terça-feira, 15 de agosto de 2017

Lightning crashes

Live

Nostradamus

Def leppard

The dead south

solo guitar

Beth hart

domingo, 13 de agosto de 2017

Ouro na marcha para Portugal

Neste dia nasceu

The International Beer Challenge
por redação
A Super Bock Selecção 1927 subiu três vezes ao pódio nos prestigiados prémios The International Beer Challenge 2017. O júri atribuiu a medalha de prata à Bavaria Weiss e a de bronze à Bengal Amber e Czech Golden Lager, um trio de cervejas criado com a paixão e o saber único dos mestres cervejeiros da Super Bock.
A Bavaria Weiss foi distinguida na categoria Wheat Beer, pelo seu corpo ligeiro e sabor suave em sintonia com aromas frutados, cravinho e especiarias, resultando numa cerveja que harmoniza na perfeição com pratos leves e claros, peixe e saladas. Esta cerveja volta a ser distinguida depois de, recentemente, já ter conquistado a Medalha de Ouro no estilo Weizen e o prémio de melhor cerveja de trigo nos Ibeerian Awards, realizados em Maio, em Portugal.
Já na categoria Ale, o bálsamo das Índias da Bengal Amber IPA também não ficou indiferente aos exigentes critérios do júri. Brilhante e viva, com fim de boca persistente, bom amargo, intenso e seco, harmoniza com pratos picantes e especiarias.

União das Misericórdias inicia obras de recuperação das zonas afetadas pelos incêndios do centro do país

O número de imóveis a recuperar poderá aumentar.
por redação

A União das Misericórdias Portuguesas (UMP) informa que as obras de recuperação dos imóveis de habitação permanente da população afetada pela catástrofe que decorreu no passado mês de junho, no centro do país, já começaram.
Das 61 habitações que já foram atribuídas à parceria UMP/Fundação Calouste Gulbenkian, em articulação com o Fundo Revita, autarquias e outros parceiros, quatro já foram recuperadas. O processo de atribuição ainda está em curso, pelo que o número de imóveis a recuperar poderá aumentar.
Após o levantamento das necessidades mais prementes desta população ficou definido que os fundos solidários angariados deveriam, prioritariamente, apoiar a recuperação de imóveis de habitação permanente e criar condições para o fomento de emprego que contribuam, a médio prazo, para evitar a desertificação das localidades afetadas e para o desenvolvimento regional e local.
A UMP, juntamente com a Fundação Calouste Gulbenkian, está a trabalhar em estreita articulação com o Fundo Revita, os serviços da Segurança Social, a Autoridade Nacional de Proteção Civil e as Câmaras Municipais e Misericórdias de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Góis, Pampilhosa da Serra, Sertã e Penela para continuar a apoiar as famílias e evitar a duplicação de apoios. continue lendo em: http://boasnoticias.pt/uniao-das-misericordias-inicia-obras-recuperacao-das-zonas-afetadas-pelos-incendios-do-centro-do-pais/
A Associação Portuguesa de Nutrição dá-nos recomendações de como implementar uma alimentação mais sustentável.
por redação
A alimentação que temos no dia-a-dia pode ter um forte impacto no ambiente, economia ou sociedade, pelo que devemos procurar fazer escolhas mais sustentáveis sob o ponto de vista alimentar. Por essa razão, a Associação Portuguesa de Nutrição lançou um conjunto de recomendações sobre como implementar, no dia-a-dia, refeições cada vez mais sustentáveis. Estas estão disponiveis no Ebook agora lançado pela APN “Alimentar o Futuro, Uma Reflexão sobre Sustentabilidade Alimentar”.
A Dieta Mediterrânica pode ser uma das alternativas mais adequadas para modificar hábitos de consumo, de forma a promover uma alimentação mais saudável e sustentável. Nas palavras de Helena Real, Secretária-Geral da Associação Portuguesa de Nutrição, “atualmente não é suficiente queremos ter uma alimentação saudável. Temos que ter também uma alimentação mais sustentável. Neste contexto, pequenas escolhas no nosso dia-a-dia podem fazer a diferença. Opções como escolher produtos nacionais, preferencialmente locais, frescos e sazonais e procurar fazer refeições com maior quantidade de produtos de origem vegetal e menos de origem animal, são alguns dos exemplos possíveis. Desta forma, uma alimentação sustentável não é apenas o reflexo do impacto ambiental, também depende de outros fatores como, por exemplo, a adequação nutricional, a cultura alimentar e a acessibilidade.”
Neste contexto, é possível fazer pequenas escolhas no dia-a-dia no que respeita à construção das refeições, que podem fazer a diferença em termos de sustentabilidade alimentar. Entre as medidas recomendadas pela APN, destacam-se:
  1. Realizar uma lista de compras e adquirir apenas os alimentos que serão consumidos.
  2. Ocupar ¾ do prato com alimentos de origem vegetal.
  3. Limitar a ¼ do prato os alimentos de origem animal.
  4. Aumentar o consumo diário de leguminosas e utilizá-las em substituição da carne, pescado ou ovos em algumas refeições da semana. 
  5. Continue lendo em:http://boasnoticias.pt/refeicoes-sustentaveis-no-dia-dia/

