sexta-feira, 29 de maio de 2015

Diogo Piçarra - Tu E Eu

Vídeo: Chinês no Guinness coberto com 1,1 milhões de abelhas

Deputados brasileiros apanhados a ver filmes para adultos durante uma votação (vídeo)

Vídeo: A louca perseguição policial ao ritmo de marcha fúnebre


Veja a erupção do vulcão Shindake que forçou o Japão a evacuar a ilha

Tráfego de torrents desce - Netflix sobe

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Sitiados A noite

Hipertensão: Vacina pode substituir comprimidos diários



Uma vacina administrada sem agulha poderá, no futuro, vir a ser suficiente para baixar a tensão arterial durante, pelo menos, seis meses. A novidade, acreditam os cientistas, tem potencial para pôr fim à obrigatoriedade da toma diária de comprimidos que faz parte da rotina dos pacientes com hipertensão.
 
Um estudo realizado com ratinhos por investigadores da Universidade de Osaka, no Japão, e publicado, recentemente, na revista científica Hypertension, revela que uma injeção de ADN pode vir a transformar-se numa alternativa para o tratamento da doença, que aumenta o risco de problemas como acidentes vasculares cerebrais ou enfartes do miocárdio.
 
A vacina de ADN agora 'desenhada' pelos cientistas tem como alvo a angiotensina II, uma hormona que aumenta a tensão arterial, estreitando os vasos sanguíneos e obrigando o coração a esforços adicionais, explica um comunicado divulgado pela instituição de ensino universitário japonesa.
 
Segundo os especialistas, a solução, que não levantou problemas ao nível de outros órgãos como o fígado ou os rins, "funciona de uma forma semelhante aos inibidores comuns da angiotensina [os chamados 'inibidores da ECA'], que ajudam os vasos sanguíneos a relaxar e a dilatar-se, baixando a tensão".
 
A terapia foi testada em ratinhos com hipertensão, que receberam a vacina - 'injetada' no organismo sem a necessidade de agulhas - por três vezes com intervalos de duas semanas.

Além de baixar a pressão arterial dos modelos animais durante um período superior a seis meses, o tratamento reduziu, também, os danos provocados pela hipertensão nos tecidos do coração e dos vasos sanguíneos.
 
"Uma possível vacina para controlar a hipertensão constitui-se como um tratamento inovador que pode vir a ser muito eficaz", afirma Hironori Nakagami, professor da Universidade de Osaka e coautor do estudo nipónico.
 
De acordo com Nakagami, esta alternativa poderá ser particularmente importante nos países em desenvolvimento de África e da Ásia do Sul - onde os fármacos contra a hipertensão são muito caros - conseguindo para proporcionar "um tratamento mais barato e eficiente" que os convencionais.
 
"Uma investigação mais aprofundada desta vacina de ADN, incluindo estudos destinados a aumentar a longevidade do efeito de redução da tensão arterial, pode, eventualmente, vir a proporcionar uma nova opção terapêutica para tratar os pacientes hipertensos", finaliza o investigador.
 
Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).
boasnoticias.pt

Como uma simples SMS pode bloquear o seu iPhone

Saigon Kick-What You Say (Official Music Video) [HQ]

Innocence - Lillian Axe

Dá 150 cabeças de gado a Obama, em troca da filha (com vídeo)

Vídeo: O golo do ano, pela Budweiser

28 de maio, golpe de estado abre caminho à implantação do Estado Novo

Vírus do herpes trava progressão do cancro da pele



Uma estirpe geneticamente modificada do vírus do herpes é capaz de travar a progressão do cancro da pele, matando as células cancerígenas e incentivando o sistema imunitário a combater os tumores. A conclusão é de uma investigação pioneira com pacientes reais que envolveu cientistas de todo o mundo.
 
Pela primeira vez, os especialistas, coordenados por uma equipa britânica do Institute of Cancer Research e da Royal Marsden NHS Foundation Trust, em Inglaterra, obtiveram benefícios efetivos com a utilização da imunoterapia viral num ensaio clínico de fase III com humanos.
 
A nova terapêutica, denominada "T-VEC", consiste numa estirpe modificada do vírus do herpes simples tipo 1, que é capaz de se multiplicar no interior das células cancerígenas e de as "rebentar" a partir do interior, incitando, ao mesmo tempo, o sistema imunitário a atacar e a destruir os tumores.
 
Para o fazer entrar em ação contra o cancro, os cientistas retiraram ao vírus dois genes fundamentais, impedindo a sua replicação nas células saudáveis e limitando a sua ação às células doentes que, devido à infeção e aos erros genéticos, são mais vulneráveis, explica um comunicado divulgado pelo instituto britânico.
 
A equipa recrutou, depois, 436 pacientes com melanoma maligno agressivo e inoperável, que, para o ensaio clínico, foram divididos de forma aleatória: parte deles recebeu uma injeção da nova terapia viral, ao passo que os restantes foram tratados com imunoterapia convencional (formando o chamado "grupo de controlo").
 
Cerca de 16,3% dos pacientes que receberam injeções de "T-VEC" apresentaram uma resposta duradoura ao tratamento ao longo de mais de seis meses (algo que se verificou em apenas 2,1% dos pacientes do outro grupo), sendo que alguns dos participantes tratados continuaram mesmo a responder bem à terapia durante um período de três anos e entraram em remissão.
 
Segundo a equipa, a terapia aumentou, também, em cerca de metade, o tempo médio de sobrevivência dos pacientes (de 21,5 para 41 meses) e mostrou ser especialmente eficaz em casos em que o melanoma estava menos avançado ou em que os pacientes ainda não tinham recebido quaisquer tratamentos.

Um possível tratamento de primeira linha
 
De acordo com os investigadores, estes resultados, publicados na revista científica Journal of Clinical Oncology, indicam que o "T-VEC" tem potencial para vir a constituir-se como um tratamento de primeira linha para o melanoma metastizado que não pode ser removido cirurgicamente.
 
"Há um entusiasmo crescente em relação ao uso de tratamentos virais como o 'T-VEC' porque eles são capazes de desencadear um ataque duplo aos tumores, matando as células cancerígenas ao mesmo tempo que 'recrutam' o sistema imunitário para agir contra elas", afirma Kevin Harrington, cientista que liderou este ensaio clínico.
 
Harrington realça que, "por conseguir agir especificamente contra as células cancerígenas, [este tipo de terapia] tende a ter menos efeitos secundários do que a quimioterapia convencial ou outras imunoterapias que estão a ser testadas atualmente".
 
"O nosso estudo prova que o 'T-VEC' tem benefícios duradouros e significativos para os pacientes com melanoma e é encorajador saber que é particularmente benéfico em casos de menor avanço", adianta o investigador.

A equipa internacional está agora a avaliar "se esta alternativa pode vir a ser utilizada como terapia de primeira linha contra os melanomas agressivos e em estado avançado".

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).

boasnoticias.pt

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Def Leppard - Lets Get Rocked ( Mirror Ball )

Emprego: Parlamento está a recrutar 22 assessores


A Assembleia da República acaba de anunciar a abertura de 22 vagas para assessores parlamentares. As oportunidades existentes destinam-se a cidadãos portugueses com formação em diversas áreas, desde o Direito à Engenharia Ambiental, passando pela Informática ou pelas Ciências da Comunicação.
 
Um aviso publicado, na última sexta-feira (22), em Diário da República, dá conta da abertura, pelo prazo de 10 dias úteis a partir da data da publicação, do procedimento concursal comum com vista ao recrutamento destes funcionários.
 
Os requisitos impostos variam consoante a função a que se candidatam, mas a todos os interessados é exigida nacionalidade portuguesa, habilitações literárias ao nível da licenciatura (ou superior) na área em questão, bem como "robustez física e perfil psíquico" para o exercício da profissão.
 
Os candidatos selecionados vão exercer funções nas instalações da Assembleia da República, em Lisboa, podendo o trabalho como assessores "implicar deslocações em território nacional ou ao estrangeiro", informa o aviso.
 
O Direito é a área com maior número de vagas - um total de 10 -, mas há também oportunidades para assessores parlamentares em Economia e Finanças (4 vagas), Informática, Relações Internacionais, Relações Públicas, Engenharia Civil e Ambiental ou Ciências da Comunicação.
 
Quem quiser tentar a sua sorte deverá candidatar-se 'online', preenchendo o formulário de candidatura disponível para o efeito no site do Parlamento, que tem de ser acompanhado dos documentos solicitados, entre os quais um currículo detalhado e atualizado e uma cópia do certificado de habilitações.
 
Clique AQUI para conhecer todas as vagas existentes e para consultar os respetivos avisos no site do Parlamento.

boasnoticias.pt

Tecnologia inovadora vai começar a limpar os oceanos


© The Ocean Cleanup
Um sistema inovador desenvolvido por um jovem holandês de apenas 20 anos vai começar a limpar toneladas de plástico dos oceanos já em 2016. O projeto "The Ocean Cleanup", da responsabilidade de Boyan Slat, deverá arrancar no próximo ano na costa de Tsushima, uma ilha localizada nas águas entre o Japão e a Coreia do Sul.
 
