 5 e os 5.000 dólares, a equipa oferece prémios. No entanto, o inédito aparelho já se tornou um autêntico fenómeno e, num espaço de uma semana, já ultrapassou o valor inicial pretendido, somando já 10.365 dólares.
 
Na apresentação do produto, a equipa explica que o mesmo se trata de um "pequeno gadget em forma de coleira, que utiliza a mais recente tecnologia em micro computação, EEG (eletroencefalograma) e software BCI (Brain Computer Interface) para analisar os padrões de pensamento animal e traduzi-los em linguagem humana, através de um altifalante".
 
Segundo explicam, o novo aparelho só se tornou uma realidade devido aos grandes avanços que aconteceram na última década e que permitiram elaborar 'mapas' do cérebro e das suas funções.


"Entre os padrões identificados nos latidos encontrámos o 'Estou cansado' e 'Tenho fome'. Além disso, verificámos uma intensa actividade cerebral quando um cão vê uma cara nova e se pergunta 'Quem és tu?'", avançam os autores, que conseguiram ainda perceber um outro padrão muito frequente, associado à vontade de urinar de um canino e, como tal, à frase 'Quero fazer chichi'.

Já com financiamento para arrancar para a fase de desenvolvimento, o 'No More Woolf' está pensado para diferentes versões, desde uma mais básica que apenas consegue identificar dois a três latidos do cão - que se referem a fome, sono ou desconfiança - a outras mais complexas que irão permitir longas conversas com o animal.
 
Ainda assim, por estar muito no início, o gadget canino, capaz de traduzir latidos para inglês, ainda não tem previsão de lançamento no mercado.

Acompanhe o projeto 'No More Woof' AQUI, na campanha da plataforma de 'crowdfunding' Indiegogo, e AQUI, no site do produto.
 
boasnoticias.pt

Búlgaro gasta até ao ultimo cêntimo para destruir casa entes de a entregar ao banco

Um homem da cidade de Lovech na Bulgária que não podia pagar a hipoteca da sua casa gastou os seus último cêntimos para demolir a sua casa antes desta ser entregue ao banco.
Esta família búlgara estava a passar por uma situação financeira difícil e tinha dívidas ao banco. Então, toda a família foi ao gabinete do gerente do banco para pedir clemência. O banco foi implacável e apesar das lágrimas da família este apenas lhes disse que não podia abrir exceções e deu à família uma semana para esvaziar a casa.
Ora, o terreno em que a casa foi construída não estava incluído na hipoteca, pelo que a família optou por destruir a casa! Mais, mais. Decidiu ainda entregá-la ao seu novo proprietário, o banco. Assim sendo a família enviou, de camião, os destroços da casa para o Banco localizado na cidade de Teteven, local onde o contrato de hipoteca havia sido assinado.


arcodavelha.eu

Comandante atrasa voo durante 2 horas e meia à espera de… sandes!

O comandante de um avião da Pakistan International Airlines, que deveria partir de Lahore (Paquistão) e vijar até  Nova York (EUA), decidiu atrasar por duas horas e meia a decolagem após descobrir que não seriam servidas sandes a bordo.
A empresa responsável pelos alimentos do serviço de bordo levara almoço, amendoins, batatas fritas e biscoitos. Mas o comandante Noushad queria sandes.
Um representante da empresa que fornece a alimentação disse que o menu havia sido aprovado pela empresa sem a inclusão de sanduíches. Para obter o que Noushad desejava, a companhia teria que fazer um pedido especial a um hotel cinco estrelas de Lahore, o que demoraria mais de duas horas, informou o “Indian Times”.
O comandante disse que não importava o quanto demorasse, ele queria ter sandes a bordo. E assim foi feito. As sandes foram trazidos do hotel. Com atraso de duas horas e meia, o avião decolou.

arcodavelha.eu

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Cientistas conseguem reverter processo de envelhecimento

Cientistas conseguem reverter processo de envelhecimento
Uma investigação internacional, na qual participaram cientistas do Centro de Neurociências e Biologia Celular de Coimbra, dá a conhecer que há "processos reversíveis envolvidos no envelhecimento".
 
Liderado pelo biólogo David Sinclair, da Harvard Medical School, em Boston, nos EUA, o estudo foi feito com "ratos sujeitos a um processo de envelhecimento até 30 meses" e incidiu sobre as mitocôndrias, "organelos que vivem dentro das nossas células e fabricam a energia essencial no organismo para a realização de funções vitais".
 
