quinta-feira, 30 de julho de 2015

Charles & Eddie - Would I Lie To You?

Vídeo: De que cor é este beija-flor? Será mesmo roxo e cinzento?

O beijo pode ser mais prejudicial do que o tabaco e o álcool… numa questão

Vídeo: José Manuel Coelho usa megafone no Parlamento da Madeira e fica a falar sozinho

30 de julho, nasce Eunice Muñoz, uma das maiores atrizes portuguesas

Windows 10 fica hoje disponível (gratuito para quem tiver Windows 7 ou 8)

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Bryan Adams - Have You Ever Really Loved A Woman?

Veja como este ciclista tira um carro mal estacionado do caminho

Vídeo: Estas 10 demolições foram… demolidoras

Vídeo: Conheça a transexual que vai a votos em Portugal, pelo Bloco de Esquerda

Vídeo: Marinha lituana não sabe ‘estacionar’ o navio

29 de julho, morre António Feio, o ator que fazia rir e pensar

terça-feira, 28 de julho de 2015

Whitesnake - Still of the Night

Vídeo: Um canto direto. Elas mostram como se faz

Deputada amamenta a filha em pleno parlamento

Esta aterragem tornou-se viral. Veja o vídeo e perceba porquê

Video: Casey Stoner lesiona-se num acidente nas 8 Horas de Suzuka

Antes rico que inteligente. Estudo diz que inteligência não garante sucesso

Consentimento dos Cookies

domingo, 26 de julho de 2015

Say Hello, Wave Goodbye- Live Grand Finale Redux

Níveis do Super Mario criados por funcionários do Facebook vão ser jogáveis

26 de julho, celebra-se o Dia Mundial dos Avós

Nuno Graciano explica “polémica que não queria” com os bombeiros (vídeo)

Lexus criou um carro que se ilumina com o bater do coração

sábado, 25 de julho de 2015

Staind - It's Been Awhile (Video)

Coreia do Norte celebra concurso gastronómico de carne de cão

Cortou uma mão para receber seguro e foi preso por fraude

Video: O aparatoso capotanço de Sergio Perez nos treinos do GP da Hungria

Pediu Cannabis pelo Twitter e teve uma resposta… da polícia

Vídeo: Penálti ou “assalto à mão armada”?

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Extreme - More Than Words

Vídeo: Condutora que choca contra monte de neve apanhada a beber

Vídeo: Mulher salva criança fechada num carro enquanto os pais foram às compras

24 de julho, nasce Bolívar, o libertador democrata da América do Sul

Gotas oftálmicas podem tratar cataratas sem cirurgia


As gotas oftálmicas podem vir, no futuro, a substituir a cirurgia no tratamento das cataratas, doença que leva a um embaçamento progressivo da visão e que pode mesmo conduzir à cegueira total, concluiu um novo estudo desenvolvido por investigadores norte-americanos.
 
Habitualmente, as cataratas, que provocam uma opacidade parcial ou, por vezes, total do cristalino, estrutura localizada "atrás" da íris no olho humano, resultam de uma acumulação anormal de proteínas causadas por fatores que vão da idade à diabetes, afetando milhões de pessoas em todo o mundo e sendo responsáveis por mais de metade dos casos de cegueira.
 
Para descobrir de que forma poderia ser possível evitar esta acumulação de proteínas e manter o cristalino transparente, os cientistas da Universidade da Califórnia - San Diego, nos EUA, analisaram os genes de duas famílias cujos membros sofriam de cataratas desde o nascimento.
 
Os investigadores descobriram que, em todos os familiares, existiam mutações num gene envolvido na produção de uma pequena molécula chamada "lanosterol". Em olhos saudáveis, esta molécula ajuda a prevenir a acumulação de proteínas que conduz às cataratas, mas em situações anormais como a destas famílias esta prevenção não é eficaz, levando ao aparecimento da doença.
 
A equipa decidiu, então, estudar o efeito do "lanosterol" em cães com cataratas, já que estes animais são, também, biologicamente, muito afetados pela patologia. "Há muitos cães idosos com cataratas. Alguns colaboradores nossos na China reuniram-nos para uma outra investigação sobre cataratas e nós tratámo-los com 'lanosterol'", conta Kang Zhang, oftalmologista e coautor do estudo.
 
Após seis semanas de tratamento com gotas oftálmicas de "lanosterol", o embaçamento do cristalino e o tamanho das cataratas dos animais diminuíram. Em experiências realizadas, depois, com células do cristalino humanas e de coelhos em laboratório, os resultados foram semelhantes.
 
"A mais importante implicação [deste estudo] é que podemos tratar as cataratas com gotas para os olhos e sem cirurgia", disse Zhang ao site especializado LiveScience. Ainda assim, o investigador frisa que este é apenas "um estudo preliminar" e que a segurança do composto terá de ser avaliada para que seja possível dar início a ensaios clínicos em humanos.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).
boasnoticias.pt

Molécula patentada em Coimbra eficaz contra o cancro



A molécula Redaporfin, descoberta na Universidade de Coimbra (UC) e já patenteada, é eficaz no tratamento de vários tipos de cancro através de terapia fotodinâmica, uma terapia inovadora que permite eliminar as células cancerígenas de forma precisa. A conclusão é de um conjunto de estudos e experiências realizados em ratinhos entre 2011 e 2014.
 
Em comunicado enviado ao Boas Notícias, a universidade portuguesa conta que, nos ensaios efetuados, 86% dos ratinhos com tumores diversos que foram tratados com esta tecnologia, de acordo com exigentes protocolos de segurança, ficaram curados, não se observando efeitos secundários como acontece com os tratamentos convencionais, nomeadamente a quimioterapia.
 
Um estudo baseado nestas experiências e que acaba de ser publicado no European Journal of Cancer demonstrou, também, "uma taxa de reincidência da doença muitíssimo baixa", reiterando a eficácia da molécula. 
 
Segundo a UC, os testes realizados em modelos animais serviram de base para a arquitetura do plano dos ensaios clínicos que a empresa portuguesa Luzitin SA está a efetuar com doentes com cancro avançado da cabeça e do pescoço.
 
"[Estes testes] previram, com rigor, quando é que a resposta ao tratamento iria surgir, com que doses e em que circunstâncias seriam obtidos os efeitos terapêuticos no doente. Estas previsões estão a ser confirmadas nos ensaios clínicos em curso", congratula-se Luís Arnaut, catedrático da UC e diretor de Química Medicinal deste projeto. 
 
Para o especialista, está em causa uma confirmação excecional, isto porque, "considerando que são realidades muito distintas, na grande maioria dos estudos muito do conhecimento adquirido nos testes em animais não é confirmado nos humanos mas, neste caso, foi possível chegar à dose adequada para obter resultado terapêutico nos doentes sem efeitos adversos, como previsto".

Fármaco pode chegar ao mercado em três a quatro anos
 
A UC adianta que estão a decorrer, até ao final do ano, ensaios clínicos com doentes oncológicos em vários hospitais do país e que os resultados agora conhecidos e validados cientificamente "fundamentam a expectativa de que a terapia fotodinâmica com a molécula Redaporfin se revele mais eficaz do que as terapêuticas convencionais". 
 
Uma grande parte do percurso está já realizada, razão pela qual o catedrático acredita que este fármaco, o primeiro fármaco português para tratamentos oncológicos, poderá estar no mercado "dentro de três a quatro anos".
 
A investigação, iniciada há mais de uma década, envolve perto 40 investigadores dos grupos de Luis Arnaut e de Mariette Pereira da Universidade de Coimbra, da empresa Luzitin SA, criada para desenvolver este projeto, e de uma equipa de médicos do IPO-Porto.
 
A terapia fotodinâmica com Redaporfin permite combater de forma muito eficaz as células cancerígenas. A principal inovação do tratamento está associada ao facto de "a terapia estimular o sistema imunitário do paciente", limitando o processo de metastização do tumor. 
 