O anúncio foi feito, recentemente, pelo jovem fundador do projeto, que criou uma plataforma flutuante única capaz de se mover pelos oceanos. Aproveitando a força dos cinco grandes sistemas de correntes marítimas do mundo, o sistema consegue concentrar, para posterior recolha, até 3.000 metros cúbicos de plástico de cada vez - o equivalente a uma piscina olímpica - num único local.
 
Aquando do seu primeiro lançamento, a plataforma deverá limpar uma extensão de cerca de 2.000 metros de oceano, prevendo-se que vá funcionar "durante, pelo menos, dois anos" e "apanhar o plástico que ali circula antes que este dê à costa na ilha de Tsushima", que, neste momento, está a estudar a possível utilização desta matéria-prima como fonte de energia alternativa.
 
De acordo com um comunicado divulgado pelo "The Ocean Cleanup" - projeto de que o Boas Notícias já tinha dado conta em 2013 - , o início da aplicação prática do sistema "vai representar um marco importante nesta missão de limpeza do plástico que polui os oceanos de todo o mundo".


Aproveitando as correntes marítimas, a plataforma flutuante "aprisiona" todo o plástico perdido no oceano num único local para facilitar e tornar mais económica a sua recolha © The Ocean Cleanup  
 
Nos próximos cinco anos, Slat ambiciona conseguir estender o alcance da plataforma até aos 1.000 quilómetros para limpar "cerca de metade da 'Grande Ilha de Lixo do Pacífico', entre o Havai e a Califórnia", nos EUA, onde se tem acumulado, ao longo de vários anos, uma gigantesca "massa" de plástico.
 
"O combate à poluição dos oceanos é um dos maiores desafios ambientais que a Humanidade enfrenta neste momento", afirma o jovem. "Esta primeira ação vai contribuir para limpar águas e costas, mas é, simultaneamente, um passo essencial no sentido do nosso maior objetivo: limpar a 'Grande Ilha de Lixo do Pacífico", realça Boyan Slat.
 
Segundo o fundador do projeto "The Ocean Cleanup", que conta, atualmente, com o apoio de uma equipa de 100 cientistas e engenheiros voluntários, a estreia do sistema vai, igualmente, "possibilitar o estudo da sua eficiência e da sua durabilidade ao longo do tempo".

Clique AQUI para saber mais sobre o "The Ocean Cleanup" (em inglês). 

boasnoticias.pt

Descoberta portuguesa pode ajudar a regenerar cérebro



Uma descoberta de uma investigadora portuguesa publicada, recentemente, na prestigiada revista científica internacional Science, pode vir a contribuir para melhorar a regeneração de neurónios em humanos em caso, por exemplo, de lesão cerebral. 
 
Joana Barbosa, da Universidade de Coimbra (UC), descobriu que as células estaminais neurais (ou "CEN") se convertem diretamente em neurónios, o que leva ao esgotamento do número de células disponíveis durante o envelhecimento ou em caso de danos no cérebro.
 
"As CEN não geram continuamente neurónios ao longo do tempo, como se assume, mas apenas um número limitado. A população de células estaminais neurais é consumida aos poucos porque as células são convertidas diretamente em neurónios sem qualquer divisão", explica a investigadora em comunicado enviado pela UC ao Boas Notícias.
 
De acordo com a recém-doutorada do Programa Doutoral em Biologia Experimental e Biomedicina do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) e aluna da Faculdade de Medicin a da UC, "esta descoberta contradiz a visão atual de que as CEN geram neurónios novos ao mesmo tempo que mantêm a sua própria população".
 
Para chegar a esta conclusão, Joana Barbosa desenvolveu, ao longo de cinco anos, uma técnica de imagiologia 'in vivo' para o estudo das CEN individuais no cérebro de peixes-zebra, que foi aplicada pela primeira vez em organismos vertebrados adultos.
 
A cientista (à direita) observou que, "no cérebro intacto do peixe-zebra, as CEN raramente se dividem e, quando o fazem, a divisão realiza-se assimetricamente, dando origem a uma célula que produz neurónios (chamada 'progenitora neural') e a uma CEN". 
 
"No entanto, após uma lesão cerebral, as progenitoras migram para o local danificado e as CENs alteram o modo de divisão, repartindo-se simetricamente e originando duas progenitoras que aumenta, dessa forma, a produção de neurónios", esclarece Joana Barbosa.
 
Segundo a cientista portuguesa, que desenvolveu o estudo durante uma estadia no centro de investigação alemão Helmholtz Zentrum München, em Munique,  "a produção de neurónios após lesão resulta num decréscimo de CEN, sendo que a manutenção destas células poderá ser a chave para uma regeneração neuronal no longo termo".
 
A descoberta poderá, portanto, no futuro, auxiliar as tentativas de melhoria da regeneração neuronal em humanos, antecipa Joana Barbosa.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).

boasnoticias.pt

Tratamento da obesidade pode estar numa planta

Tratamento da obesidade pode estar numa planta
O segredo para o tratamento da obesidade pode estar numa planta. Com recurso a um extracto da vinha Deus do Trovão, muito utilizada na medicina tradicional chinesa, investigadores norte-americanos conseguiram diminuir em mais de 45% o peso de ratinhos obesos, o que pode abrir caminho ao seu futuro uso em terapias com humanos.
 
De acordo o estudo publicado, a semana passada, na revista científica Cell, e desenvolvido por cientistas da Universidade de Harvard, nos EUA, o composto da planta que leva à perda de peso, denominado "celastrol", aumenta a ação de uma hormona, a leptina, que suprime o apetite.
 
"Durante as últimas duas décadas têm sido feitos enormes esforços para tratar a obesidade através da eliminação da resistência do organismo à leptina, mas todos têm falhado. O nosso estudo diz-nos que ainda há esperança no funcionamento desta hormona e no tratamento da obesidade", afirma, em comunicado, Umut Ozcan, endocrinologista da universidade norte-americana e principal autor da investigação.
 
Segundo Ozcan, "se o 'celastrol' funcionar em humanos como funciona em ratinhos, poderá constituir-se como uma arma poderosa para o tratamento da obesidade e melhorar, também, a saúde de muitos pacientes com outras complicações associadas, como as doenças cardiovasculares ou a diabetes tipo 2".

Perda de peso na ordem dos 45% em ratinhos
 
A ausência, no organismo, da leptina, uma hormona derivada das células de gordura que avisa o cérebro quando o corpo tem falta de "combustível" e energia, leva, tanto em humanos como em ratinhos, a um apetite voraz, resultando em obesidade.
 
Porém, mesmo quando existe em grandes quantidades na corrente sanguínea, esta hormona não é capaz de reduzir a fome ou a ingestão de alimentos em indivíduos obesos, o que faz com que muitos especialistas acreditem que a falta de sensibilidade à leptina pode ser a origem da doença.
 
Depois de muitos esforços infrutíferos no sentido de desenvolver fármacos capazes de aliviar a resistência à hormona, a equipa coordenada por Ozcan descobriu, finalmente, que esta resistência está associada a uma resposta ao 'stress' numa estrutura celular específica - o retículo endoplásmico (ER, na sigla em inglês).
 
No âmbito do novo estudo, o endrocrinologista e os colegas testaram a eficácia do "celastrol" na melhoria da função desta estrutura e na sensibilidade à leptina. Após uma única semana de tratamento com este composto, os ratinhos obesos tinham já reduzido a ingestão de alimentos em cerca de 80%.
 
Ao fim da terceira semana de terapia, revela a Universidade de Harvard, os modelos animais tratados perderam 45% do peso inicial, uma perda "maior do que aquela que é conseguida com a cirurgia bariátrica - uma operação ao estômago e/ou aos intestinos que ajuda os pacientes com obesidade mórbida a emagrecer".
 
Além disso, o "celastrol" conseguiu baixar os níveis de colesterol dos ratinhos obesos e melhorou o funcionamento do fígado e o metabolismo da glicose, o que pode contribuir, também, indiretamente, para um menor risco de doença cardiovascular ou de diabetes tipo 2, destacam os cientistas.

Investigadores pedem cautela a quem quer emagrecer
 
Apesar de o extrato da não ter produzido efeitos tóxicos nos modelos animais analisados, Ozcan alerta que o composto da vinha Trovão de Deus não deve ser utilizado por humanos com vista à perda de peso enquanto os seus benefícios não forem comprovados, já que tal pode revelar-se perigoso.
 
"O 'celastrol' está presente nas raízes desta vinha, mas a planta contém muitos outros compostos. Portanto, o seu consumo pode ser perigoso", avisa o endocrinologista que, espera, em breve, começar a estudar, com a sua equipa, os mecanismos moleculares através dos quais o composto atua.
 