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Alojamentos de sonho


Feche os olhos e imagine os lugares de sonho para umas férias deslumbrantes. Onde mesmo? Veja aqui!
por redação
Feche os olhos…agora imagine que está de férias numa casa insólita, que oferece todo o conforto para poder relaxar. O que imagina? Uma ilha privada, um barco nas margens do Lago Powell, um celeiro no meio de um campo de cultivo, um castelo, uma casa onde cresce relva no telhado, um avião ou num quartel de bombeiros? Parece impossível, mas no portal da HomeAwayTM, especializado em
alojamentos para férias online, existe um vasto conjunto de alojamentos únicos, que preenchem os requisitos de quem privilegia a diferença.
Quebre verdadeiramente a rotina e viaje com a sua família, amigos ou cara metade para os lugares mais exóticos do planeta e transforme os sonhos mais excêntricos em realidade.

Chiclet

Robot

Lena d Água

cairo

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Harry

Lição que correu mal

Love is....

andar a pé para poupar combustivel

eclipse lunar

                           

http://ptjornal.com/video-eclipse-lua-alpes-franceses-187206



Dê descanso a tudo, menos à reciclagem

O verão está aí e com ele o calor, as férias, a praia e o merecido descanso. A Sociedade Ponto Verde apresenta algumas sugestões para tornar esta época mais amiga do ambiente.
por redação
Todos nós precisamos de umas férias, mas há hábitos essenciais que nem na altura de descansar devem ser descurados, como por exemplo, a reciclagem. Seja qual for o plano – um piquenique, uma ida à praia ou um passeio no campo – leve consigo um saco para os papéis, um para o plástico, metal e pacotes de sumo e, se for caso disso, ainda outro para o vidro. Assim, na hora de colocar no ecoponto, o lixo já está separado e não tem de se preocupar em selecioná-lo. Se for de férias para fora da sua cidade, com certeza haverá um ecoponto próximo – o sistema Ponto Verde abrange 100% do território nacional, com mais de 43 mil ecopontos em todo o país. Basta ter consigo um destino para cada tipo de resíduo e verá que a tarefa é simples e o ambiente agradece. continue lendo em: http://boasnoticias.pt/descanso-tudo-menos-reciclagem/
Cresce intenção de compra de bens e serviços para casa
por redação
19% dos consumidores nacionais pretendem comprar eletrodomésticos este ano. De acordo com o Observador Cetelem 2017, este valor é quase o dobro do manifestado no ano passado. Igual destaque e semelhante crescimento (19%) tem a vontade de remodelar e decorar a casa.
Estes valores significam um substancial aumento face aos registados em anos transatos. No caso dos eletrodomésticos, estas intenções são quase o dobro face a 2016, quando apenas 10% dos portugueses planearam comprar estes produtos. Em matérias de obras ou decoração, só 11% manifestavam intenção de compras destes bens e serviços.
“Os portugueses querem produtos e serviços que sejam importantes para as suas casas e estão a aproveitar este momento de melhoria económica para substituir equipamentos e melhorar o seu bem-estar”, considera Pedro Camarinha, Diretor de Distribuição do Cetelem.

domingo, 6 de agosto de 2017

Regresso 10 anos depois da estreia: 2 e 3 de setembro. Veja o vídeo!
por redação
Dez anos depois da estreia e oito volvidos sobre a última corrida, a Red Bull Air Race WorldChampionship está de regresso a Portugal. Nos dias 2 e 3 de setembro, os melhores pilotos do planeta vão voar baixinho a 370 km/hora sobre as águas do Douro. O exigente traçado composto por uma sucessão de pilares e pórticos insufláveis vai nascer entre as cidades do Porto e de Gaia, tendo como limites as pontes D. Luís e da Arrábida. Trata-se da sexta etapa do calendário de 2017 e a 80ª corrida do campeonato nascido em 2003.