"Simplificando, o sistema imunitário fica de alerta e ativa a proteção anti-tumoral contra o mesmo tipo de células cancerígenas noutras partes do organismo", esclarece Luís Arnaut.
 
Fundada pela Bluepharma e pelos inventores da Redaporfin em 2012, a Luzitin SA realizou os estudos de pré-clínicos para obter autorização para a realização de ensaios clínicos com a Redaporfin e, desde 2014, está a realizar em Portugal um ensaio clínico de fase I/II com doentes de cancro avançado da cabeça e pescoço.

boasnoticias.pt

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Glenn Mederios - nothing gonna change my love for you

Vídeo: Jorge Gabriel cai em direto no programa das manhãs da RTP

‘Regresso ao Futuro’: 30 anos mais tarde, elenco junta-se para a selfie

Tentaram matar este cão, mas os bombeiros salvaram-no (com vídeo)

Cancro: Europa aprova tratamento experimental, mas há mais medicamentos na calha

A suposta proibição de publicar fotos dos filhos no Facebook

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Chris De Burgh LADY IN RED

Judoca portuguesa conquista ouro na Rússia


Joana Ramos (segunda a contar da esquerda) foi a grande vencedora do Grand Slam de Tyumen. © Federação Internacional de Judo
A judoca portuguesa Joana Ramos (-52kg) foi a grande vencedora do Grand Slam de Tyumen, na Rússia. Com a conquista da medalha de ouro na sequência de "uma prova extraordinária", elogia a Federação Portuguesa de Judo (FPJ), a atleta somou 500 pontos para o 'ranking' mundial.
 
Em comunicado, a FPJ revela que, no seu caminho até ao lugar mais alto do pódio, Joana Ramos começou por derrotar, por 'ippon', a alemã Maria Ertl. 
Ao primeiro triunfo seguiram-se outros tantos sobre Yulia Ryzhova, da Rússia (n.º 13 mundial), Andreea Chitu, da Roménia (atual campeã da Europa e líder mundial), Yana Sundberg, da Finlândia (n.º 10 mundial) e, finalmente, Yingnan Ma, da China.
 
No primeiro dia da competição participaram, também, os portugueses Nuno Carvalho (-60 kg), Diogo César (-66 kg), Sergiu Oleinic (-66 kg), André Alves (-73 kg) e Jorge Fernandes (-73 kg).
 
No segundo dia da prova, os atletas nacionais Carlos Luz e Diogo Lima conquistaram ambos um 7º lugar na categoria -81 kg, destaca a FPJ.

Com estes resultados, a equipa portuguesa terminou o Grand Slam em 7.º lugar da geral por países.

boasnoticias.pt

Suplemento permite a celíacos comer alimentos com glúten


São boas notícias para os doentes celíacos. Um suplemento natural desenvolvido por investigadores da Universidade de Alberta, no Canadá, pode vir a retirar o pão, as massas ou até a cerveja da lista de proibições dos pacientes com intolerância ao glúten, permitindo-lhes a ingestão destes alimentos sem riscos para a saúde.
 
Trata-se de um fármaco concebido por Hoon Sunwoo, professor daquela instituição de ensino universitário, e que tem como principal ingrediente as gemas de ovos de galinha, que previnem a absorção da gliadina, um composto do glúten que as pessoas com doença celíaca têm dificuldade em digerir.
 
"Este suplemento 'cola-se' ao glúten que se encontra no estômago e ajuda a neutralizá-lo, defendendo o intestino e limitando os danos causados pela gliadina", explica Sunwoo, em comunicado. "A nossa esperança é que esta solução possa melhorar a qualidade de vida dos pacientes com doença celíaca e intolerância ao glúten", acrescenta o investigador.
 
O interesse de Sunwoo em estudar o problema da intolerância ao glúten surgiu, segundo o especialista, depois de ter descoberto que um amigo e toda a sua família sofriam de doença celíaca.

"Quis perceber se havia uma forma de reduzir os sintomas. Com o glúten presente em tantos dos alimentos que consumimos, o meu objetivo passou a ser a melhoria da qualidade de vida deste meu amigo, da sua família e de todos os outros", justifica o cientista.


O suplemento, que vai estar disponível sob a forma de um simples comprimido, poderá melhorar a qualidade de vida dos pacientes com doença celíaca e permitir-lhes uma dieta com maior liberdade © Universidade de Alberta
 
O suplemento vai ser, no próximo ano, sujeito a um ensaio clínico para apurar a sua verdadeira eficácia e, caso se revele seguro e eficiente, poderá chegar ao mercado dentro de três anos com a colaboração de uma série de parceiros comerciais.
 
"Este produto revolucionário tem potencial para oferecer maior liberdade à dieta dos indivíduos com intolerância ao glúten, bem como uma melhor qualidade de vida", afirma Claire Perry, responsável do Vetanda Group, grupo parceiro do projeto, no mesmo comunicado.
 
"O suplemento poderá estar disponível para doentes celíacos canadianos já dentro de três anos, abrindo-se, assim, caminho à sua aprovação nos EUA e na Europa", adianta Perry.
 
A doença celíaca é uma doença autoimune do intestino delgado causada por uma reação à gliadina, uma proteína do glúten presente no trigo, e a outras proteínas semelhantes de cereais como a cevada ou o centeio. Entre os principais sintomas da patologia estão a anemia, as dores de cabeça, o inchaço abdominal e o cansaço.

Atualmente considerada incurável, a doença celíaca pode ser controlada, apenas, através do seguimento de uma dieta sem glúten durante toda a vida, razão pela qual este suplemento pode ser "revolucionário", diz a universidade.

boasnoticias.pt

Matemática: Três medalhas portuguesas nas Olimpíadas


Portugal apresentou-se em bom plano na mais recente edição das Olimpíadas Internacionais de Matemática (OIM), que decorreram em Chiang Mai, na Tailândia. No âmbito da participação naquela competição mundial, os alunos portugueses conquistaram três medalhas de bronze e uma menção honrosa.
 
De acordo com informações divulgadas, em comunicado, pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC), as três medalhas de bronze foram conquistadas por Nuno Santos, do Colégio Nossa Senhora do Rosário, no Porto, Henrique Aguiar, da Escola Secundária José Estêvão, em Aveiro, e Francisco Andrade, da Escola Secundária do Padrão da Légua, em Matosinhos.
 
Já Henrique Santos, da Escola Secundária José Falcão, em Coimbra, conseguiu uma menção honrosa, adianta o MEC, que, no mesmo comunicado, felicitou, por intermédio do Ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, a equipa que representou Portugal nas OIM.
 
Além dos quatro alunos distinguidos, participaram ainda nas Olimpíadas os estudantes Bruno Carvalho, da Escola Secundária do Padrão da Légua, em Matosinhos, e Henrique Navas, da Escola Básica e Secundária D. Filipa de Lencastre, em Lisboa.
 
A participação nas OIM é organizada pela Sociedade Portuguesa de Matemática e a seleção e preparação dos alunos é realizada pelo Projeto Delfos, do Departamento de Matemática da Universidade de Coimbra. A 56.ª edição das OIM contou com 582 participantes oriundos de 114 países. 

boasnoticias.pt

Hackers conseguem controlar remotamente quase meio milhão de automóveis

terça-feira, 21 de julho de 2015

Till Death Do Us Part - White Lion With Lyrics

Vídeo: Família (grande) de javalis atravessa a estrada

Vídeo: Exibição de carros da polícia acaba em capotamento ridículo

Vídeo: Blatter humilhado com notas num protesto de um comediante

21 de julho, nasce Ernest Hemingway, membro da ‘geração perdida’

Jovens paralímpicos portugueses conquistam 14 medalhas


© Comité Paralímpico de Portugal
Portugal conquistou um total de 14 medalhas nos Jogos Paralímpicos Europeus da Juventude, que decorreram este fim-de-semana na cidade de Varazdin, na Croácia, onde mais de 350 atletas de 22 países prestaram provas nas modalidades de atletismo, boccia, natação e ténis de mesa.