"O meu principal objetivo é que esta investigação venha a traduzir-se numa nova e poderosa abordagem para o tratamento da obesidade", finaliza Ozcan.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).

boasnoticias.pt

Oficina da Psicologia: 7 dicas para gerir as emoções


No fundo, as nossas emoções são como o nosso telejornal privado, que nos dão constantes atualizações sobre aquilo que estamos a fazer e a experienciar
por Cláudia Sintra Vieira, psicóloga

Cláudia Sintra VieiraO que é isto a que chamamos de 'emoções' e que, no fundo, são o espelho daquilo que sentimos? De uma forma simples as emoções são sinais internos do nosso corpo que nos dizem que alguma coisa está a acontecer.
Quando algo de bom nos acontece nós sentimo-nos bem, quando, pelo contrário, algo corre mal, sentimo-nos tristes, ansiosos. No fundo, as nossas emoções são como o nosso telejornal privado, que nos dão constantes atualizações sobre aquilo que estamos a fazer e a experienciar. 

As emoções podem ser primárias ou secundárias. As reações iniciais ao que está a acontecer são denominadas de emoções primárias. Estas são sentimentos, sensações fortes que surgem muito rapidamente e que não dependem de um pensamento sobre o que aconteceu para surgirem. Por exemplo, se ganharmos o euromilhões, sentimo-nos automaticamente surpreendidos. Se alguém que nos é querido morre, rapidamente nos sentimos tristes. 

O que são emoções secundárias
 
Por outro lado, as emoções secundárias são reações às emoções primárias, ou seja, são "aquilo que sentimos sobre os nossos sentimentos". Por exemplo, imagine que o João gritou com a sua irmã porque esta lhe disse algo que o irritou. Esta raiva surgiu muito depressa. Pouco depois sentiu-se culpado por se ter irritado com a irmã. A irritação foi a primeira emoção e a culpa a emoção secundária.


Porém, é também possível experienciar numerosas emoções secundárias em resposta a uma emoção primária. Por exemplo, a Maria ficou ansiosa quando lhe pediram para fazer uma futura apresentação no trabalho. Com o aproximar do dia, ficou cada vez mais deprimida ao pensar em quão ansiosa estava a ficar, e começou a sentir-se inútil, a sentir que não conseguiria fazer uma simples apresentação. Depois do dia da apresentação, a Maria começou a sentir-se culpada por ter feito um grande aparato acerca desta situação.

Aqui conseguimos ver como as emoções de uma pessoa se tornam muito complexas, de um momento para o outro: a ansiedade foi a primeira emoção, a depressão, a inutilidade, a culpa foram as emoções secundárias em resposta à ansiedade. 
 
Como é que as emoções funcionam?
 
As emoções são sinais químicos e elétricos do nosso corpo que nos alertam para o que está a acontecer. Estes sinais começam, muitas vezes, com as nossas sensações visuais, toque, cheiro e paladar. Então estes sinais viajam até ao nosso cérebro, onde são processados numa área que chamamos sistema límbico, o qual é especializado em observar e processar as emoções para que possamos responder em situações emocionais.

O sistema límbico está, também, ligado a todo o cérebro e corpo para que possa dizer ao nosso corpo o que fazer para responder em determinadas situações emocionais.
 
As emoções são importantes por variadas razões. Imagine que vai a andar pela rua quando de repente um cão grande e raivoso ladra e corre atrás de si. Nesse momento, um sinal emocional foi enviado, pelos olhos e ouvidos para o seu cérebro. O sistema límbico processou a informação sem que pensasse no que estava a fazer. Este tipo de resposta é chamado de "luta ou fuga", e determina se fica para lutar com o cão ou foge da situação. Imagine que sabiamente escolhe fugir e escapa ileso. As suas emoções ajudaram-no a sobreviver e a evitar qualquer sofrimento.
 
Vamos supor que duas semanas mais tarde está novamente a andar pela mesma rua e rapidamente começa a sentir medo. A isto se chama de resposta condicionada. O seu sistema límbico está a tentar protegê-lo fazendo com que se recorde do cão perigoso que viu nesta rua. Sensatamente, escolhe outra rua para evitar o cão. Neste exemplo, as suas emoções inicialmente ajudam-na(o) a escapar do perigo e do sofrimento, e posteriormente ajudam-na(o) a evitar um potencial dano.
 
No fundo, as nossas emoções são sinais que nos ajudam a sobreviver (relembrar pessoas e situações), a lidar com situações do dia-a-dia, a comunicar com os outros, a evitar a dor e a procurar o prazer e o bem-estar.
 
7 dicas para gerir melhor as emoções
 
Como já sabemos as emoções estão sempre presentes ao longo do nosso dia-a-dia e, invariavelmente, ao longo de toda a nossa vida. No fundo, fazem parte de nós.

E por isso mesmo é importante perceber o que estamos a sentir e tomar consciência disso, pois assim conseguimos alcançar o equilíbrio emocional, que tanto desejamos nas nossas vidas.
 
Mas o que posso fazer para ter mais consciência das minhas emoções e dar-lhes respostas adequadas? Pode fazê-lo de diversas formas
  1. - Seja curioso e questione o que está a sentir! Tente encontrar uma ou duas palavras que melhor descrevam o que está a sentir;
  2. - Quando reparou pela primeira vez naquilo que estava a sentir? Ou seja, esta emoção é recente? Ou quase que já faz parte de si e da sua vida?
  3. - O que despoletou esta emoção? Tente perceber a causa, o motivo pelo qual este sentimento surgiu.
  4. - Que outros fatores podem estar a contribuir para o surgimento e manutenção dessa emoção? 
  5. - Como responder à emoção? Depois de a identificar e ter consciência da mesma, reflita sobre qual a melhor forma de dar resposta ao que está a sentir. Por vezes é benéfico agir automaticamente em situações relacionadas com a sobrevivência, mas noutras devemos ponderar o que fazer! 
  6. - Não queria não sentir a emoção! Suprimir só irá fazer com que ela surja mais vezes e fique cada vez mais intensa! Estarmos com as nossas emoções, por mais difícil que pareça, é a melhor resposta ? E quando se sentir preparado deixa-a ir! 
  7. - As emoções são temporárias! Por isso mesmo não tenha receio em estar com elas, mesmo que dolorosas, não duram para sempre!
 
Já reparou que muitas vezes a carga negativa que atribuímos às nossas emoções é apenas o nosso cérebro a sinalizar que alguma coisa não está bem connosco? A sinalizar que temos de dar resposta ao nosso sofrimento, desafios e vivências de vida?
 
A capacidade de pensarmos sobre as nossas emoções ajuda-nos a criar um amortecedor entre aquilo que sentimos e as nossas respostas, fazendo com que deixemos de agir no ?calor do momento? e/ou de forma impulsiva.
E é assim que conseguimos ter algum controlo sobre diversas circunstâncias e acontecimentos na nossa vida.
 
Por isso mesmo, hoje escolha reparar no bom, nas emoções tal como elas são - porque no fundo não podemos mudar o espelho daquilo que sentimos (emoções) mas sim a forma como olhamos e lidamos com o que vemos no espelho. Comece hoje a dar outro rumo às suas emoções: seja o principal condutor da sua vida!

boasnoticias.pt

terça-feira, 26 de maio de 2015

The Smashing Pumpkins - 1979

Vídeo: Daniel Alves dá show numa conferência e arrasa imprensa espanhola

Este vídeo de um louco tem um final totalmente inesperado

Padaria "social" portuguesa concorre a prémio mundial


Chama-se "Pão com História" e é uma padaria 'startup' portuguesa que ambiciona combater o abandono escolar com a criação de emprego. O projeto, que foi, recentemente, distinguido a nível europeu com 60 mil euros, é um dos cinco finalistas do concurso internacional "Citizenship Awards", que assinala o 325.º aniversário do banco Barclays.
 
Depois de ter conquistado o prémio "People's Vote" (atribuído por votação do público) para a região da Europa no mesmo concurso, o projeto da associação Pressley Ridge Portugal - que apoia crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social - concorre agora ao galardão internacional do Barclays, no valor de 130 mil euros.
 
"Este projeto tem como principais objetivos a criação de mais de 30 postos de trabalho na padaria para recém-licenciados em pastelaria, bem como a criação de um Clube de Jovens no mesmo espaço, para promover o desenvolvimento de cerca de 25 crianças com idades entre os 8 e os 15 anos", explica Kátia Almeida, da Pressley Ridge Portugal, em comunicado enviado ao Boas Notícias.
 
Para ser competitiva e sustentável, a padaria "Pão com História" vai trabalhar numa lógica 'gourmet low-cost' e deverá funcionar numa zona desfavorecida, associando, em simultâneo, a panificação e a criação de emprego à formação de jovens adultos e à promoção da educação dos mais novos.
 