O histórico da corrida

O norte-americano Kirby Chambliss está presente desde a primeira corrida, desenvolvendo uma brilhante carreira que culminou com a conquista de dois títulos mundiais (2004 e 2006). Hoje com 57 anos, o veterano que tem uma pista de aviões no seu rancho do Texas começou cedo na aviação. O primeiro voo aconteceu com apenas 13 anos, aos 24 foi o mais jovem co-piloto de sempre da Southwest Airlines e aos 28 já era comandante. No entanto, a aviação comercial foi apenas um trampolim que lhe permitiu abraçar a sua verdadeira paixão – a aviação acrobática e desportiva.
Chambliss conhece bem o traçado do Porto. Correu nas três edições aqui disputadas, foi segundo classificado em 2008 mas nunca venceu – o feito que nenhum piloto no ativo pode reivindicar e que constitui sem dúvida uma motivação adicional: “Conheço bem o traçado do Porto e sinto-me muito confortável em voltar lá. Na última corrida fui o mais rápido na Qualificação, mas depois tive um problema com o avião que me impediu de ir mais longe. Agora estou confiante numa boa prestação”, afirmou Chambliss depois da recente vitória em Kazan.
Chambliss lidera neste momento o campeonato, mas dispõe de uma escassa vantagem sobre os seus mais diretos adversários, o japonês Yoshihide Muroya e o checo Martin Sonka, que estão a apenas um ponto.

Uma corrida de todos e para todos

A competição segue os moldes originais – qualificações no sábado e corrida no domingo – embora os motivos de interesse tenham sido largamente ampliados em relação às edições de 2007-2009. Reconhecida pela Federação Aeronáutica Internacional (FAI) como o Campeonato do Mundo da aviação desportiva, a competição evoluiu nos últimos anos. Assim, existem agora duas classes, uma para pilotos consagrados (Master Class) e outra para novos talentos (Challenger Class). É nesta última que está a primeira mulher a alinhar na Red Bull Air Race, a francesa Mélanie Astles. Ao todo são 23 pilotos em representação de 15 países, sendo o atual detentor do título o alemão Mathias Dolderer.O público pode acompanhar toda a ação nas margens do Porto e de Gaia, em vastas áreas de acesso livre onde serão montados ecrãs gigantes – permitindo assim reter os melhores momentos com o apoio de comentadores especializados. Para além do traçado, também o aeroporto temporário da corrida – situado no Parque da Cidade – estará aberto ao público em períodos específicos, com a tradicional visita onde os fãs podem ver de perto os aviões e conhecer os pilotos.veja video aqui 
http://boasnoticias.pt/um-mes-red-bull-air-race-porto/.
Henrique Pinto ficou a um ponto da fase final e recebeu o Prémio de Comportamento Excecional
por redação
Henrique Pinto, da Universidade do Minho, obteve a melhor classificação de sempre de Portugal no “Chinese Bridge”, o maior concurso mundial de língua chinesa, em Changsha, sul da China. O aluno do mestrado em Estudos Interculturais Português/Chinês e do Instituto Confúcio ficou apenas a um ponto de estar na fase final, entre os 30 melhores do mundo. No entanto, o bracarense de 31 anos recebeu o prémio do júri “Outstanding Elegant Demeanor”, pela sua prestação global, tendo direito a uma bolsa de mérito e viagem. O concurso reuniu 144 campeões nacionais universitários de mandarim de 112 países, foi promovido pelo instituto público chinês Hanban e terá grande destaque na segunda maior televisão chinesa, a Hunan Weishi, a partir do final de agosto.
Henrique Pinto venceu a eliminatória portuguesa em maio e chegou à Ásia com muitas expetativas, apesar da exigência acrescida. “Ir à final seria inédito e mostraria o que já evoluímos na formação em mandarim. Iniciei a prova a meio da poule europeia, que tinha 47 concorrentes, depois recuperei muitos lugares e acabei em oitavo, com mais de 100 pontos, só a um do apuramento. Não atingi o objetivo por um triz, mas toda a experiência valeu a pena, sinto-me contente pelo que fiz e honrado pela oportunidade”, resumiu.
A sua participação começou com um quiz geral sobre a língua e cultura da China. Seguiu-se um discurso de tema livre: as ligações China/Portugal no futebol, que estuda no mestrado. “O futebol terá nascido no Período dos Estados Combatentes (475 a.C.-221 a.C.) na China, com o nome cuju. Na minha intervenção falei também de adorar este desporto desde criança, do seu impacto na imagem exterior de Portugal, da evolução da liga profissional chinesa, de eu querer ser tradutor junto de equipas ou atletas e, no final, doei um cachecol autografado pelos jogadores da seleção portuguesa”, sorriu.
Henrique Pinto fez ainda uma apresentação sobre fado e depois cantou e tocou à viola a balada chinesa “Piao yang guo hai lai kan ni” (traduzindo, “atravessei os sete mares para te ver”). O último desafio foi adivinhar palavras através de gestos ou expressões, acertando em quase todas. “Dei o máximo e acreditei até ao fim. Estou agradecido por ter representado Portugal e espero que as instituições envolvidas cativem mais estudantes portugueses, preparando-os ainda melhor para as provas – e procurarei ajudar no que puder”, frisou. Aliás, há outras mais valias além-concurso – na sua ida ao gigante asiático, Henrique melhorou os conhecimentos do chinês e abriu os horizontes, visitando a Grande Muralha, a Praça de Tiananmen e a Cidade Proibida, em Pequim, ou vivenciando o clima agressivo e os pratos picantes de Changsha
boasnoticias.pt.