Já identificadas como "atores principais no envelhecimento", as mitocôndrias têm vindo a ser alvo de diferentes tipos de análise por especialistas de todo o mundo. Agora, a equipa onde também estão presentes investigadores portugueses conseguiu verificar que, aquilo que "acelera o envelhecimento é a diminuição dos níveis de NAD+ (nicotinamida adenina)".
 
Em comunicado citado pela Lusa, a Universidade de Coimbra explica que essa redução de NAD+ dá origem a uma quebra na "comunicação entre o núcleo e a mitocôndria da célula", que se realiza através de um "processo que envolve as sirtuínas (proteínas)", determinantes na regulação do "agente responsável pela recuperação da comunicação intercelular".
 
No entanto, ao ser administrado um "composto endógeno, que permite que as células reponham os níveis de NAD+", a comunicação núcleo-mitocôndria era reparada, juntamente com todas as funções mitocondriais.
 
De forma resumida, os investigadores sustentam ter conseguido "voltar a ligar o interruptor para reativar as funções comprometidas durante o processo de envelhecimento", aludindo à a história contada n' "O Estranho Caso de Benjamin Button", onde um bebé invulgar com aparência e doenças de um indivíduo de 80 anos rejuvenesce com o passar do tempo.
 
"É uma anologia interessante, mas que ainda está longe da realidade", dizem os especialistas."O que o estudo revela é a reversão de alguns processos envolvidos no envelhecimento, não uma inversão da velhice à infância", sublinham, adiantando que "as experiências revelaram que um ratinho de 30 meses passa a apresentar características funcionais de um ratinho de seis meses, tendo por referência os parâmetros avaliados.
 
Ainda assim, a equipa envolvida na avaliação da função mitocondrial alerta que "ainda são necessários muito mais estudos para verificar o impacto, muito promissor, dos resultados desta pesquisa, quer nas patologias relacionadas com o envelhecimento, quer no cancro, diabetes" e outras doenças.
 
boasnoticias.pt

Jovem que vive só desde os 5 anos emociona plateia e juri em programa de talentos Coreano

O momento em que um politico português pede um copo de vinho!

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

ESA nomeia consórcio português para novo projeto

ESA nomeia consórcio português para novo projeto
A Agência Espacial Europeia (ESA) elegeu um consórcio nacional para desenvolver a sua nova geração de sistemas de proteção térmica. O mesmo visa a simplificação do processo de reentrada de cápsulas espaciais na Terra e vai ter por base o uso da cortiça.
 
Entre o consórcio luso selecionado encontram-se a Amorim Cork Composites, da Corticeira Amorim, a Critical Materials S.A. (CMT), o PIEP - Polo de Inovação em Engenharia de Polímeros, e o ISQ - Instituto de Soldadura e Qualidade.

Em conjunto, as mesmas vão ficar responsáveis pelo projeto cTPS - Design of a Crushable TPS for the ERC, ou seja, pelo desenvolvimento de um sistema inovador que irá exercer, simultaneamente, funções estruturais e térmicas, e simplificar o processo de reentrada de cápsulas espaciais na Terra.
 
O objetivo é combinar a capacidade de absorção de energia de impacto na aterragem vai ser com a capacidade de sustentação das cargas térmicas geradas durante a reentrada na atmosfera terrestre. Para isso, a nova solução terá por base um inovador material compósito feito com cortiça, que permite que a nave se adapte, com sucesso, à entrada em órbita e subsequente descida na superfície do planeta.
 
O resultado é uma solução de elevado desempenho, que permite simplificações significativas nos módulos de reentrada, diminuindo o seu custo e aumentando a sua fiabilidade. 
 
boasnoticias.pt

Marcação de estradas ao estilo russo(original sem dúvida)

Rebuçados que prometiam “curar gays” e com “sabor a pénis” foram retiradas do mercado