Caso o projeto saia saia vitoroso, os responsáveis planeiam utilizar os 130 mil euros do prémio para arrancar com a padaria já este ano, pretendendo, também, adquirir "uma 'roulotte' que aumentará a visibilidade e os resultados do negócio" e criar "mais seis postos de trabalho para além dos 30 já previstos".
 
A ideia, já eleita a melhor da Europa, foi nomeada para o concurso pelo BarclayCard Portugal, que está diretamente envolvido no projeto, e está, neste momento, a competir pelo título mundial com quatro outros projetos de cidadania.
 
"Consideramos que se trata de um programa inovador de investimento social, que quer ser um negócio sustentável com um impacto claro e imediato, podendo ser replicado noutras regiões ou mesmo noutros países", afirma Sandra Di Moise, diretora executiva do Barclaycard Southern Europe, citada no mesmo comunicado, a propósito do projeto "Pão com História".
 
A votação para o prémio mundial do People's Vote está aberta a todos e decorre 'online' até ao próximo dia 03 de Junho.
 
Clique AQUI para votar e conhecer os restantes projetos candidatos (em inglês).

boasnoticias.pt

Smartnanny - um berço inteligente que embala os bebés automaticamente

PARADISE LOST - Beneath Broken Earth (OFFICIAL VIDEO)

Minho: Novo Call Center vai empregar 300 pessoas


Minho: Novo Call Center vai empregar 300 pessoas
A Altice, empresa especializada em Telecomunicações, inaugura esta segunda-feira, em Viera do Minho, um novo call center. Numa fase inicial, a empresa conta com 50 trabalhadores mas o objetivo é atingir os 300 funcionários.

A Câmara Municipal disponibilizou, em Abril, uma formação específica para aqueles que queriam capacitar-se para poder concorrer a um lugar de trabalhador na empresa.

A formação centrou-se nas áreas de Informática e de idiomas, mais especificamente o francês, devido à natureza da empresa. O objetivo era fornecer aos interessados as competências necessárias para ocuparem um lugar.

"Trata-se de um grupo de elementos que preenchem todos os requisitos solicitados e que vão desde o domínio da língua francesa até competências ao nível de informática e competências comportamentais", explica em comunicado o Município de Viera do Minho, distrito de Braga.

O presidente da autarquia, António Cardoso, considera que o investimento é "uma lufada de ar fresco na questão da empregabilidade e na criação de postos de trabalho assim como na manutenção das populações no nosso concelho?.

A empresa de telecomunicações francesa tornou-se conhecida em Portugal quando comprou dois operadores no país: A Cabovisão e a Oni. Para além disso, prevê-se que a Altice conclua a compra da PT Portugal no dia 2 de Junho.

A francesa Altice é uma multinacional em telecomunicações com presença em diversos países: Para além de Portugal, a empresa encontra-se em França, Israel, Bélgica, Luxmburgo, Suiça e Caraíbas, entre outros países. Desta vez, a Altice decidiu investir em Viera do Minho, um município com cerca de 15 mil habitantes.

boasnoticias.pt

Chá de camomila pode aumentar longevidade



Embora seja famoso pelas suas propriedades calmantes, o chá de camomila pode ter outros benefícios, em especial para as mulheres: de acordo com um novo estudo norte-americano, a bebida tem potencial para aumentar a longevidade no sexo feminino, diminuindo o risco de morte precoce.
 
A investigação, desenvolvida por cientistas da Universidade do Texas, nos EUA, analisou, as vantagens deste chá para homens e mulheres de descendência mexico-americana com mais de 65 anos, já que, por tradição, este grupo populacional tende a utilizar a camomila com frequência como remédio natural para tratar diversos tipos de problemas de saúde.
 
Ao longo de sete anos, os investigadores acompanharam um total de 1.677 homens e mulheres, analisando dados de censos às populações hispânicas realizados nos EUA. Entre os participantes no estudo, cerca de 14% bebiam chá de camomila regularmente, revela um comunicado divulgado pela universidade norte-americana.
 
Os investigadores observaram que o consumo regular de chá de camomila aparecia, nas mulheres, associado a um risco de morte precoce 29% inferior, independentemente da demografia, das condições de saúde e do estilo de vida, um efeito que, para surpresa da equipa, não se observou nos homens.
 
"A razão que justifica esta diferença ainda não é clara, embora saibamos que as mulheres são consumidoras mais frequentes de chá de camomila do que os homens", afirma Bret Howrey, um dos autores do estudo publicado recentemente na revista científica The Gerontologist.
 
Para Howrey, "esta diferença poderá explicar-se pelos papéis tradicionais associados a cada género [neste tipo de população] e que estabelecem que a mulher é responsável pela lida da casa e pela saúde da família, mas pode também refletir a grande preferência do sexo feminino pela medicina tradicional baseada nas plantas".
 
Apesar de ainda não conseguirem explicar por que motivo o chá de camomila reduz o risco de mortalidade precoce, os investigadores acreditam, com base em estudos anteriores, que este efeito protetor pode dever-se, entre outros fatores, à colaboração desta planta no tratamento de problemas como a hiperglicemia, as doenças gástricas, a diabetes ou a ansiedade.
 
A camomila é também conhecida por baixar o chamado colesterol "mau" e por funcionar como antioxidante, antimicrobiano e anti-inflamatório.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).

boasnoticias.pt

França: Supermercados vão dar o que sobra a instituições



Uma nova lei aprovada, na quinta-feira, pelo Parlamento francês, com o objetivo de travar o desperdício, vai obrigar os grandes supermercados daquele país a doar a instituições de solidariedade os alimentos que ainda possam ser consumidos e não tenham sido vendidos.
 
A medida, cuja aprovação foi unânime, determina que os supermercados franceses com mais de 400 metros quadrados vão ter de celebrar contratos com instituições de caridade para doação dos alimentos bons que sobrem nas prateleiras até Julho do próximo ano.
 
Caso contrário, as grandes superfícies sujeitam-se a multas que poderão ascender aos 75.000 euros e chegar mesmo aos dois anos de cadeia, adianta o jornal francês Libération. Em vez de destruir ou colocar no lixo a comida que sobra, os supermercados mais pequenos podem também optar por encaminhar parte dela para a produção de alimento para animais.
 
"É escandaloso ver lixívia a ser despejada junto com alimentos em bom estado para os contentores de lixo dos supermercados", afirma o deputado socialista francês Guillaume Garot, que propôs o projeto-lei agora aprovado e que ambiciona travar a "epidemia" de desperdício alimentar que, segundo o Libération, tem galopado em França.
 
Além de obrigar os supermercados a doar os excedentes alimentares, a nova lei vai, também, introduzir nas escolas e nas empresas um programa de educação sobre desperdício alimentar, medida que se segue a uma outra adotada em Fevereiro e que levou à remoção das etiquetas com a data de validade dos produtos frescos.
 
Apesar do voto unânime da Assembleia Nacional francesa, a nova lei está a ser recebida com desagrado pelos representantes dos supermercados. "A lei tem propósitos e alvos errados, já que as grandes superfícies representam, apenas, 5% do desperdício alimentar", lamentou Jack Creyssel, presidente da Federação do Comércio e da Distribuição de França.
 
A introdução da nova lei insere-se numa série de esforços do Governo para diminuir em metade, até 2025, o desperdício de alimentos em França. Segundo estatísticas oficiais, cada cidadão francês deita, em média, 20kg a 30kg de comida para o lixo, dos quais 7kg estão ainda embalados como no momento da compra.

boasnoticias.pt

Pré-história: Homens e mulheres tinham direitos iguais



As raízes da igualdade de direitos entre homens e mulheres podem remontar à pré-história. A conclusão é de um novo estudo britânico, desenvolvido pela University College London, no Reino Unido, que sugere que a equidade de género tem sido um princípio comum para os humanos ao longo da maior parte da sua evolução.
 
Os investigadores, coordenados pelo antropólogo Mark Dyble, acompanharam duas tribos contemporâneas de caçadores-recoletores do Congo e das Filipinas, juntando um conjunto de dados genealógicos que indicam que a igualdade de género pode ter contribuído para a sobrevivência das sociedades e desempenhado um papel importante no desenvolvimento humano.
 
"Ainda existe muito a ideia de que os caçadores-recoletores eram muito 'machos' ou dominados pelos homens, mas nós acreditamos que os primeiros sinais da desigualdade entre géneros só tenham emergido com a agricultura, quando as pessoas começaram a ter possibilidade de acumular recursos", afirma Dyble, principal autor do estudo publicado na revista científica Science.
 
Para testar esta tese, os antropólogos recriaram, com recurso a modelos feitos em computador, diferentes comunidades da pré-história. Quando apenas um dos géneros - o masculino - era dominante, as sociedades organizavam-se em grupos restritos de homens que partilhavam laços de sangue (como é o caso dos irmãos), ficando as respetivas esposas na periferia, desvenda o estudo.
 