Portugueses cada vez mais convencidos pelos veículos elétricos e híbridos

Carros com motorização a diesel e gasolina são considerados em Portugal como “sinónimo de poluição”
por redação
Nas últimas semanas, os governos francês e britânico anunciaram o fim da venda de veículos a diesel e a gasolina até 2040. Estão os portugueses preparados para uma mudança semelhante? De acordo com o Observador Cetelem Automóvel 2017, os portugueses têm uma opinião positiva em relação às viaturas elétricas e híbridas, atribuindo respetivamente 7,1 e 7,4 a este tipo de motorizados, numa escala de 0 a 10.
As questões ambientais preocupam cada vez mais os europeus. Os consumidores portugueses têm, em média, uma perceção negativa em relação às tradicionais motorizações a diesel e a gasolina. Os números do Observador Cetelem Automóvel 2017 indicam que para 84% dos portugueses os automóveis a diesel e gasolina são sinónimo de poluição, face aos 70% de consumidores dos restantes países europeus com a mesma opinião.
Ainda assim, os dados publicados pelo Observador Cetelem Automóvel 2017 referem que apenas 7% dos portugueses considera o nível de poluição e impacto ambiental um critério importante no momento da compra de um veículo, sendo, por este motivo, necessário encontrar formas que minimizem esta disparidade entre as viaturas que os portugueses admiram e as que compram.
“Neste momento, observamos que a preocupação ambiental ainda não é tão relevante para os portugueses como o preço ou o consumo de combustível na hora de comprar um veículo. No entanto, a associação entre viaturas e poluição, acompanhada por uma opinião bastante favorável sobre carros amigos do ambiente, são indicadores de que se está a desenvolver uma consciencialização ambiental em linha com as tendências atuais e futuras do setor automóvel”, conclui Pedro Ferreira, diretor da área automóvel do Cetelem.
As análises e previsões do Observador Cetelem foram realizadas em colaboração com as empresas de estudos e consultoria BIPE/ TNS Sofres. Os inquéritos quantitativos aos consumidores foram realizados em quinze países – África do Sul, Alemanha, Bélgica, Brasil, China, Espanha, Estados Unidos da América, França, Itália, Japão, México, Polónia, Portugal, Reino Unido e Turquia. No total, foram inquiridos, em 2016, mais de 8 500 proprietários de automóveis 

boasnoticias.pt.

Queensryche - Silent Lucidity

Kansas - Dust In The Wind Live in Chile 2006 Legendado

Queen - Who Wants To Live Forever (Tradução)