Os rebuçados Gay Away, vendidos nos Estados Unidos e Canadá, e que tinham a intenção de “curar a homossexualidade” foram retirados das lojas, informou a CBS .
O que parecia uma brincadeira e começou como uma brincadeira, terminou com uma enorme controvérsia.
A pressão dos pais obrigaram a dona da loja a livrar-se do produto controverso, de acordo com a cadeia CBC News Canadá.
Os pacotes dos Gay Away: The Original Gay Pill  foram localizados nas mesmas secções com outras brincadeiras. Na caixa, podiam ler-se palavras de ordem como “Cura da homossexualidade” e “Pára o desejo de mau comportamento”, e ainda  ”Sabor a pénis”. Dentro da caixa encontravam-se  dez rebuçados.
Tudo não passou de uma piada/brincadeira da dona da loja, mas os clientes(sobretudo os pais das crianças das redondezas) não acharam piada nenhuma. Para além da protecção das crianças, outras pessoas também acharam uma ofensa à comunidade gay.
O dono da loja disse à CBC News que já havia retirado a sua brincadeira das parteleiras após ter recebido vários telefonemas de pais preocupados. Rachelle Mistelbacher pediu desculpas e reconheceu que a venda de Gay Away na sua loja foi um erro.

arcodavelha.eu

Bruno ferreira(edição extra/bestof) emitações


terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Cérebro: Música ajuda a recuperar memória após lesões

Cérebro: Música ajuda a recuperar memória após lesões
A música - em particular a música pop - pode ajudar os pacientes que sofreram graves lesões cerebrais a recuperar as suas memórias pessoais autobiográficas. A conclusão é de um novo estudo desenvolvido por dois investigadores das universidades de Lille, em França, e Newcastle, na Austrália.
 
Embora a investigação apenas tenha coberto um pequeno número de casos, foi a primeira de sempre a debruçar-se sobre as "memórias autobiográficas invocadas pela música" (a que os autores dão o nome de MEAMs) em pacientes com lesões cerebrais adquiridas e não em indivíduos saudáveis ou com doenças neurodegenerativas como o Alzheimer.
 
Ao longo do estudo, recentemente publicado pela Taylor & Francis, os especialistas Amee Baird and Séverine Samson reproduziram aleatoriamente extractos de 100 canções que ocuparam a primeira posição do top "Billboard Hot 100" a cinco pacientes com lesões cerebrais.
 
As mesmas músicas, que tinham feito parte da vida dos voluntários desde os cinco anos de idade, foram também ouvidas por cinco indivíduos saudáveis do grupo de controlo e foi pedido aos membros dos dois grupos que comunicassem o quão familiar era cada canção, se gostavam ou não de a ouvir e que memórias invocava.
 
Baird e Samson concluíram que a frequência de memórias autobiográficas "recuperadas" graças à música foi semelhante para os elementos dos dois grupos (38%-71% para o grupo de pacientes com lesões, 48%-71% para o grupo de controlo), sendo que a maioria dessas memórias diziam respeito a uma ou mais pessoas e a um período da vida e eram, em geral, memórias positivas.

Além disso, as canções que invocavam uma memória nos pacientes foram descritas pelos mesmos como mais familiares e mais apreciadas.
 
"Os resultados sugerem que a música é um estímulo efetivo para a recuperação das memórias autobiográficas e pode ser benéfica na reabilitação de problemas como a amnésia autobiográfica, embora somente em pacientes sem um déficit fundamental na capacidade de relembrar eventos passados e com uma percepção intacta da intensidade do som", explicam os autores.
 
Os investigadores esperam que este trabalho incentive outros especialistas a desenvolver estudos mais aprofundados acerca das memórias autobiográficas invocadas pela música em populações com lesões cerebrais mais amplas e também em indivíduos saudáveis ou com diferentes patologias neurológicas.
 
O objetivo será aprender mais sobre a relação clara que existe entre a memória, a música e a emoção de forma a que, no futuro, seja possível "compreender completamente os mecanismos inerentes ao efeito único que a música tem na melhoria da memória".
 
Clique AQUI para aceder ao estudo completo (em inglês).
 
boasnoticias.pt

Portugueses protagonizam avanços no combate à dengue

Portugueses protagonizam avanços no combate à dengue
Uma equipa de investigadores portugueses descobriu que uma bactéria capaz de proteger os insetos de várias doenças pode ser também utilizada no controlo de doenças transmitidas pelos mosquitos como é, por exemplo, o caso da dengue e da malária.
 
O estudo foi levado a cabo por especialistas do Instituto Gulbenkian de Ciência, que analisaram a interação dessa mesma bactéria com o seu hospedeiro natural (insetos), chegando à conclusão de que a mesma pode variar geneticamente, protegendo-o em maior ou menor grau.
 