À data existiam já, porém, comunidades em que as decisões acerca da vida e da casa eram tomadas em conjunto por homens e mulheres, observando-se uma igual influência de ambos os sexos - uma situação semelhante à das populações do Congo e das Filipinas estudadas diretamente pela equipa.

Igualdade ajudou a desenvolver capacidade de cooperação
 
Neste caso, os indivíduos tinham maior probabilidade de viver com outros com os quais não tinham relações biológicas (ou maritais). Num grupo de 20 pessoas, por exemplo, em situação de igualdade de género, um indivíduo tinha 12% de probabilidade de viver com o outro com o qual não partilhasse laços, ao passo que, em condições de desigualdade, esta probabilidade caía para apenas 1%.
 
"[Esta falta de laços] não se deve ao facto de os indivíduos não quererem viver com a família direta", defende Dyble. Segundo o antropólogo, deve-se, em vez disso, à tomada de decisões partilhada entre homens e mulheres, uma realidade que faz com que este tipo de comunidade ofereça "o exemplo mais próximo do que conhecemos ao nível do estilo de vida e da organização social".
 
"A igualdade de género sugere-nos um cenário onde traços humanos únicos, como a capacidade de cooperação com indivíduos desconhecidos, pode ter emergido no nosso passado evolucionário", realça Andrea Migliano, que também participou no estudo.

"Ao viver em comunidade com pessoas com quem não tinham laços, os caçadores-recoletores desenvolveram a capacidade de cooperar com os outros", o que explica a importância da igualdade na evolução social, finaliza Migliano.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).
boasnoticias.pt

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Radio Macau - Cidade Fantasma

Xutos & Pontapés - Gritos Mudos

2015 Motorsport Crash Compilation Best of 2014 Rally Wtcc Dtm Nascar Dakar Drift Hillclimb Drag

Compra carro de 80 mil dólares para bater contra uma árvore

Vídeo: Piloto fica sem volante, mas prossegue no rali

Vídeo: Queda de avião filmada por um carro da polícia

25 de maio, Jesse Owens bate cinco recordes mundiais em 45 minutos

domingo, 24 de maio de 2015

Eric Clapton - Somewhere Over The Rainbow HD

Sinead O'Connor - Nothing Compares 2 You (official music viedo)

1.000 minutos sem fumar pela prevenção do AVC


Acha que é capaz de resistir a um cigarro durante 1.000 minutos? É este o desafio lançado pela Associação Nacional AVC para alertar para a gravidade dos acidentes vasculares cerebrais e assinalar o Dia Mundial Sem Tabaco, que se comemora na próxima semana.
 
Todos os anos morrem, em Portugal, 1.000 pessoas vítimas de AVC, sendo o tabaco um dos principais responsáveis deste flagelo: entre 12% a 14% das mortes são de fumadores. A associação decidiu, portanto, homenagear e sensibilizar em simultâneo, convidando os portugueses a passar 1.000 minutos (cerca de 16 horas) sem fumar no dia 31 de Maio.
 
"Os últimos estudos na área indicam que os fumadores têm uma probabilidade de sofrer AVC 3 vezes maior do que os não fumadores. O consumo de 20 cigarros por dia, por exemplo, aumenta em seis vezes o risco de AVC", explica, em comunicado enviado ao Boas Notícias, Clara Fernandes, presidente da Associação Nacional AVC.
 
De acordo com a responsável, "sensibilizar a população para esta realidade deverá ser uma prioridade das entidades governamentais e de todas as Instituições que trabalham em prol dos doentes e familiares".
 
"[Foi] por isso [que] decidimos lançar este repto, desafiando os fumadores a não consumirem tabaco durante 1.000 minutos em homenagem a todos os portugueses que morrem, anualmente, vítimas de AVC", justifica Clara Fernandes.
 
Para além de aumentar o risco de AVC, o consumo de tabaco aumenta o mau colesterol, reduz o bom colesterol e potencia o desenvolvimento da hipertensão arterial. Um fumador com hipertensão arterial tem uma vulnerabilidade 15 vezes maior de sofrer um AVC Hemorrágico, afirmam os especialistas.
 
A todos estes perigos para a saúde acrescem os custos inerentes a este hábito que, além de prejudicar a saúde, prejudica, também, o orçamento: se fumar, em média, um maço de cigarros por dia, gastará 30 euros por semana, 120 euros por mês, 1.440 euros por ano e 14.400 euros em 10 anos.
 
Ainda não está convencido? Leia, abaixo, uma lista de (boas) razões para deixar de fumar compilada pela Associação Nacional AVC. 
 
1. Dentro de oito horas os seus níveis de oxigénio voltam ao normal e os níveis de monóxido de carbono reduzem para metade.
 
2. 48 horas depois as suas capacidade de gosto e de olfato melhoram.
 
3. Dentro de 72 horas torna-se mais fácil respirar e os seus níveis de energia aumentam.
 
4. Depois de um mês a sua pele melhora significativamente.
 
5. Entre três a nove meses depois de parar, qualquer tipo de tosse ou pieira diminui e o funcionamento dos seus pulmões aumenta pelo menos 10%.
 
6. Após um ano o seu risco de ataque cardíaco reduz-se para metade.
 
7. Após cinco anos o seu risco de AVC é praticamente igual ao de um não fumador.
 
8. Após 10 anos o seu risco de desenvolver cancro do pulmão desce para metade.
 
9. Após 15 anos o risco de sofrer um ataque cardíaco é o mesmo de alguém que nunca fumou.

boasnoticias.pt

Computador mais barato do mundo vai custar 8 euros

Computador mais barato do mundo vai custar 8 euros
O C.H.I.P. tem, sensivelmente, o tamanho de um cartão de crédito e funciona com sistema operativo Linux. © Next Thing Co.
Chama-se C.H.I.P., é do tamanho de um cartão de crédito e vai chegar ao mercado como o computador mais barato do mundo: pela módica quantia de oito euros, a invenção permitirá navegar na Internet, criar documentos, jogar, ver vídeos... em suma, fazer tudo o que é possível fazer com um computador normal a um preço reduzido.
 
O projeto, que foi lançado na plataforma de financiamento coletivo 'Kickstarter', onde já angariou mais de 1,6 milhões de dólares (quase 1,5 milhões de euros) - ultrapassando largamente os 50.000 dólares ambicionados - é da responsabilidade da empresa norte-americana Next Thing Co.
 
De acordo com os criadores, o computador, cujo tamanho não ultrapassa os seis centímetros de comprimento, vai contar com um processador de 1GHz, memória RAM de 512MB e um espaço de armazenamento adicional de 4GB, incluindo, também, Wi-Fi incorporado.
 
O C.H.I.P dispõe, igualmente, de conexão Bluetooh, para que os utilizadores possam ligá-lo a periféricos como ratos ou teclados, e pode ser ligado a qualquer tipo de ecrã - velho ou novo -, asseguram os mentores, que o descrevem como "um computador para todos": estudantes, professores, avós, crianças, artistas, 'hackers' ou inventores.


O C.H.I.P. pode funcionar até como leitor de música portátil: basta ligá-lo, por exemplo, a um teclado MIDI © Next Thing Co. 
 
O equipamento funciona com um sistema operativo de código aberto, o Linux, "fácil de usar" e tem visual "igual àquele a que todos estão habituados", possibilitando criar documentos através de 'softwares' como o LibreOffice ou aceder à Internet com recurso ao navegador Chromium.
 
Além disso, o C.H.I.P. traz já instaladas aplicações bem conhecidas dos utilizadores, tal como ferramentas e jogos, podendo executar "milhares de aplicações gratuitas da comunidade 'open source'", explica a Next Thing Co., acrescentando que o computador pode até funcionar como um leitor de música portátil: basta ligá-lo, por exemplo, a um teclado MIDI.
 
O computador deverá chegar ao mercado em Maio de 2016 mas, graças ao sucesso da campanha de 'crowdfunding', aqueles que contribuíram financeiramente para a concretização do projeto poderão começar a receber o C.H.I.P. nas suas casas já no mês de Dezembro. 

Clique AQUI para saber mais sobre o projeto (em inglês).

boasnoticias.pt

Tubos eólicos prometem substituir turbinas com pás


Uma empresa espanhola criou turbinas de energia eólica que funcionam sem pás. Além de silenciosa, esta solução promete ser muito mais económica em temos de produção e manutenção, reduzindo o preço do quilowatt.
 
Em vez de captar a energia do vento através das pás que circulam nas torres eólicas tradicionais, a Vortex Bladeless criou uns cones que recorrem a um fenómeno conhecido como vorticidade, que faz girar o ar em espirais. 
 
Ao entrar dentro destes tubos fetios em fibra de vidro e fibra de carbono, o ar entra em modo espiral gerando energia. Na base dos tubos eólicos estão dois anéis magnéticos que impulsionam a oscilação das turbinas promovendo a circulação do ar.
 