Representada por seis atletas do atletismo, boccia e natação, a delegação portuguesa estreou-se, sexta-feira, nestes Jogos Europeus com cinco medalhas arrecadadas pelos nadadores Ruben Linhares e Renata Pinto, revela, em comunicado, o Comité Paralímpico de Portugal.
 
No final do dia de sexta-feira houve, ainda, tempo para o arranque do atletismo, com a portuguesa Ana Filipe a garantir a prata nos 400 metros e o ouro no salto em comprimento. Já no sábado, na mesma modalidade, Ivan Amona conquistou dois ouros nos 100 e 200 metros.
 
Depois dos bons resultados da estreia, a natação não desiludiu no segundo dia de provas: Renata Pinto alcançou a prata nos 100 metros livres e nos 50 metros bruços e o ouro nos 50 metros costas, tornando-se a atleta portuguesa mais medalhada nos Jogos Europeus com um total de um ouro, quatro pratas e um bronze.
 
Ruben Linhares, que disputou os 100 metros livres e 50 metros costas, ganhando, respetivamente, uma prata e um ouro, somou um total de quatro medalhas para Portugal: duas de ouro, uma de prata e uma de bronze.
 
Os atletas portugueses do boccia, Tiago Teixeira e Tiago Pedro, "não tiveram tanta sorte perante os seus adversários e não chegaram às fases finais da competição, tendo, no entanto, demonstrado a sua capacidade de evolução internacional", frisa o Comité Olímpico de Portugal.


boasnoticiaspt

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Bruce Springsteen - I'm On Fire

Campeão de surf sobrevive a ataque de tubarão em direto

Portugal campeão do Mundo de futebol de praia

20 de julho, Armstrong e Aldrin pisam a superfície da Lua

Lumos - um capacete luminoso para ciclistas

domingo, 19 de julho de 2015

Bryan Adams - Heaven

Provavelmente... o salto mais difícil do mundo

Cantor desmaia com excesso de roupa para não pagar mala extra

Rixa em parlamento mexicano

Primeiro salto mortal quadruplo de BMX

sábado, 18 de julho de 2015

Swedish House Mafia - Don't You Worry Child ft. John Martin

Video: ‘Encontro imediato’ de Sander Parn com uma árvore no Rali da Estónia

Vídeo: Camionista é atacado por bandidos e a resposta é brutal

Fábrica chinesa atingida por placa de 60 quilos que ‘descolou’ de um avião

e-SIM: Um cartão SIM universal para descomplicar

China: Mãe recusa estragar BMW para salvar o filho

Quando a Blockbuster não quis comprar a Netflix - um dos grandes arrependimentos da História?

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Dido - Here with Me (Official Video)

Jon Secada - Just Another Day

Vídeo: Caça voa sobre a praia e leva tudo pelos ares

Vídeo: Efeito magnus leva uma bola de basquetebol a passear

Vídeo: Jornalista da TVI atingido por gás-pimenta e banho de água em direto

17 de julho, nasce Quino, o cartonista ‘pai’ de Mafalda

5 truques que podes fazer via email

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Live - Lightning Crashes

Portugueses desenvolvem molhos mais saudáveis



Entre as opções há 'ketchup' e maionese com teores reduzidos de açúcar, sal e gordura
Porque uma boa saúde não tem de implicar, obrigatoriamente, abdicar de sabores como os do 'ketchup' ou da mostarda, fiéis companheiros da 'fast-food', investigadores portugueses apostaram no desenvolvimento de um conjunto de novos molhos com compostos naturais, mais saudáveis e com menos sal, açúcar e gordura.
 
A inovação insere-se no projeto "Saucealth", da responsabilidade da Escola Superior de Biotecnologia (ESB) da Católica Porto, que tem por objetivo desenvolver novos molhos, mais seguros e benéficos para a saúde com recurso a soluções "antimicrobianas e antioxidantes naturais".
 
Em comunicado, a ESB explica que, no âmbito deste trabalho, realizado em parceria com a empresa Mendes Gonçalves, foram desenvolvidas novas fórmulas de molhos - 'ketchup', mostarda e maionese - com compostos naturais.
A atuação ESB no projeto passou, principalmente, pelo apoio científico à seleção dos ingredientes utilizados na confeção dos molhos e pela validação de todas as propriedades nutricionais e segurança das formulações.
 
"A equipa de investigação apostou na utilização de compostos como extratos naturais citrinos, quitosana ou diacetato sódio (vinagre em pó) que, além de garantirem a segurança necessária ao prazo de validade, demonstraram assegurar um produto de elevado valor sensorial", revela instituição de ensino superior.
 
Alguns dos compostos utilizados permitiram, também, segundo os cientistas envolvidos no projeto, "garantir uma atividade antioxidante relevante de elevada proteção do produto final", sem que o sabor fosse comprometido.
 
Os investigadores procuraram, também, adequar estes novos molhosàs exigências nutricionais atuais. Com recurso a novas tecnologias (nomeadamente à emulsão dupla e aos aditivos naturais já mencionados), foram desenvolvidas formulações com reduzido teor de sal, gordura e açúcar.
 
Segundo a ESB, a "parceria entre a Mendes Gonçalves - empresa com elevada experiência no desenvolvimento de formulações inovadores no mercado - e a Católica Porto demonstra, uma vez mais, como a ligação das empresas às universidades é crucial na criação de produtos inovadores para o consumidor".

boasnoticias.pt

Viral: Menino sem casa estuda à luz de restaurante


© Joyce Gilos Torrefranca/Facebook (Reprodução)
Tem apenas nove anos, mas sabe bem o que quer ser quando for grande: polícia. A história do pequeno Daniel Cabrera, natural de Manila, nas Filipinas, tornou-se viral nas redes sociais depois de o menino, sem casa nem eletricidade, ter sido fotografado a estudar, na rua, à luz de um restaurante de 'fast-food'.
 
As duas fotografias que estão a correr o mundo foram captadas e partilhadas no Facebook por Joyce Gilos Torrefranca, uma jovem estudante da Universidade de Cebu, também nas Filipinas, que ficou impressionada com a determinação da criança quando a encontrou a ler um livro e a escrever sobre um banco de madeira junto à janela de um McDonald's.
 
"Para mim, enquanto estudante, foi muito marcante. Raramente vou a um café para estudar e, depois, vejo este miúdo, que não tem nada, mas tem dedicação suficiente para aprender", disse Torrefranca, responsável pelas imagens partilhadas quase 10.000 vezes no Facebook.
 
A história espalhou-se rapidamente e não tardou até que o ABS-CBN News, um jornal filipino, conseguisse descobrir a identidade do menino, que está, neste momento, na terceira classe e cuja família ficou desalojada depois de um incêndio, vivendo, agora, na pequena mercearia onde a mãe, viúva, trabalha.

Menino vai receber bolsa de estudo para continuar a aprender
 
"O Daniel é uma criança feliz e muito inteligente. Tem sempre resposta durante os debates na sala de aula e é muito participativo", confidenciou à publicação Rosalina Detuya, professora do menino - muitas vezes obrigado a ir para a escola sem tomar o pequeno-almoço devido às dificuldades económicas - que não esconde a admiração pela sua perseverança.
 
Numa entrevista ao canal televisivo das Filipinas dzMM, Daniel contou que decidiu estudar para ser polícia depois de uma conversa com o pai, que entretanto faleceu. "Quero ser polícia para ajudar as Filipinas", explicou o rapaz, que deseja, também, contribuir para apoiar a família, já que a mãe ganha apenas 80 pesos (cerca de 1,60 euros) por dia.
 