Os resultados revelam que aquelas que mais protegem são também aquelas que mais rapidamente 'matam' o hospedeiro, o que, segundo Luís Teixeira, investigador principal daquela entidade, pode ajudar a escolher a melhor bactéria para combater doenças como a dengue e a malária, entre outras transmitidas pelo mosquito.
 
De acordo com o especialista, o processo gira todo em torno da bactéria 'Wolbachia', que reside, naturalmente, em 70% dos insetos. Há cinco anos, a equipa de Luís Teixeira tinha já dado conta de que a mesma protegia os hospedeiros de infeções virais e que, protegendo, por exemplo, um mosquito de vírus como o da dengue, esse indivíduo vai ter menos probabilidade de infetar um ser humano quando o picar.
 
Desde então que têm sido feitos estudos, sendo que, até agora, foram identificadas cinco estirpes de 'Wolbachia'. As conclusões dão conta de que há variantes da bactéria que protegem melhor os insetos de infeções virais mas que as mesmas, ao mesmo tempo, provocavam uma morte mais precoce. Pelo contrário, as variantes menos protetoras são as que permitem uma esperança de vida superior.
 
"Estes resultados ajudam a compreender a evolução da 'Wolbachia' na natureza e abrem caminho para a identificação das melhores estirpes a serem utilizadas no biocontrolo de doenças transmitidas por mosquitos", lê-se no comunicado do Instituto Gulbenkian de Ciência, citado pela Lusa.
 
O próximo passo está já a ser estudado e visa descobrir uma forma de introduzir os mosquitos infetados com 'Wolbachia' na natureza, uma vez que a mesma "tem a particularidade de manipular o organismo que infeta, pelo que pode espalhar-se por toda a população".
 
Depois de acompanhar a sua evolução, o objetivo passa por conseguir disseminar a "bactéria ótima" entre os mosquitos, por forma a combater a dengue e outras doenças infecciosas.
 
boasnoticias.pt

Hugo Almeida expulso por... pontapear adepto!

Guia para recém-casadas escrito por mulher: ‘Sejam submissas’

“Case e seja submissa” é o título do livro da italiana Costanza Miriano (na foto) , de 43 anos. A autora é uma católica devota, casada e com quatro filhos. O guia é inspirado nos ensinamentos de São Paulo na Bíblia e em “casamentos bem-sucedidos” – o dela e o de amigos.
Em linhas gerais, o livro, que virou bestseller na Itália e na Espanha, defende que as mulheres sejam “fiéis e obedientes” ao marido.
“É verdade, você ainda não é uma cozinheira experiente ou uma perfeita dona de casa. Qual é o problema se ele (o marido) lhe disser isso? Diga-lhe que ele que está certo, que isso é verdade, que você vai aprender. Perceber a sua doçura e a sua humildade, o seu esforço para mudar, fará com que ele mude também”, escreveu a italiana.
Costanza diz ainda: “Nós, mulheres, gostamos da humilhação porque é para um bem maior”. Mas a italiana garante que o texto não tem a intenção de incitar a violência contra as mulheres.

arcodavelha.eu

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Cientistas criam rim a partir de células estaminais

Cientistas criam rim a partir de células estaminais
Investigadores australianos criaram um pequeno rim em laboratório feito a partir de células estaminais. A descoberta pode melhorar as formas de tratamento da doença renal e testar, sem recurso a animais, a eficácia e segurança de vários medicamentos.
 
Trata-se de um rim do tamanho de um feto de cinco semanas e representa um avanço importante para desenvolver órgãos para transplantes. A investigação australiana, publicada na revista Nature Cell Biology, revela que a prevalência do estágio final da doença renal subiu para os 8% a nível mundial pelo que é urgente desenvolver estratégias de regeneração renal.

Em declarações ao canal ABC, Melissa Little, cientista do Instituto de Biociências Moleculares da Universidade de Queensland, Austrália, explica que a sua equipa conseguiu levar células embrionárias a produzir os tipos de células necessárias para desenvolver as complexas estruturas que existem dentro de um rim.
 
A criação do pequeno rim foi possível através do fornecimento de combinações calibradas de moléculas, designadas de "factores de crescimento", as células estaminais. "O que criámos foi um conjunto muito mais complexo de células. Isto é um grande avanço em termos do que foi possível até à data", afirma Melissa Little.
 