Segundo o site oficial da Vortex Bladeless, além de serem mais eficientes e amigas do ambiente estas turbinas são também mais económicas: a manutenção fica 80% mais barata e os custos de caducar são 53% mais baixos. Isto faz com que o preço por quilowatt também reduza drasticamente. 
 
David Suriol, um dos fundadores, explica, num vídeo divulgado no Facebook, que esta solução permite aproveitar melhor o espaço ?já que se podem colocar mais Vorteces no mesmo terreno [do que se colocariam as turbinas com laminas] o que torna esta tecnologia mais rentável. Estas estruturas silenciosas serão como ciprestes oscilando gentilmente com o vento?.

A empresa foi fundada em 2013 e conta com o apoio da Fundação Repsol. No início de Junho, arranca uma campanha de financiamento coletivo (crowdfunding) para financiar a produção em massa desta solução.

boasnoticias.pt

Próstata: Orgasmos regulares podem prevenir cancro



Orgasmos regulares podem ajudar a prevenir o aparecimento de cancro da próstata. A conclusão é de um novo estudo, apresentado durante a última reunião anual da Associação Americana de Urologia (AUA), que revela que as ejaculações frequentes contribuem para proteger os homens desta doença.
 
A investigação, desenvolvida por investigadores da Universidade de Harvard, nos EUA, vem corroborar os resultados de um estudo anterior publicado em 2004 e que foi o primeiro a sugerir a ejaculação enquanto fator de risco modificável - isto é, um fator de risco que pode ser prevenido através de hábitos saudáveis - no cancro da próstata.
 
Os cientistas analisaram dados sobre 32.000 homens recolhidos ao longo de censos realizados durante um total de 18 anos. No início do estudo, foi pedido aos indivíduos com idades entre os 20 e os 29 anos e os 40 e os 49 anos que reportassem o seu número médio de ejaculações por mês, fornecendo, também, informações em relação à media de orgasmos do ano anterior.
 
Os investigadores utilizaram, depois, os dados obtidos para criar uma "média" geral e concluíram que aqueles que ejaculavam, pelo menos, 21 vezes por mês, apresentavam um risco de vir a desenvolver cancro da próstata 20% inferior ao dos que apenas tinham quatro a sete orgasmos mensais.
 
De acordo com Jennifer Rider, investigadora da Universidade de Harvard que apresentou o estudo durante uma reunião da AUA que decorreu, este mês, em Nova Orleães, nos EUA, os benefícios da ejaculação podem estar associados aos benefícios do próprio orgasmo.
 
Segundo Rider, citada pelo portal de notícias especializado Medical Daily, estes benefícios podem dever-se às hormonas libertadas durante o clímax, em particular a oxitocina - a chamada "hormona do amor" - e a desidroepiandrosterona que, nas mulheres, reduzem o risco de doença cardiovascular e de cancro cervical e da mama. 

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo (em inglês). 
boasnoticias.pt

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Bob Marley - Bad Boys

7 benefícios de tomar duches gelados


Não custa assim tanto. São apenas dois minutos de arrepios que lhe vão trazer vários e duradouros benefícios. Tomar um duche de água gelada, pelo menos nos últimos momento do banho, melhora a saúde da pele e do cabelo, trazendo ainda benefícios psicológicos, dizem os especialistas. 
 
O Boas Notícias reúne neste artigo as 7 principais vantagens de tomar duche gelado, de acordo com informação avançada pelo site norte-americano Medical Daily.
 
E então aqui fica. Um duche frio.... 
  
1. ? Dá energia  
 
Um duche gelado pela manha promete dar um ?boost? de energia ao nosso dia. O choque térmico obriga-nos a respirar de forma mais profunda e aumenta a frequência cardíaca, aumentando o fluxo sanguíneo.  
  
2. Melhora o aspeto do cabelo e da pele 
  
Uma das melhores (e mais económicas) maneiras de melhorar o aspeto da pele e do cabelo e com uma dose regular de agua fria. A agua quente seca e desidrata a pele. Mas a agua fria ajuda a fechar os poros evitando que fiquem obstruídos. Por outro lado, ao contrário da água quente, o duche gelado preserva a gordura saudável da pele e do cabelo que serve de barreira protetora, diz a dermatologista Jessica Krant. 
  
3. Melhora a circulação 
  
O choque térmico da água fria faz com que o corpo acelere a circulação sanguínea para gerar calor.  Este reforço de sangue leva a uma redução da pressão sanguínea, alem de ajudar a desentupir as veias e de fazer com que os órgãos, particularmente o coração, funcionem de forma mais eficaz, diz o especialista em medicina natural, Joseph Mercola. 
  
4. Ajuda a perder peso 
  
Os duches gelados ajudam a perder peso já que promovem o aumento da "gordura castanha" a chamada "gordura boa" que se converte facilmente em energia e calor, ao contrário das células de gordura branca que se acumulam (de forma persistente) nas coxas, na barriga e noutras partes do corpo. Uma investigação do Centro de Diabetes da Escola de Medicina de Harvard veio provar que a água fria ativa a gordura mais fácil de queimar - parece que será possível perder quatro (4) quilos por ano só por causa dos duches gelados. 
  
5. Regenera os músculos  
  
Toda a gente sabe que o gelo ajuda a recuperar de lesões. Os duches gelados, depois do exercício físico intenso, funcionam de forma semelhante promovendo a recuperação muscular. Um estudo realizado em 2009 analisou os efeitos de duches gelados prolongados (24 minutos) em 360, após a prática intensiva de desporto confirmando que ajuda a recuperar os músculos. 

6. Alivia o stress  
  
O choque térmico da água gelada diminui os níveis de ácido úrico no corpo e aumentando a presença de glutationa, um poderoso antioxidante que melhora  a performance de todos os outros antioxidantes do organismo, revela um estudo realizado em 1994, segundo o Medical Daily. 
  
7.  Alivia sintomas de depressão 
  
Os duches gelados ajudam a reduzir os sintomas de depressão. Segundo alguns estudos citados no artigo do Medical Daily, o impacto do frio na pele estimula impulsos elétricos entre a pele e o cérebro produzindo um efeito anti-depressivo. No estudo referido, realizado em 2008, os pacientes foram submetidos a banhos gelados com duração de 2 ou 3 minutos.  

boasnoticias.pt

Cirurgia revolucionária cura diabetes tipo 2


© Hospital Ruber Internacional
Um médico espanhol conseguiu reverter a diabetes tipo 2 em milhares de pacientes obesos através de uma cirurgia revolucionária que vem abrir um caminho de esperança para os 382 milhões de pessoas que sofrem desta doença em todo o mundo. A técnica foi desenvolvida por Carlos Ballesta, médico espanhol, no Hospital Ruber Internacional, em Madrid.
 
Os especialistas calculam que a diabetes mellitus (tipo 2) afeta entre 250.000 a 500.000 pessoas em Portugal, muitas delas ainda por diagnosticar. Apesar dos avanços da investigação científica, este problema continua a crescer, sobretudo no mundo ocidental.

Embora surja de forma discreta, os pacientes com diabetes tipo 2 correm o risco de sofrer lesões em vários órgãos. Se não for tratada, a diabetes 2 pode mesmo causar morte precoce.


O sucesso da intervenção em pessoas obesas e diabéticas ronda os 97 por cento, garante o médico

Enquanto tratava os seus pacientes obesos, Carlo Ballesta, chefe da Unidade de Obesidade e Diabetes do Hospital Ruber Internacional, em Madrid, descobriu que a cirurgia de redução de apetite desenvolvida por si revertia também o problema da diabetes.

Ao contrário do 'bypass' gástrico tradicional, esta cirurgia, batizada de cirurgia metabólica, atua na zona do intestino que está colada ao colón que é onde atuam as hormonas que fazem o metabolismo da insulina. O sucesso da intervenção, garante o médico, ronda os 97 por cento.

"Os resultados da cirurgia implementada são extraordinários", refere o médico ao jornal espanhol ABC. A intervenção é pouco invasiva, já que se realiza através de laparoscopia, e não deixa grandes cicatrizes no paciente, considerada, por isso, uma operação de baixo risco e o paciente tem alta nas 48 a 72 horas seguintes.

No entanto, esta cirurgia só deve ser aplicada em pacientes com excesso de peso. "Todas as pessoas que tenham um IMC superior a 35 ou que apresentem um excesso de peso à volta de 30 quilos e que sejam diabéticas, hipertensas ou que padecem de alguma doença relacionada com o excesso de peso, como por exemplo hérnias discais, são indicadas para esta cirurgia", explica Carlo Ballesta.

Um caso de sucesso

Um exemplo que comprova o eficaz resultado desta cirurgia metabólica é o caso de Andrés Raya, a quem lhe foi diagnosticado Diabetes Mellitus tipo 2, aos 56 anos de idade. "Sentia-me muito cansado, como se tivesse vivido 100 vidas. Não tinha energia", refere.