Graças à divulgação do caso, a situação de Daniel foi já sinalizada pela segurança social e as autoridades locais uniram-se, entretanto, para oferecer alimentos e algum dinheiro à família. O menino vai, também, receber uma bolsa de estudo oferecida por Samuel Pagdilao, um político das Filipinas, para poder continuar a aprender.

"Nunca pensei que uma simples fotografia pudesse fazer uma diferença tão grande. Obrigada a todos os que a partilharam. Ao fazê-lo, todos conseguimos ajudar o Daniel a alcançar os seus sonhos", escreveu Torrefranca na sua página do Facebook alguns dias após a partilha das imagens.

"Espero que a história do Daniel continue a tocar os nossos corações para que nos sintamos sempre inspirados e motivados independentemente das situações que enfrentamos na vida", finalizou a jovem.

boasnoticias.pt

Diabetes: Laser que mede glicose pode substituir picadas

Diabetes: Laser que mede glicose pode substituir picadas
© Universidade de Leeds
Um novo sensor laser que controla os níveis de glicose no sangue de forma não-invasiva pode vir a transformar as vidas de milhões de pessoas com diabetes. A invenção, desenvolvida por um grupo de investigadores britânicos, tem potencial para se constituir como uma alternativa simples e indolor às incómodas picadas no dedo que fazem parte do dia-a-dia dos pacientes de todo o mundo.
 
Da responsabilidade de uma equipa da Faculdade de Engenharia da Universidade de Leeds, em Inglaterra, coordenada pelo investigador Gin Jose, a nova tecnologia utiliza um pequeno dispositivo com lasers incorporados que medem os níveis de glicose sem penetrar na pele, proporcionando uma monitorização contínua.
 
Em comunicado, Jose e os colegas explicam que a solução "pode melhorar a vida de milhões de pacientes ao tornar possível um controlo constante da glicose sem a necessidade de um implante".

A ferramenta pode, também, ser útil para os profissionais de saúde, já que é uma alternativa "simples e barata" aos métodos atuais (quer picadas no dedo, quer dispositivos de monitorização invasivos que funcionam com sensores implantados e têm de ser substituídos regularmente).
 
"Ao contrário dos sistemas convencionais, esta tecnologia não-invasiva consegue monitorizar, constantemente, os níveis de glicose. Além de substituir as picadas no dedo, pode proporcionar aos pacientes um controlo contínuo, ajudando-os a estar permanentemente em alerta caso seja necessário intervir", afirma Gin Jose.
 
Segundo o cientista, "este método permitirá aos pacientes controlar, autonomamente, a sua condição e minimizar as idas às urgências hospitalares", podendo até, no futuro, ser aperfeiçoado com vista ao envio de alertas e relatórios para os 'smartphones' dos médicos, ajudando a construir um histórico da progressão da doença ao longo do tempo.


Em menos de 30 segundos, o dispositivo, que funciona com laser, é capaz de calcular o nível de glicose no sangue sem a necessidade de agulhas. © Universidade de Leeds 
 
A nova tecnologia funciona com base numa peça de vidro de silica modificada com iões que "brilha" com luz infravermelha quando é atingida por um laser de baixa intensidade. Ao entrar em contacto com a pele do paciente, a intensidade do sinal fluorescente varia conforme os níveis de concentração da glicose no sangue.
 
O processo, que dura menos de 30 segundos, permite, portanto, calcular o nível de glicose na corrente sanguínea sem a necessidade de agulhas. "O vidro usado nos nossos sensores funciona de forma semelhante ao dos 'smartphones', razão pela qual este dispositivo é mais económico do que os sistemas de automonitorização que já existem", realça Jose.
 
A equipa já realizou, entretanto, um ensaio clínico piloto que sugere que o sistema consegue ser tão eficaz quanto os tradicionais, embora sejam necessários mais testes e uma otimização do produto, já licenciado pela empresa Glucosense Diagnostics, uma 'spin-out' financiada pela universidade, antes da sua introdução no mercado.
 
"O nosso objetivo é desenvolver dois tipos diferentes de dispositivo para comercialização. Um deles será semelhante a um 'rato' de computador, bastando encostar o dedo ao sensor para medir a glicose, ao passo que o outro poderá ser incorporado na roupa para monitorização contínua", adianta Gin Jose.

boasnoticias.pt

Portugueses descontaminam águas com saquinhos de "chá"


© Universidade de Aveiro
Cientistas portugueses descobriram uma alternativa eficaz para descontaminar águas poluídas com metais tóxicos que, diariamente, são libertadas nos sistemas aquáticos do planeta. O segredo está no uso de saquinhos de "chá" que, em vez de folhas ou flores, contêm óxido de grafeno, uma solução barata e mais eficiente do que qualquer outra disponível na atualidade.
 
A nova potencialidade do óxido de grafeno foi descoberta por uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro, que acredita que as "infusões" podem vir a ajudar a resolver o problema global das águas contaminadas com metais pesados, conseguindo, ao contrário "dos mais avançados e caros processos de descontaminação", taxas de remoção quase totais.
 
O estudo que dá conta deste achado foi, recentemente, apresentado no âmbito do congresso internacional Graphene Week 2015 e mereceu a atenção da Royal Society of Chemistry, uma importante organização científica mundial dedicada à Química, revela a universidade portuguesa em comunicado.
 
Experiências realizadas pelos investigadores do Departamento de Engenharia Mecânica (DEM) e do Departamento de Química (DQ) da UA demonstraram que, com apenas 10 miligramas de óxido de grafeno por cada litro de água contaminada com 50 gramas de mercúrio, foi possível, ao fim de 24 horas, remover cerca de 95% desse metal altamente perigoso para o sistema nervoso central.
 
"Não existe no mercado um produto que apresente as caraterísticas deste", garante, no mesmo comunicado, Paula Marques, investigadora do DEM e coordenadora da equipa que desenvolveu os saquinhos, um produto patenteado e que já suscitou o interesse de algumas empresas nacionais.

Segundo a responsável, foi também já "efetuada uma experiência comparativa com carvão ativado, o material mais comummente usado para este tipo de aplicações, tendo o óxido de grafeno mostrado uma eficiência muito superior".
 
Paula Marques explica que a ideia de recorrer aos saquinhos de "chá" surgiu como "forma simples, barata e eficaz para suportar a espuma de óxido de grafeno", uma espuma com "grande capacidade de adsorção [adesão de constituintes de um fluido a uma superfície sólida] devido à sua enorme área superficial potenciada por ser um material muito poroso".
 
Os saquinhos contribuem, portanto, para "facilitar o processo de introdução e remoção do produto na água a descontaminar, evitando, simultaneamente, a dispersão de partículas de óxido de grafeno que, durante o processo, têm tendência a desagregar na água".
 
O próximo passo da equipa passará, agora, pela colocação, dentro dos poros da espuma de grafeno, de moléculas capazes de captar elementos potencialmente tóxicos.

"A procura por água potável de boa qualidade tem vindo a aumentar, enquanto grandes quantidades de efluentes contendo diferentes contaminantes são constantemente descarregados nos sistemas aquáticos, causando a sua deterioração", lamenta a cientista.

Esta realidade tem feito com que se acentue "a preocupação na gestão e proteção dos recursos hídricos, com as políticas ambientais a tornarem-se mais restritivas".
 
"Entre os elementos potencialmente tóxicos cujas descargas ou emissões têm sido fortemente condicionadas, ou mesmo proibidas, encontram-se os metais e metaloides como o mercúrio, o cádmio, o chumbo, o arsénio, sendo estes, no momento, o nosso principal alvo", adianta Paula Marques.

Elevada eficiência e baixo custo de produção
 
Para a equipa da UA, que integra, também, Gil Gonçalves e Mercedes Vila, do DEM, e Bruno Henriques e Maria Eduarda Pereira do DQ, a principal vantagem deste sistema está associada, além da elevada eficiência, à facilidade de síntese e ao baixo custo de produção, que o torna uma opção mais económica.
 