A investigação revela que a curto prazo os resultados podem vir a ser muito úteis para testar se os novos medicamentos são tóxicos para os rins e no futuro melhorar os tratamentos para pacientes com doença renal.
 
Os cientistas concluíram que os resultados são promissores mas que o uso regular deste método para produzir órgãos para transplantes deverá demorar ainda alguns anos.
 
boasnoticias.pt

Porto: Reciclar dá direito a descontos

Porto: Reciclar dá direito a descontos
As boas práticas ambientais agora dão descontos. O projeto Ecoshop promete premiar quem entregar o seu lixo nos ecocentros aderentes. A empresa Lipor, no Porto, oferece um cartão que acumula pontos que dão descontos em produtos ou serviços.
 
Premiar quem faz a reciclagem é o objetivo do Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto (Lipor), entidade responsável pela gestão, valorização e tratamento dos Resíduos Urbanos produzidos pelo Grande Porto.
 
A empresa oferece um cartão de fidelização aos utilizadores do ecocentro da Formiga, em Valongo, do ecocentro do Parque da Cal, em Gondomar, e do serviço Ecofone da Lipor. Nestes locais, "o lixo entregue será pesado e avaliado por um técnico que depois converte esse mesmo lixo em pontos", explicou uma fonte da comunicação da Lipor ao Boas Notícias.

De cada vez que o utilizador usa o cartão Ecoshop, cuja adesão é gratuita, para entregar resíduos, acumula pontos para descontar em produtos ou serviços. Segundo a mesma fonte da Lipor, "o projeto já tem vários parceiros associados para bens e serviços onde é possível usar estes pontos".

No entanto, em breve serão adicionados novos parceiros, até porque o objetivo "é manter o catálogo em constante atualização de maneira a oferecer descontos em várias áreas como saúde, farmácia, calçado e vestuário, entre outras".
 
Os aderentes ao Ecoshop, vão poder acumular pontos de forma instantânea, desde que efetuem entregas superiores a três quilos. Para a Lipor, este cartão "promove o compromisso com boas práticas ambientais" e "representa um método de reconhecimento" da participação dos utilizadores "no processo de reciclagem multimaterial".
 
O material entregue e sujeito à acumulação de pontos é o seguinte: baterias, embalagens contaminadas, entulho, poliestireno expandido, lâmpadas, madeira, monstros não metálicos, óleos alimentares e minerais, papel/cartão, pilhas, plásticos, roupa, resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos, sucatas, tinteiros e toners, verdes e vidro.
 
Para aderir é necessário o preenchimento de um formulário. Estes formulários estão disponíveis nos Ecocentros aderentes, junto do serviço Ecofone ou no site da Lipor
 
 
boasnoticias.pt

Mulher que beijou capacete de policia é acusada de violência sexual

Franco Maccari, secretário-geral do COISP, sindicato dos policias italianos, afirmou à Radio24 ter apresentado queixa de violência sexual contra a manifestante que beijou o visor do capacete de um policia (na foto ao lado) durante um protesto contra a construção de uma linha de comboio de alta velocidade na Itália.
A explicação, segundo Maccari: se fosse o contrário, com o policia a beijar a manifestante, “seria deflagrada a Terceira Guerra Mundial”.
A manifestante foi identificada como Nina De Chiffre, de 20 anos. moradora em Milão. Inicialmente, a imagem, que correu o mundo, foi vista como registo de uma cena que pregava a paz e a reconciliação.
Só que, entretanto, em entrevista ao “Stampa”, Nina disse que o objetivo afinal era “ridicularizar a polícia”.

arcodavelha.eu

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Agência de moda só admite manequins... feios

Agência de moda só admite manequins... feios
Um dos manequins da Ugly Models numa campanha da Calvin Klein
 