Foi, então, através de uma conversa com um familiar que Andrés descobriu que poderia ser operado a esta doença. Foi operado no dia 22 de Setembro de 2012, com 63 anos, e a partir daí a sua vida mudou. "Sou uma pessoas nova", confessa ao ABC.

Atualmente, o médico Carlos Ballesta já operou mais de 3.000 pessoas com diabetes e todos os centros que realizam esta intervenção, em Espanha, recorrem às orientações definidas pelo cirurgião.
boasnoticias.pt

Café diminui em 40% o risco de impotência sexual


Duas a três chávenas por dia reduzem significativamente o risco de disfunção erétil, revela um novo estudo
O consumo de café pode ajudar a prevenir a impotência sexual. Um novo estudo norte-americano revela que duas a três chávenas por dia são suficientes para que os homens beneficiem de uma diminuição de cerca de 40% no risco de vir a sofrer de disfunção erétil.
 
A investigação, conduzida pela Universidade do Texas, nos EUA, e cujos resultados foram publicados, em Abril, na revista científica PLOS One, baseou-se em dados um censo nacional norte-americano, considerando a ingestão de cafeína por intermédio de café, chá, refrigerantes e bebidas energéticas.
 
Os investigadores, coordenados por David S. Lopez, professor daquela universidade, descobriram que os homens que consumiam entre 85 a 170 miligramas de cafeína (o equivalente a duas a três chávenas de café) por dia tinham 42% menos probabilidades de sofrer de disfunção erétil do que os que ingeriam entre 0 a 7 miligramas diários.
 
Segundo o estudo, aqueles que ingeriam uma qualidade superior - entre 171 e 303 miligramas de cafeína por dia - apresentavam, também, um risco 32% inferior ao dos restantes de vir a reportar este problema, uma tendência que se observou tanto em homens saudáveis como em indivíduos com excesso de peso, obesidade ou hipertensão.
 
Há, no entanto, uma exceção a assinalar, alertam os cientistas. "Embora tenhamos observado uma redução da prevalência da disfunção erétil entre os homens obesos, hipertensos ou com excesso de peso, isso não aconteceu com os homens diabéticos, já que a diabetes é um dos maiores fatores de risco para este problema", explica, em comunicado, David S. Lopez, acrescentando que este facto "não foi surpreendente".
 
De acordo com os cientistas, o papel destas bebidas na redução do risco de impotência deve-se à atuação da cafeína ao nível de um mecanismo biológico específico, que desencadeia uma série de efeitos farmacológicos responsáveis pelo relaxamento das artérias do pénis e, consequentemente, pela melhoria do fluxo sanguíneo. 

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês). 

boasnoticias.pt

Crianças "especiais" inspiram bonecas com deficiência


Entre os acessórios disponíveis para as bonecas estão, por exemplo, aparelhos auditivos. © MakiesLab
A empresa britânica de brinquedos MakiesLab acaba de lançar uma linha de bonecas inspirada em crianças "especiais". As novas "Makies", como são conhecidas, vêm acompanhadas de acessórios como aparelhos auditivos ou muletas e podem ser personalizadas para imitar caraterísticas faciais individuais como manchas ou cicatrizes.
 
A criação desta linha de bonecas inovadora pensada, especialmente, para crianças com deficiências físicas, nasceu em sequência da campanha "Toy Like Me", que, há poucas semanas, surgiu no Facebook pela mão de um conjunto de pais que ambicionam "uma representação positiva da deficiência através dos brinquedos".
 
A marca inglesa - a primeira no mundo a fabricar bonecos totalmente customizáveis com recurso a impressoras 3D - decidiu, então, responder ao apelo, "criando, em poucos dias, graças à impressão a três dimensões, uma seleção de acessórios" para as 'Makies' que representam diferentes limitações físicas.
 
Por enquanto, esta seleção é ainda reduzida, mas, em comunicado, a MakieLab revela que está já a experimentar pôr em prática "a colocação [nas bonecas] de caraterísticas faciais a pedido" e a trabalhar para criar "uma cadeira de rodas" em miniatura para as 'Makies'.


O próximo passo da empresa será a criação de uma cadeira de rodas para juntar à linha de acessórios inclusivos. © MakiesLab
 
A rapidez do processo tem sido possível, explica a empresa, porque a produção é feita "localmente e de forma personalizada". "É fantástico que o nosso processo de manufatura nos permita responder a uma necessidade que não é satisfeita pelas fabricantes de brinquedos tradicionais", afirma Matthew Wiggins, responsável da marca.
 
"Esperamos conseguir fazer as crianças e os seus pais muito felizes com estes acessórios inclusivos", acrescenta Wiggins, adiantando que uma seleção mais ampla de acessórios para as bonecas deverá chegar nas próximas semanas.

Depois desta primeira conquista, os pais que têm trabalhado no sentido da introdução no mercado de brinquedos com que os filhos se identifiquem esperam conseguir chegar a outras grandes marcas como a Mattel, fabricante da Barbie, ou a Playmobil.

Clique AQUI para aceder à página da campanha "Toy Like Me" (em inglês) e saber mais sobre a iniciativa.

boasnoticias.p

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Ellie Goulding - Love Me Like You Do (Official Video)

Menino de 8 anos angaria milhares de euros para o Nepal

Menino de 8 anos angaria milhares de euros para o Nepal
© NBC Washington/Reprodução
Apesar de ter apenas oito anos, o pequeno Neev Saraf está a dar ao mundo um verdadeiro exemplo de solidariedade. Chocado com a violência dos sismos que, recentemente, abalaram o Nepal, país de origem dos seus pais, o menino decidiu angariar dinheiro para apoiar as vítimas da tragédia, que causou milhares de mortos.
 
Neev, que vive com a família nos EUA, virou-se, inicialmente, para o seu mealheiro, considerando destinar para essa causa o total das suas poupanças: 383 dólares (cerca de 345 euros). Porém, achou que tão pouco dinheiro seria insuficiente e começou a pedir ajuda a parentes e amigos.
 
Em sequência do pedido, os pais de Neev deram a conhecer as intenções do filho aos seus contactos através do Facebook e criaram uma página de financiamento coletivo na plataforma 'Crowdrise', recebendo uma resposta impressionante: em menos de 10 dias, a causa do jovem ultrapassou a meta estipulada: 25.000 dólares (aproximadamente 22.500 euros).
 
Até ao momento, o menino já angariou de 33.000 dólares - quase 30.000 euros - e as doações continuam a chegar. "Pessoas que não conhecíamos, pessoas com quem nos cruzámos apenas uma ou duas vezes na vida, fizeram questão de doar 500 ou até 1.000 dólares", revela, em entrevista à NBC Washington, Prakash Saraf, pai de Neev.
 
A onda de solidariedade estendeu-se, também, à escola do menino: os colegas contribuíram, igualmente, com as suas próprias poupanças, inspirados pelo espírito de generosidade que corre na família Saraf.
 
"Quando viemos para os EUA, viemos sem nada. Esta sociedade deu-nos muito. Tento ensinar o meu filho - e toda a gente - que nem tudo se resume a receber. Também é preciso dar", frisa Prakash Saraf.
 
A mensagem parece ter sido bem assimilada por Neev e a prova disso é que a vontade do menino em ajudar não é inédita: todos os anos, no seu aniversário, doa o dinheiro que consegue juntar no mealheiro a instituições de solidariedade locais e confessa que nunca se sente tentado a gastar as suas poupanças num brinquedo ou, quem sabe, num vídeojogo.
 
"Já tenho o suficiente. Não preciso de mais. Agora preciso de ajudar o Nepal", afirma o jovem, citado pela NBC Washington. 

boasnoticias.pt

Um frigorífico que aquece a água lá de casa


© Universidade de São Paulo
Investigadores da Universidade de São Paulo (Brasil) desenvolveram um mecanismo que aproveita o calor gerado pelo sistema de refrigeração do frigorífico para aquecer a água da torneira da cozinha ou do chuveiro.

O projeto resultou num dispositivo que pode ser usado tanto em residências como em estabelecimentos comerciais e foi concebido por José Roberto Simões Moreira, coordenador do Laboratório de Sistemas Energéticos Alternativos (SISEA) do Departamento de Engenharia Mecânica da Poli, e pelo aluno de graduação Lucas Zuzarte.

"Basicamente, o sistema que desenvolvemos capta o calor que é naturalmente produzido no processo de refrigeração", refere o especialista.

Dispositivo aproveita calor libertado pelo frigorífico

Em todos os frigorídicos, o gás refrigerante é aspirado pelo compressor e comprimido, o que resulta num aumento da pressão e temperatura do gás. Posteriormente, este prossegue para um condensador, que é uma espécie de serpentina, que se localiza na parte posterior do frigorífico, onde o calor é dissipado.

O que a equipa brasileira fez foi aproveitar a energia térmica gerada no processo de compressão, que atinge cerca de 60 ºC. "Inserimos um tanque de água entre o compressor e o condensador permitindo, assim, que o calor do gás quente fosse transferido para a água em vez de ser dissipado para o ambiente em que se encontra a geladeira", explica o coordenador do projeto, José Roberto Simões Moreira, em comunicado de imprensa.