O sistema permite, também, destacam os cientistas, "a aplicação em locais que não possuam infraestruturas específicas para descontaminar com metais": basta colocar estes saquinhos de "chá" na água e retirá-los, puxando pelo fio, quando a limpeza estiver finalizada. 

boasnoticias.pt

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Roxette - It Must Have Been Love

Veja o que fez a gaivota com uma GoPro roubada a um turista

Vídeo: Conheça o novo single dos U2, ‘Song For Someone’

Vídeo: Família do negro asfixiado pela polícia até à morte aceita 5,9 milhões

Vídeo: Avião aterra numa autoestrada com trânsito intenso

15 de julho, nasce Rembrandt, morre Anton Tchecov

terça-feira, 14 de julho de 2015

Alanis Morissette - Thank U (Official Music Video)

Vídeo: Assalto a bomba de gasolina acaba de forma surpreendente

Vídeo: Voou sobre rua da Rússia pendurado nos cabos telefónicos

Era uma vez Joana Metrass, uma atriz portuguesa numa série americana

14 de julho, nasce Ingmar Bergman, o cineasta romântico

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Birdy - People Help The People [Official Music Video]

Português é o grande vencedor do 'World Press Cartoon'


© André Carrilho
O português André Carrilho venceu, este sábado, o Grande Prémio do "World Press Cartoon 2015" (WPC) com um 'cartoon' inspirado na representação mediática do vírus do Ébola publicado no jornal Diário de Notícias a 10 de Agosto de 2014. O anúncio dos vencedores aconteceu durante uma cerimónia realizada na Cidadela de Cascais.
 
Descrito pelo júri da competição como um 'cartoon' que se tornou "fenómeno e objeto de estudo", "Ébola, de André Carrilho, "atinge o leitor com toda a violência". Isto porque, afirmam os jurados, "não expõe apenas o problema de uma doença devastadora, mas, sobretudo, denuncia a dualidade de critérios da imprensa europeia e norte-americana perante a origem das vítimas.
 
Numa entrevista cedida, por ocasião da publicação do 'cartoon', ao jornal online norte-americano MIC, André Carrilho falou da inspiração para esta obra. "As pessoas no continente africano são mais consideradas como estatística abstracta do que um paciente nos EUA ou na Europa", afirmou.
 
"Quantas histórias individualizadas conhecemos nós sobre quaisquer pacientes africanos? Nenhuma. São tratados como uma multidão indistinta", declarou o 'cartoonista' português, cujo trabalho acabou por se tornar viral nas redes sociais e mereceu destaque em muitos outros jornais de todo o mundo.


André Carrilho recebeu o galardão durante uma cerimónia na Cidadela de Cascais
 
Em comunicado, a organização do WPC realça que o 'cartoon' "alertou jornalistas, jornais e os seus leitores para as fragilidades das coberturas só aparentemente equilibradas dos grandes temas da atualidade e reacendeu o debate sobre a natureza do retrato do andamento do mundo que a imprensa deixa para a posteridade".
 
Nascido em Lisboa, André Carrilho é o mais internacional dos ilustradores e caricaturistas portugueses da atualidade, colaborando como várias publicações estrangeiras, entre as quais a Vanity Fair, New Yorker, Los Angeles Magazine.
 
O 'cartoonista' já conquistou múltiplos prémios a nível nacional e internacional e expôs o seu trabalho em mostras coletivas e individuais em países tão díspares como Brasil, China, República Checa, França, Espanha, EUA ou, claro, Portugal.


boasnoticias.pt

Química: Melhores alunos do país vão ter propinas pagas


Os 30 melhores alunos que se candidatarem, no próximo ano letivo, aos cursos de Química oferecidos por seis universidades nacionais vão ter as propinas pagas. O valor da propina anual será financiado pela Sociedade Portuguesa de Química (SPQ), que acaba de anunciar a atribuição de três dezenas de bolsas para 2015/16.
 
De acordo com a SPQ, "os cursos a serem financiados serão, apenas, aqueles que contêm a designação Química (excluíndo-se os cursos de bioquímica, engenharia química e química medicinal)".
 
Ao todo, estão em causa seis cursos ministrados pelas universidades de Aveiro (Química), de Coimbra (Química), de Lisboa (Química + Química Tecnológica), do Minho (Química), do Porto (Química) e Nova de Lisboa (Química Aplicada).
 
Segundo a SPQ, o objetivo desta iniciativa passa por combater a falta de candidatos dos últimos anos e incentivar "os departamentos de Química das universidades envolvidas" a "contribuir ativamente" para revitalizar o curso, disponibilizando-se para financiar "mais cinco bolsas cada" com vista a perfazer um total de 10 por universidade.

Apoio vai estar em vigor em Coimbra
 
Entre as instituições de ensino que aceitaram a proposta da SPQ está a Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra (FCTUC) que, no próximo ano letivo, vai assegurar as propinas de cinco candidatos ao curso de Química, revela a universidade em comunicado enviado ao Boas Notícias.
 
Quando forem divulgadas as notas da 1ª fase dos exames terá início o processo de seleção, que vai considerar os seguintes fatores de ponderação: 80% de peso atribuído à média de candidatura (são excluídos candidatos com nota mínima inferior a 10,5 valores), 10% da nota do exame de 11º ano de Física e Química A e 10% da classificação (nos três primeiros lugares) nas nas Olimpíadas de Química.
 
Para Sérgio Seixas de Melo, docente da FCTUC e secretário-geral da SPQ, este apoio ambiciona, essencialmente, alterar a "crise de vocações para a Química" e "manter vivo um curso que é estruturante e fundamental para o desenvolvimento do país".
 
"É necessário combater o mito de que a Química é um curso sem futuro. A Química é essencial para áreas distintas, desde a saúde e ambiente até às tecnologias.", garante  Seixas de Melo.

Clique AQUI para aceder ao regulamento de atribuição destas bolsas. 

boasnoticias.pt

RTP passa a emitir em 16:9

Windows 10 será o último a estar disponível fisicamente?

sábado, 11 de julho de 2015

Bruce Springsteen - Streets Of Philadelphia

Buika - No habrá nadie en el mundo

Jovens diabéticos preparam campeonato europeu de futsal

Vídeo: Uma volta ao circuito de Vila Real no Chevrolet de Tom Coronel

Vídeo: Voou para a morte numa explosão violenta

Mistura os elementos e cria explosões neste YouTube interactivo

sexta-feira, 10 de julho de 2015

quinta-feira, 9 de julho de 2015

U2 - One

Vídeo: Acidente brutal, tentativa de salvar vítima e um enigma

Acordo ortográfico pode estar “errado”, admite ministro da Cultura do Brasil

Molécula pode esconder "chave" para reverter demência



Pode ser uma nova esperança para os pacientes que sofrem de doenças neurodegenerativas como o Alzheimer. Investigadores norte-americanos descobriram, no sangue, uma molécula que se acumula com a idade e que parece estar associada ao declínio cognitivo, abrindo caminho a futuros tratamentos com vista à recuperação da memória.
 
De acordo com a equipa da Universidade da Califórnia - São Francisco, nos EUA, cujo estudo acaba de ser publicado na revista científica Nature, a molécula em causa - uma proteína denominada B2M - encontra-se em elevadas quantidades no sangue e no líquido encefálico de humanos envelhecidos.
 
Através de testes realizados em ratinhos com demência, os investigadores conseguiram, em laboratório, melhorar os seus processos de aprendizagem e memória com recurso à inibição da B2M.
 
"Estamos muito entusiasmados com esta descoberta porque ela indica que há duas potenciais formas de reverter o declínio cognitivo associado ao envelhecimento", disse Saul Villeda, coautor do estudo, numa entrevista por e-mail à AFP.
 