A agência londrina Ugly Models só admite manequis feios. É a primeira a desafiar os cânones de beleza e já foi solicitada por marcas como a Calvin Klein ou Levi's e até pela revista Vogue.
Cansados de procurar nas ruas o que alguns clientes pediam, dois fotógrafos visionários decidiram publicar um anúncio, num jornal, com o qual qualquer um se poderia sentir identificado: "Se tens um rosto interessante, contacta a Ugly Models". Surpreendentemente, o eufemismo obteve uma resposta massiva.
Desde então, a empresa dedicada ao bizarro nunca mais parou de somar adeptos, oferecendo algo inédito na indústria da moda: como o próprio nome indica, a Ugly Models recruta mulheres e homens feios como modelos.
Marcas como a Calvin Klein, Levi's, Diesel e Marks & Spencer, assim como as revistas Vogue, Elle e a Cosmopolitan, são apenas algumas das "griffes" que solicitaram os serviços desta agência. Também interessada neste conceito surrealista, e cliente assídua, é a indústria cinematográfica. Para algumas sagas, como Harry Potter, Piratas das Caraíbas e James Bond, foram nomeadas algumas das pessoas mais singulares dos catálogos.
A Ugly Models conta com um acordo com o Guiness World Records para recrutar "o homem mais alto do mundo", a "mulher com mais piercings do planeta" e "a pessoa mais tatuada da atualidade"Segundo Marc French, responsável pela agência, o objetivo é "celebrar a beleza única de cada pessoa sem fazer delas um circo de aberrações", disse ao El País.

VEJAM  O VIDEO NESTE LINK:http://www.youtube.com/watch?v=74prRWMGBwc

JN.PT
.

Cambridge elege aluna do Algarve como a Melhor do Mundo

Cambridge elege aluna do Algarve como a Melhor do Mundo
© International School of the Algarve

Madalena Severino, estudante da Escola Internacional do Algarve, foi eleita a Melhor Aluna do Mundo pela Comissão de Exames Internacionais de Cambridge, em Inglaterra, depois de obter a melhor nota do Exame IGCSE de Português como Língua Estrangeira, realizado em Junho deste ano.
 
O prémio é atribuído anualmente aos alunos que obtiverem a melhor nota do mundo numa determinada disciplina e este ano veio para Portugal, para uma jovem de 14 anos de idade que frequenta o 9º ano de escolaridade da Secção Nacional - Ensino Português da Escola Internacional do Algarve. 
 
"Estou contente. Trabalhei muito, esforcei-me, mas não estava à espera. Foi uma surpresa!", conta Madalena Severino que, no ano letivo passado, frequentou o Year 9 da Secção Internacional - Ensino Britânico, com vista a um aperfeiçoamento do seu inglês. 
 
"O Prémio Melhor do Mundo é uma recompensa pelo trabalho da Madalena e também pelo acompanhamento que recebeu de todos os professores desde que entrou na nossa escola, aos 4 anos de idade. É um resultado que nos preenche e orgulha", lê-se numa nota de imprensa da instituição
 
boasnoticias.pt

Motociclista goza com policia.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Cientistas portugueses distinguidos com prémio europeu

Cientistas portugueses distinguidos com prémio europeu
Dois jovens cientistas portugueses foram distinguidos com o Prémio de Instalação do European Molecular Biology Organization (EMBO). Os mesmos vão agora receber uma bolsa no valor de 50.000 euros anuais, por um período máximo de cinco anos, avança a agência Lusa.
 
O galardão foi atribuído a Raquel Oliveira, do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC), e a Edgar Gomes, do Instituto de Medicina Molecular (IMM), e vai permitir aos jovens investigadores entrar "na prestigiada rede dos melhores investigadores europeus". Para já, os dois vão receber uma bolsa anual de 50.000 euros durante três anos, com possibilidade de renovação por mais dois.
 
Raquel Oliveira distinguiu-se pelo trabalho realizados sobre a influência da morfologia dos cromossomas na divisão das células, que dá a entender como surgem os defeitos e anomalias que originam problemas como o cancro, doenças genéticas e infertilidade.


"Normalmente assume-se que os cromossomas têm um papel passivo durante a divisão celular. O que este projeto vem fazer é desafiar essa visão passiva dos cromossomas e investigar como a sua morfologia forma uma parte integrada da divisão e dos mecanismos envolvidos no processo", explica a investigadora que, agora, tem oportunidade de continuar os estudos na área.
 
A mesma acredita que o seu projeto "tem o potencial de redefinir o papel dos cromossomas no processo da sua própria separação e o seu contributo para a divisão nuclear", sublinhando a importância das oportunidades de trabalho em rede que o prémio oferece, ao incluir os vencedores na rede de excelência de Jovens Investigadores Europeus.

Por seu lado, Edgar Gomes conquistou o prémio com um projeto de estudo das ligações entre os núcleos e o citoesqueleto das células. "O maior compartimento celular é o núcleo e dentro dele está armazenado o nosso material genético", introduz.