O dispositivo funciona de foram simples mas levou vários meses a ser idealizado e construído pelos docentes da Universidade de São Paulo. Durante meses foram realizados testes, tendo sido construído um protótipo, para usar em frigoríficos domésticos.

Aparelho permite poupar mais de 10 euros por mês 

Nos testes em laboratório, feitos com um frigorífico comercial de 565 litros e um tanque de 25 litros de água acoplado ao sistema, a temperatura final da água chegou a 55º C (média de aumento de 5º por hora).

Se compararmos o custo que implica aquecer este volume de água com os aquecedores eléctricos tradicionais, veremos que a economia atingida com a utilização deste novo dispositivo será superior a 10 euros por mês. "Além de garantir água quente, a instalação do equipamento melhora o desempenho do frigorífico", garante o professor.

Contudo, a capacidade de aquecimento do equipamento, depende de algumas variáveis, como por exemplo a potência do frigorífico e o regime de uso do congelador. Mesmo assim, o custo de todos os equipamentos necessários para o funcionamento do sistema não é caro, tendo em conta que em apenas um ano o retorno do investimento está garantido.

Para além disso, "o dispositivo  pode ser facilmente instalado por qualquer técnico de refrigeração e também pode ser produzido em materiais mais baratos", refere o professor da Universidade de São Paulo.

boasnoticias.pt

Surfista abandona campeonato para ajudar paraplégico(com video)

Truque: "Livre-se" da música que não lhe sai da cabeça



Não sabemos onde ou quando as ouvimos, muitas vezes nem sequer gostamos delas, mas, mesmo sem querer, acabamos a cantarolá-las durante dias a fio. As músicas "teimosas" que não nos saem da cabeça são um verdadeiro teste aos nossos nervos mas, afinal, há um truque simples para nos livrarmos delas. É a Ciência que o garante.
 
De acordo com um estudo da Universidade de Reading, no Reino Unido, publicado o mês passado na revista científica Quarterly Journal of Experimental Psychology, a solução pode passar pelo simples ato de mascar pastilha.
 
O chamado fenómeno "earworm" - palavra inglesa que remete para as melodias que não conseguimos, literalmente, tirar da cabeça e que se repetem incessantemente no nosso pensamento - remonta, no mínimo, ao século XIX, "quando Edgar Allan Poe e Mark Twain começaram a referir-se a ele em vários trabalhos célebres".
 
"A maioria de nós experiencia este fenómeno durante curtos períodos de tempo, por vezes apenas minutos, mas há quem o experiencie durante dois ou três dias, o que pode ser muito frustrante e debilitante", explica Phil Beaman, investigador que liderou o estudo, acrescentando que a equipa procurou "perceber se um ato tão simples como mascar pastilha poderia ajudar".
 
Estudos prévios demonstraram já que outras soluções - como "falar" connosco próprios ou simplesmente mexer os maxilares - conseguem interferir na memória a curto-prazo e na imaginação dos sons, mas este é o primeiro trabalho a debruçar-se sobre o efeito da pastilha elástica sobre o fenómeno.
 
Os investigadores recrutaram 94 voluntários, que foram convidados a ouvir duas músicas consideradas "contagiantes": 'Play Hard', de David Guetta, e 'Payphone', dos Maroon 5. Depois, pediram-lhes que "tentassem não pensar nas músicas que tinham acabado de ouvir durante os três minutos seguintes, mas para tocarem numa tecla cada vez que o fizessem".
 
"Aqueles que estavam a mascar pastilha disseram ter pensado e 'ouvido' a canção na cabeça com menor frequencia do que os elementos dos grupos de controlo", revela Beaman, em comunicado.

Mascar pastilha também afasta pensamentos "intrusivos"
 
Além de ajudar a afastar da mente as músicas indesejadas, esta solução pode, também, reduzir os chamados pensamentos "intrusivos" ou perturbadores, típicos de doenças como o Transtorno Obsessivo-Compulsivo. 

Segundo Beaman, "interferir no nosso 'discurso interior' através de uma versão mais sofisticada do ato de mascar pastilha pode ter efeitos mais amplos". "No entanto, são necessários mais estudos para perceber se esta abordagem tem utilidade no combate a estas doenças", alerta o investigador.
 
Uma investigação realizada, em 2009, pela Universidade de Reading tinha já revelado que qualquer música pode desencadear o fenómeno "earworm", embora as de artistas como Justin Timberlake e bandas míticas como Pink Floyd ou Guns 'n' Roses estejam entre as mais mencionadas naquele estudo.
 
"É possível que haja canções que são particularmente difíceis de suprimir. O nosso trabalho anterior mostrou que as pessoas só experienciam este fenómeno com músicas que conhecem bem, algo que queremos explorar mais em estudos futuros. Para já, esperamos que os resultados deste sejam música para os ouvidos de muitos", finaliza o cientista.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês). 

boasnoticias.pt

Operadores não querem ANACOM a controlar as suas campanhas publicitárias

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Queens Of The Stone Age - No One Knows

Blur - Song 2

Vídeo: Bruxo de Fafe explica porque não conseguiu retirar título ao Benfica

20 de maio, Timor-Leste liberta-se da ocupação indonésia

Cérebro: Cerveja pode afastar Alzheimer e Parkinson



Cientistas chineses anunciaram ter descoberto um novo benefício da cerveja. Esta bebida pode ajudar a prevenir patologias neurodegenerativas como as doenças de Alzheimer e Parkinson graças a um composto capaz de proteger as células do cérebro de eventuais danos.
 
De acordo com um estudo publicado, em Janeiro, na revista científica Journal of Agricultural and Food Chemistry da Associação Americana de Química (ACS, na sigla em inglês), este composto, chamado "xanthohumol" e encontrado no lúpulo, planta utilizada para a produção da cerveja, tem potencial para atrasar e mesmo prevenir o aparecimento do Alzheimer e do Parkinson.
 
Evidências crescentes apontam o 'stress oxidativo' que afeta as células neuronais como um dos principais causadores do desenvolvimento de doenças com origem no cérebro, pelo que proteger estas células pode significar a prevenção ou, pelo menos, o atraso na progressão de patologias do género.
 
Uma vez que o "xanthohumol" tem chamado a atenção dos investigadores por ter capacidades antioxidantes, anticancerígenas e de proteção do sistema cardiovascular, a equipa da Universidade de Langzhou, na China, coordenada por Jianguo Fang, decidiu estudar os seus efeitos nas células cerebrais.
 
Em testes com ratinhos, os cientistas constataram que este composto do lúpulo, presente na cerveja, é capaz de proteger os neurónios e, potencialmente, de atrasar o avanço das doenças neurodegenerativas, pelo que poderá ser, de futuro, "um bom candidato para combater estes problemas", explica um comunicado divulgado pela ACS.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês). 
boasnoticias.pt

terça-feira, 19 de maio de 2015

Porto: Rastreios gratuitos ao cancro de pele

Porto: Rastreios gratuitos ao cancro de pele
Para assinalar o Dia do Euromelanoma, o Hospital dos Lusíadas vai fazer rastreios gratuitos ao cancro de pele, já no próximo dia 20 de Maio, no Porto. Anualmente, surgem 700 novos casos de melanoma maligno em Portugal. 

A iniciativa vai decorrer na Unidade de Dermatologia do Hospital Lusíadas Porto entre as 09h30 e as 13h00 e entre as 14h30 e as 17h00. O rastreio é gratuito mas está sujeito a uma inscrição prévia que deve ser feita através do número grátis 800 201 000.
 
A sensibilização para os riscos do melanoma, assim como alertar para a importância da prevenção e diagnóstico precoce desta que é a forma mais grave do cancro de pele, são os principais objectivos desta campanha.

Susana Vilaça, coordenadora da Unidade de Dermatologia do Hospital Lusíadas, explica que o melanoma "é um cancro que pode surgir em qualquer pessoa, dos mais novos aos mais idosos, sendo que os indivíduos de maior risco são: os de pele clara, com cabelo ruivo ou loiro, olhos claros, com tendência para formarem sardas e/ou com muitos sinais disseminados pelo corpo".

O papel dos profissionais que se dedicam a esta iniciativa é prevenir, diagnosticar, tratar, mas também têm o papel de informar. "O paciente bem informado procura-nos mais precocemente e um diagnóstico precoce nesta entidade é vital. Devemos conhecer o nosso corpo e os nossos sinais, estando atentos para alguma alteração do seu tamanho, cor, textura ou aparecimento de sintomas associados tais como prurido ou dor", conclui Susana Vilaça. 

boasnoticias.pt

Publicação em destaque

A tosse de fumador pode esconder problemas de saúde graves

http://ptjornal.com/a-tosse-de-fumante-pode-esconder-problemas-de-saude-graves-62045