"Uma delas é introduzir, no sangue, fatores promotores da juventude e a outra é 'atacar' terapeuticamente os fatores promotores do envelhecimento", explicou o investigador que, num estudo anterior, publicado em 2014, tinha já provado que as injeções de sangue de ratinhos jovens em ratinhos adultos contribuíam para uma melhoria da memória e da aprendizagem destes últimos.

Bloquear molécula poderá restaurar memória
 
Os investigadores analisaram a capacidade dos roedores de se lembrarem de pistas que indicavam a posição de plataformas escondidas na água, uma habilidade semelhante à capacidade dos humanos de recordarem, por exemplo, o local onde estacionaram o carro, que se vai perdendo com a idade.
 
À data, os ratinhos mais velhos que receberam sangue jovem conseguiram encontrar as plataformas com mais facilidade, embora os cientistas ainda não saibam como ou porquê.
 
Durante a fase mais recente da investigação, agora dada a conhecer, Villeda e os colegas concluíram que as melhorias observadas nos ratinhos do estudo anterior parecem estar relacionadas com a B2M, proteína envolvida no sistema imunitário e que, quando presente em excesso, bloqueia a aprendizagem, a memória e o crescimento dos neurónios.
 
Segundo os investigadores, o efeito da proteína pode ser "revertido" através da inibição da sua produção - ou, no caso dos ratinhos, através da sua eliminação genética, que também foi testada em laboratório e evitou que os animais desenvolvessem perda de memória.
 
Tal significa, portanto, que a molécula tem potencial para vir a ser utilizada "como alvo para, eventualmente, restaurar as capacidades cognitivas dos mais velhos", apontou Villeda, adiantando que o próximo passo poderá ser o desenvolvimento de uma molécula capaz de bloquear ou eliminar do sangue humano esta proteína.

Clique AQUI para aceder ao estudo publicado na Nature (em inglês).

boasnoticias.pt

Emprego: Hospital britânico recruta enfermeiros no Porto


Os profissionais de enfermagem portugueses continuam a atrair o interesse do Reino Unido. Nos próximos dias 15 e 16 de Julho, a agência de recrutamento Best Personnel Portugal, em parceria com o Hospital Comunitário de Brighton, em Inglaterra, vai procurar enfermeiros no Porto para exercício de funções num centro de cuidados continuados e intermédios.
 
Em comunicado enviado ao Boas Notícias, a agência explica que o hospital, pertencente ao serviço nacional de saúde inglês (NHS), quer contratar entre 15 a 20 enfermeiros, com ou sem experiência, e vai enviar representantes a Portugal para realizar entrevistas presenciais com os interessados.
 
A instituição hospitalar oferece um salário entre as 21.692 e as 28.180 libras anuais e um contrato a tempo inteiro permanente (sem termo) que prevê 37,5 horas de trabalho por semana, assegurando, também, um pacote de alojamento de até 8.000 libras para cobrir despesas associadas à mudança para o Reino Unido.
 
Aos enfermeiros, que vão trabalhar num dos centros de cuidados continuados e intermédios do hospital em Newhaven, no sul de Inglaterra, onde vão acompanhar "pacientes de medicina e cirurgia que necessitam de cuidados gerais", bem como ajudar na "reabilitação dos pacientes antes de estes voltarem a casa", o hospital promete oportunidades de "desenvolvimento profissional e progressão na carreira" e "possibilidade de viajar com colegas portugueses".
 
De acordo com a Best Personnel Portugal, os candidatos devem ser licenciados em enfermagem e ter bons conhecimentos de inglês (nível intermédio). Embora a experiência (de pelo menos seis meses) seja considerada uma mais-valia, tal como a experiência em contexto de enfermagem comunitária, "são aceites candidaturas de finalistas e recém-licenciados".
 
As entrevistas presenciais com os candidatos realizam-se no escritório da Best Personnel Portugal, no Porto, nos próximos dias 15 e 16 de Julho. Quem quiser marcar presença deverá candidatar-se antecipadamente, enviando o CV em inglês com a referência "UK 29 2015" para applications@bestpersonnel.ie ouliliana.costa@bestpersonnel.ie.

boasnoticias.pt

Canal Showtime também se aventura no streaming sem necessitar de operador de TV

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Howard Jones "What is Love"

Vídeo: Micronésia goleada por 46-0, depois dos 30-0 e dos 38-0

Vídeo: Avô salta para a linha do comboio e salva neta da morte

Kitesurf: Velejador português bate recorde mundial


© JFerrand/MKO
O português Francisco Lufinha bateu, esta segunda-feira, o recorde mundial da maior viagem de kitesurf sem paragens, superando a anterior marca (também detida por si) de 564 quilómetros.
 
O veleador nacional, cuja aventura se iniciou ontem, pelas 16.30h, no Cais das Colunas, em Lisboa, soma já quase 40 horas de viagem 'non-stop' e já cumpriu mais de 700 quilómetros com destino à Madeira, onde terminará o percurso.
 
Em comunicado enviado ao Boas Notícias, a assessoria de imprensa de Francisco Lufinha informa que "o recordista vai continuar, agora, esta odisseia com motivação extra e com o objetivo de fixar o novo recorde o mais longe possível".
 
Recorde-se que o anterior recorde tinha sido fixado por Francisco Lufinha em Setembro de 2013, numa viagem entre o Porto e Lagos, no Algarve. "Superar esta marca é prova da coragem e determinação deste superatleta que já conta no seu currículo com vários desafios extremos", lê-se na mesma nota. 
 
A aventura do velejador conta com o patrocínio da MINI Portugal, Lusitânia Seguros, Montepio, Queijos Santiago, BP Portugal e Oliveira da Serra e tem o apoio institucional do Ministério da Agricultura e do Mar, da Marinha, da Secretaria Regional de Turismo da Madeira e da Faculdade de Motricidade Humana / Universidade de Lisboa, entre outros parceiros públicos e privados.

Clique AQUI para continuar a acompanhar esta "odisseia" no Facebook oficial de Francisco Lufinha.

boasnoticias.pt

Engenheiro português desenvolve colmeia "inteligente"


Miguel Bento, engenheiro e apicultor, herdou do avô a paixão pelas abelhas. © Universidade de Aveiro
Um jovem engenheiro português desenvolveu uma colmeia "inteligente" destinada a melhorar as condições de vida das abelhas e a facilitar o trabalho dos apicultores. O projeto nasceu da paixão de Miguel Bento, ex-aluno da Universidade de Aveiro (UA), pela apicultura e é apoiado pela Incubadora de Empresas da UA.
 
Além do amor por esta arte, Miguel Bento, de 25 anos, Mestre em Eletrónica e Telecomunicações, herdou do avô várias colmeias vazias, que "recheou" com um enxame oferecido por um primo. Foi aí que se apercebeu que, todos os anos, perdia milhares de abelhas - um problema que procurou solucionar.
 
De acordo com um comunicado da UA, o jovem engenheiro apicultor juntou-se, então, a dois ex-colegas, Joel Oliveira e André Oliveira, formados em gestão e design de produto, e fez nascer a "Apis Technology", empresa vocacionada para o desenvolvimento de uma colmeia que fosse "o sonho de qualquer apicultor".
 
Três anos de trabalho resultaram no protótipo de uma colmeia "inteligente", que, segundo explicou o jovem ao site da universidade, "possibilita a climatização automática do ambiente das abelhas, evitando mortes desnecessárias resultantes das variações de temperatura" e que conta com "um sistema de monitorização que permite que os apicultores tenham acesso, em tempo real, a tudo o que se passa com os seus enxames".
 
A colmeia APIS dispõe de uma eficiência térmica superior em 50% à das colmeias normais, o que, realça Miguel Bento, torna possível "evitar a morte de alguns enxames devido às temperaturas extremas, bem como a diminuição do consumo dos recursos por parte das abelhas que não precisam de gerar tanto calor para se aquecerem e, por isso, não precisam de consumir tanto alimento".