"Este componente celular está diretamente ligado ao esqueleto da célula (citoesqueleto) e essa ligação é importante para o posicionamento do núcleo. Os problemas existentes nas ligações entre o núcleo e o citoesqueleto são a causa de múltiplas doenças", expõe o cientista que considera o reconhecimento da EMBO "uma grande honra".
 
Esta é a quarta vez que a EMBO distingue cientistas do Instituto Gulbenkian de Ciência e o quinto prémio atribuído a investigadores do Instituto de Medicina Molecular. Para além de Portugal, este ano foram atribuídos prémios em três outros países europeus: Polónia, República Checa e Turquia
 
boasnoticias.pt

Grupo de amigos CILINDRA público e jurí.

Brincadeira cruel deixa mulher colada à sanita

Uma mulher foi alvo de uma brincadeira cruel. Ela ficou colada a uma sanita que previamente alguém “barrou” com supercola.
Ivanna De La Keur, de 40 anos, estava numa loja no dia de Ação de Graças(na Geórgia – EUA), quando resolveu ir à casa de banho. Ela acabou por ficar presa na sanita, já que algum brincalhão aparentemente lá espalhou supercola.
A mulher teve que esperar 25 minutos para que alguém percebesse que ela estava presa na casa de banho. A partir desse momento, ela foi obrigada a ficar numa situação embaraçosa, na qual uma equipa de emergência trabalhava para retirá-la dali enquanto os funcionários do estabelecimento assistiam a tudo.
A mulher foi retirada numa maca, e os paramédicos tiveram que pulverizar o local  onde estava colada com óleo fino WD40 para retirar o assento sem rasgar a sua pele. O vídeo do momento foi gravado, e é possível ouvir gritos de dor da mulher enquanto os paramédicos atuavam.
arcodavelha.
 

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Especialistas criam doce que combate as cáries

Especialistas criam doce que combate as cáries
E se lhe dissesse que já pode comer doces sem ter cáries? Uma empresa de biotecnologia, em Berlim, concretizou aquele que é o sonho de muitas crianças e desenvolveu um doce capaz de combater o aparecimento de bactérias nos dentes.

Por norma, quando ingerimos um doce, são libertadas bactérias que ficam na superfície dos dentes, dando origem à conhecida cárie dentária. No entanto, ao diminuir a quantidade destas bactérias, o número de cáries também diminui.

Foi com base nesta lógica que Christine Lang, da OrganoBalance, e a sua equipa criaram o único doce que capaz de combater as cáries, por conter bactérias mortas que se ligam às bactérias com maior probabilidade de causar cáries.

Os resultados foram publicados na revista 'Probiotics and Antimicrobial Proteins' e dão conta de que os participantes que consumiram aquele doce revelaram uma diminuição dos níveis de bactérias presentes na boca. 

Os investigadores sabiam que a bactéria ' Lactobacillus paracasei' reduz os níveis da ' Streptococcus mutans', que está na origem das cáries, tendo sido capazes de diminuir o número de cáries em ratos de laboratório. Para testar se a L. paracasei pode, ou não, ajudar a prevenir as cáries em pessoas, os especialistas desenvolveram um doce sem açúcar que contém amostras mortas pelo calor das bactérias. 

O mesmo foi testado num grupo de 60 voluntários, onde um terço comeu doces com um miligrama de 'L. paracasei', outro comeu doces com dois miligramas e os restantes ingeriram doces com o mesmo sabor, mas sem qualquer um dos tipos de bactérias.
 
No fim, cerca de três quartos dos participantes que tinham comido doces com bactérias apresentavam uma redução significativa dos níveis de 'Streptococcus mutans' na saliva no dia seguinte, enquanto que aqueles que consumiram os doces com dois miligramas de bactérias tiveram uma redução dos níveis de 'Streptococcus' logo depois de comerem o primeiro.
 
Os investigadores referem que a utilização de bactérias mortas lhes permitiu evitar problemas que as bactérias vivas poderiam ter causado, acrescentando que este doce modificado pode vir a ser uma melhor escolha para prevenção de cáries do que outros probióticos.

Saiba mais AQUI.
 
boasnoticias.pt

Publicação em destaque

A tosse de fumador pode esconder problemas de saúde graves

http://ptjornal.com/a-tosse-de-fumante-pode-esconder-problemas-de-saude-graves-62045