Colmeia já despertou a atenção estrangeira
 
Outra das vantagens da colmeia está na sua associação a uma plataforma 'online', onde os apicultores podem consultar todos os dados das suas colmeias. "Em cada uma das colmeias o apicultor pode introduzir um registo das suas inspeções, tendo assim um repositório de todas as informações referentes a essa colmeia, disponível em todo o lado", conta o engenheiro, citado pela UA.
 
As informações são reunidas por intermédio de um sistema desenvolvido por Miguel Bento e que é composto por vários sensores, que avaliam a humidade, a temperatura na câmara de criação, a temperatura no exterior da colmeia, o peso, o fluxo das abelhas a entrar e a sair da colmeia e que até dão a localização da mesma através de GPS.
 
Além de estar disponível para a colmeia APIS, que já tem alguns sensores embutidos, este sistema "pode ser colocado em qualquer colmeia já existente" utilizando um 'kit' separado de sensores configurável pelo próprio apicultor. Se um determinado peso for atingido, se a temperatura sair de uma determinada gama de valores, o responsável pela colmeia recebe um aviso automático 'online'.
 
"A única exceção é quando há uma tentativa de roubo ou derrube da colmeia quer pelo vento, quer por um animal de grande porte. Neste caso, o sistema envia um SMS para o apicultor", possibilitando uma intervenção mais imediata, revela o jovem engenheiro.
 
A colmeia de Miguel Bento está a ser testada há nove meses pelo apicultor, que tem já mais de 20 colmeias, produzindo 150 quilo de mel por ano. O projeto já despertou, entretanto, a curiosidade de um famoso produtor austríaco, Harald Hafner, que vai começar, também, a testá-la em breve.

boasnoticias.pt

Vitamina C diminui risco de doença cardiovascular



A elevada ingestão de frutos e vegetais ricos em vitamina C, como a laranja ou os brócolos, pode prevenir doenças cardiovasculares. A conclusão é de um novo estudo desenvolvido na Dinamarca, que revelou que as altas concentrações desta vitamina no sangue estão associadas a um menor risco de problemas cardíacos e de morte precoce.
 
Os benefícios da fruta e dos legumes para a saúde não são novidade, mas a investigação levada a cabo por uma equipa da Universidade de Copenhaga e dos hospitais dinamarquês de Herlev e Gentofte, que envolveu mais de 100.000 homens e mulheres dinamarqueses, vem, agora, reforçar as vantagens da sua ingestão.
 
Os cientistas, cujo estudo acaba de ser publicado na revista científica American Journal of Clinical Nutrition, analisaram o consumo de fruta e vegetais dos participantes, bem como o seu ADN, tendo demonstrado que a probabilidade de doença cardiovascular e morte precoce diminui com o seu aumento, algo que pode dever-se à riqueza destes alimentos em vitamina C.
 
"Observámos que aqueles que apresentavam um maior consumo de fruta e vegetais tinham um risco 15% inferior de desenvolver doenças cardiovasculares e uma probabilidade 20% menor de morrer precocemente em comparação com os que raramente comiam frutos e legumes", afirma, em comunicado, Camilla Kobylecki, estudante de bioquímica clínica do hospital de Herlev e Gentofte, que integrou o estudo.
 
De acordo com Kobylecki, "esta redução do risco está relacionada com elevadas concentrações de vitamina C no sangue obtidas a partir do consumo de fruta e vegetais".

Vitamina C tem ação fortalecedora e antioxidante
 
Entre outras qualidades, a vitamina C ajuda, segundo os cientistas, a fortalecer os ligamentos que unem diferentes tipos de tecidos e órgãos do corpo humano, sendo, também, um antioxidante potente, capaz de proteger as células e as moléculas biológicas dos danos que provocam múltiplas doenças, como é o caso da doença cardiovascular.
 
Uma vez que o organismo não é capaz de produzir vitamina C, é obrigatório obtê-la a partir da dieta ou, em última instância, de suplementos alimentares. "Sabemos que a fruta e os vegetais são saudáveis, mas o nosso estudo explica um pouco melhor o porquê", sublinha Boerge Nordestgaard, professor da Universidade de Copenhaga.
 
Nordestgaard explica que "comer muitos frutos e legumes é uma forma natural de aumentar os níveis sanguíneos de vitamina C, o que, a longo-prazo, pode contribuir para diminuir o risco de doença cardiovascular e morte precoce".
 
Embora seja possível obtê-la através de suplementos, o docente defende que "é boa ideia conseguir a vitamina C por intermédio de uma dieta equilibrada, já que esta ajudará, ao mesmo tempo, ao desenvolvimento de um estilo de vida mais saudável e beneficiará a saúde em geral".

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).

boasnoticias.pt

terça-feira, 7 de julho de 2015

Iggy Pop - Candy

Português é bicampeão europeu de canoagem


O canoísta português José Ramalho sagrou-se, no sábado, bicampeão europeu de K1, revalidando o título já alcançado em 2014. O atleta conquistou a medalha de ouro da especialidade durante o Campeonato da Europa que decorreu no fim-de-semana em Bohinj, na Eslovénia.
 
Outro anterior campeão português, Nuno Ramalho (CNP Lima), também a competir na Eslovénia, juntou-se ao canoísta do CF Vilacondense entre os medalhados nacionais, assegurando o bronze na prova de C1 e o segundo pódio para Portugal. Ainda na prova de K1 Sénior, o português Alfredo Faria foi 6.º classificado.
 
Na sexta-feira, primeiro dia de prova, a atleta lusa Ana Correia foi 5.ª classificada em K1 Júnior, com o tempo de  1h35:30.15, numa prova em que o ouro foi arrecadado pela dinamarquesa Cathrine Rask a 2:56.01 minutos da canoísta nacional, revela, em comunicado, a Federação Portuguesa de Canoagem (FPC).
 
No mesmo dia entrou, também, em prova, Miguel Rodrigues, que se bateu na categoria de K1 Sub23, terminando na 4.ª posição com um tempo de 1h57:54.70, a 1:28.82 minutos do primeiro classificado, o hungaro Lászlo Solti.
 
José Ramalho e Nuno Barros lideraram, em Bohinj, uma comitiva composta por um total de 11 atletas e pelo selecionador nacional Rui Câncio. Portugal disputou, ao todo, sete provas, divididas entre os escalões sénior, sub23 e júnior.

boasnoticias.pt

Sem-abrigo devolve dinheiro encontrado e doa recompensa


Sem-abrigo devolve dinheiro encontrado e doa recompensa
Homem canadiano diz que "só quer um emprego", razão pela qual doou todos os fundos angariados a seu favor a uma instituição
A honestidade e generosidade de um sem-abrigo canadiano estão a emocionar a Internet. Além de ter encontrado e devolvido às autoridades uma mala com milhares de dólares, o homem recusou a ajuda da comunidade 'online', que angariou um montante significativo a seu favor, doando todo o dinheiro a uma instituição de caridade.
 
Tudo começou quando, no final de Junho, este sem-abrigo se dirigiu a uma esquadra da polícia nos subúrbios de Victoria, no Canadá, para entregar uma mala com 2.000 dólares canadianos (cerca de 1.400 euros) que encontrou na rua, dizendo acreditar que aquela era "a coisa certa a fazer", revelou, em comunicado, a Royal Canadian Mounted Police (RCMP).
 
Embora a identidade do homem, que terá cerca de 60 anos, não tenha sido divulgada publicamente devido à sua preferência pelo anonimato, a história chegou, quase de imediato, ao universo 'online', onde o site de notícias canadiano Victoria Buzz lançou uma iniciativa de angariação de fundos para o apoiar que rendeu mais de 5.000 dólares (aproximadamente 3.600 euros).
 
Apesar de, após a entrega da mala, as autoridades terem perdido o rasto ao sem-abrigo, um dos agentes da polícia canadiana, Alex Bérubé, decidiu procurá-lo na sequência deste movimento solidário. "Não é fácil localizar uma pessoa sem endereço fixo ou sem telefone, mas eu continuei a tentar porque precisava de lhe dizer que toda a comunidade se uniu para o ajudar", contou o polícia.
 
A busca de Bérubé acabou por ser bem-sucedida, mas a reação do homem ao saber da angariação de fundos voltou a surpreender. "Ele pediu-me para doar todo o dinheiro à [instituição de caridade] Our Place e a outras instituições que alimentam pessoas com necessidades", disse o agente, que sugeriu, então, ao sem-abrigo que pensasse melhor antes de lhe dar uma resposta definitiva.
 
O homem não mudou de ideias, e fez, no dia seguinte, chegar à esquadra da polícia, por escrito, uma breve mensagem em que confirmava o desejo de doar tudos os fundos angariados para o apoiar e explicava que apenas precisa de um emprego para poder dar à volta à sua vida.
 
Mike Kelly, responsável do Victoria Buzz que iniciou a angariação de fundos, anunciou, entretanto, que o desejo deste sem-abrigo vai ser concretizado. Todo o dinheiro angariado vai ser encaminhado para a instituição sugerida pelo sexagenário e a comunidade prepara-se, agora, para uma nova missão.
 
"Estamos perante um homem que, mesmo em dificuldades, escolheu fazer a coisa certa. Eu vou fazer tudo o que puder para o ajudar a encontrar um emprego adequado às suas necessidades e que possa contribuir para que supere os desafios atuais", garantiu.

boasnoticias.pt

Portuguesa cria código que ensina cegos a "ver" cores


© Feelipa Color Code
Uma jovem portuguesa desenvolveu um código que ajuda os cegos a "ver" as cores. Baseado na associação de uma forma geométrica a cada cor, o "Feelipa Color Code" tem como objetivo "permitir uma correta identificação das cores pelas pessoas com deficiência visual", contribuindo para uma melhor compreensão do mundo que as rodeia.
 
A ideia, da responsabilidade da 'designer' Filipa Nogueira Pires, começou a constituir-se em 2009, quando a portuguesa deu início a uma investigação conduzida no âmbito do seu mestrado em Design de Produto na Universidade Técnica de Lisboa (UTL) e destinada a tornar a cor acessível ao maior número possível de pessoas.
 
Com o apoio do Centro Helen Keller - uma escola dedicada à integração de alunos com problemas visuais e outras necessidades educativas -, que lhe abriu portas a vários meses de contacto com crianças com deficiência visual, Filipa foi desenvolvendo, aperfeiçoando e validando o seu inovador código de cor.
 
"O código de cor Feelipa baseia-se na associação das formas geométricas (quadrado, triângulo e círculo) mundialmente reconhecidas às cores primárias: vermelho, amarelo e azul", explica a responsável pelo projeto no site oficial do Feelipa Color Code.



© Feelipa Color Code
 
As cores secundárias - verde, laranja e roxo -, por seu lado, que resultam da fusão de duas cores primárias, "são conseguidas através da união directa das respetivas formas primárias que estão na base da sua formação, fazendo do código um sistema lógico", esclarece a 'designer'. 
 
Por terem caraterísticas diferentes, as cores preto, cinzento e branco "não são representadas por formas geométricas, mas sim por linhas com espessura suficiente para o reconhecimento táctil": o preto é representado por três linhas, o cinzento por duas e o branco apenas por uma. 
 
De acordo com Filipa Nogueira Pires (à direita),  o sistema, "universal e de fácil memorização" que abrange um total de 24 diferentes, ambiciona "conferir maior autonomia às pessoas com deficiência visual", para as quais "a cor adquire importância no momento em que estão inseridas numa sociedade toda ela pautada de cor" onde podem "sentir-se excluídas ou demasiado dependente de terceiros".
 
Segundo a 'designer', que apresentou o projeto "Feelipa Color Code" numa conferência TED em 2013, o código de cores tem potencial para aplicação em múltiplos setores, desde o vestuário à medicina, passando pelos transportes ou pela alimentação.
 
"Através de um correto acesso às cores, o Feelipa pretende proporcionar uma melhor qualidade de vida, maior autonomia e valorização das capacidades das pessoas que apenas têm uma outra forma de ver o mundo", realça a mentora.
 
Clique AQUI para saber mais sobre este projeto. 

boasnoticias.pt

Quer emagrecer? Pese-se todos os dias, sugere estudo


Quer emagrecer? Pese-se todos os dias, sugere estudo
Se quer perder peso, subir à balança diariamente pode ajudar. A conclusão é de um estudo norte-americano, que revela que pesar-se todos os dias e registar, por escrito, os resultados facilita a tarefa de quem quer emagrecer, já que nos "obriga" a prestar atenção à relação entre quanto pesamos e o que comemos.
 
A investigação, levada a cabo durante dois anos por uma equipa da Universidade de Cornell, nos EUA, acaba de ser publicada na revista científica Journal of Obesity e sugere que o hábito de "enfrentar" regularmente a balança é eficaz na perda de peso e na manutenção dos resultados alcançados, em especial entre os homens.
 
Os cientistas, liderados por David Levitsky, professor de psicologia e nutrição, seguiram 162 indivíduos (homens e mulheres) que foram divididos aleatoriamente em dois grupos - um de intervenção e outro de controlo.
 
Aos indivíduos do grupo de controlo foi pedido que perdessem 1% do peso corporal através de qualquer método pretendido. "Como não quisemos 'receitar' [uma solução para a perda de peso], todos o fizeram à sua maneira: reduziram o tamanho das porções, acabaram com os aperitivos ou saltaram uma refeição", conta Levitsky em comunicado, explicando que a perda de 1% do peso implica apenas "o corte de cerca de 150 calorias diárias durante duas semanas".
 
Depois de manterem a perda de peso conseguida durante 10 dias, os voluntários foram convidados a atingir uma nova meta: perder mais 1% do peso, um objetivo que foram renovando até perderem 10% do peso corporal com que iniciaram a experiência.

Segundo os investigadores, tanto os homens como as mulheres emagreceram, mas a perda de peso foi especialmente assinalável entre os participantes do sexo masculino.

Pesagens diárias aumentam motivação
 
"[Para fazer a diferença] basta uma balança de casa-de-banho e uma folha de cálculo 'Excel' ou de papel quadriculado", realça Levitsky, explicando que as pesagens regulares "obrigam a que haja consciência da relação entre o que comemos e o que pesamos". Embora muitos especialistas defendam que a subida diária à balança não é recomendável, o nutricionista assegura que este estudo prova o contrário.
 
De acordo com a equipa, aqueles que se pesam diariamente têm maior motivação para manter comportamentos benéficos para a dieta, como comer menos ou fazer caminhadas. "Achamos que a balança torna as pessoas mais conscientes acerca da alimentação e permite que façam escolhas consistentes com o seu peso", justifica Levitsky.
 
Os investigadores vão, agora, continuar a testar a eficácia deste método no âmbito de um programa de prevenção de ganho de peso entre os estudantes da Universidade de Cornell que termina em 2016 e preparam-se, igualmente, para aplicá-lo em crianças e adolescentes com excesso de peso.
 
Levitsky e os colegas planeiam também, futuramente, "apurar se este método pode prevenir o ganho de peso relacionado com o envelhecimento", já que a maioria das pessoas começa a engordar a partir dos 40 anos.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).

boasnoticias.pt

Tuga.io vem facilitar o acesso a filmes e séries

Publicação em destaque

A tosse de fumador pode esconder problemas de saúde graves

http://ptjornal.com/a-tosse-de-fumante-pode-esconder-problemas-de-saude-graves-62045